Projeto Político Pedagógico

Cria e desenvolve produtos para a indústria da moda. Analisa e aplica fatores estéticos,
simbólicos, ergonômicos, socioculturais e produtivos. Realiza pesquisa de moda. Planeja, gerencia e
articula coleções de moda com processos de fabricação, matérias-primas e viabilidade técnica e
sustentável. Elabora protótipos, modelos, croquis, fichas técnicas e portfólios com uso de técnicas
diferenciadas de expressão gráfica. Avalia e emite parecer técnico em sua área de formação.

 
 

-.Ateliês e confecções.
- Agências, estúdios e revistas de Moda.
- Bureaus de pesquisa e criação em Moda.
- Escritórios de design.
- Indústrias de Moda.
- Microempreendedor individual e/ou profissional autônomo.

 
 

- Pesquisar tendências de comportamento, de mercado, de moda e de design.
- Pesquisar estilos e propor inovações em moda.
- Desenvolver produtos de moda, aplicando visão histórica, sociológica, e prospectiva.
- Elaborar portfólios e dossiês de coleção.
- Representar graficamente as criações.
- Elaborar protótipos e modelos de produtos de moda.
- Analisar a viabilidade técnica e qualitativa de projetos de moda.
- Considerar as questões ambientais pertinentes a essa área de produção no desenvolvimento de
produtos de moda.
- Gerir processos produtivos, negócios e/ou eventos de moda.
- Desenvolver pesquisas de caráter científico-tecnológico e produções textuais e acadêmicas.

 
 

Como o foco do curso está voltado ao mundo do trabalho e à formação do cidadão, a construção
do conhecimento ocorrerá de forma articulada com a pesquisa e a extensão, a partir da apresentação de trabalhos científicos, planejamento e participação em eventos da área de moda, envolvendo a investigação e a geração de soluções técnicas voltadas às demandas sociais dentro das peculiaridades regionais e nacionais. O curso prima por fazer do estudante o ator e coautor de seu desenvolvimento na interação com
os professores, colegas, mundo produtivo, social e acadêmico.
A metodologia proposta pelo Curso Superior de Tecnologia em Design de Moda do IFSC Campus
Jaraguá do Sul – Centro está organizada em atividades coletivas e individuais, que instigam a busca pela solução de problemas, buscando inovação e tecnologias avançadas para o mercado da moda. A
metodologia adotada também prima também, pelo desenvolvimento de competências, habilidades e
atitudes, identificadas a partir da elaboração do perfil profissional do egresso, na qual fica clara a
necessidade do desenvolvimento de competências técnicas, sociais e organizativas, tendo em vista a
formação de um profissional cidadão, capaz de atuar de forma participativa e crítica na sociedade, em
âmbito profissional e social.

Além, disso, diversas práticas pedagógicas são propostas no curso, entre as quais: pesquisa
aplicada, solução de problemas, trabalhos individuais e em equipe, visitas técnicas, contextualização dos
conhecimentos, trabalhos com projetos, solução de problemas, aulas expositivas e dialogadas, debates com
leitura e discussão de textos, jogos, simulação, seminários, Projetos de Extensão, Trabalho de Conclusão
de Curso e outras. A extensão no curso será realizada dentro das unidades curriculares do curso, em até 10% da sua
carga horária total, integrando o ensino e a pesquisa, às demandas da sociedade, primando pela
interdisciplinaridade, desenvolvimento do espírito científico e a formação integral do cidadão, com
metodologia construtivista, envolvendo o conhecimento que os estudantes adquirem ao longo das aulas em
cada unidade curricular. As atividades serão realizadas por meio de programa de extensão, contendo
projetos de extensão que possibilitem a proposição de soluções para os problemas encontrados na
comunidade local. Nas aulas EaD a utilização do ambiente Moodle será constante, com atividades específicas para
esta modalidade de ensino, dispostas neste Projeto Pedagógico. O curso terá também unidades curriculares
optativas. O estudante deverá fazer, pelo menos uma unidade curricular optativa de 60 horas para receber
seu diploma ao final do curso. Para a regulamentação da oferta das Optativas, seguiremos a RDP, artigo
135.
§ 2º O componente curricular optativa acontecerá se, pelo menos, 40% (quarenta por cento) das
vagas forem preenchidas, ou a critério da Coordenadoria do Curso, justificadamente.
As unidades curriculares optativas poderão ser ofertadas também no contraturno, de acordo com a
disponibilidade de espaço físico no campus e com a disponibilidade de carga horária do professor. Porém,
uma delas sempre será ofertada no turno do curso, ou seja, no período noturno. O curso possui, também, carga horária para atividades complementares obrigatórias, que são
aquelas realizadas fora da matriz curricular, e que contribuem na formação e no aprimoramento pessoal e
profissional do estudante, podendo ser cumpridas nas áreas técnica, social, humana, e cultural. As
atividades complementares poderão ser realizadas a qualquer momento, inclusive durante as férias
escolares, desde que respeitados os regulamentos estabelecidos neste documento. O estudante com status
de provável formando, que não cumprir a carga horária exigida em Atividades Complementares, no tempo
previsto, ou seja, até três meses após a última aula prevista no curso, não poderá receber o diploma de
conclusão do curso. A partir do ingresso do estudante no curso, este deverá obrigatoriamente cumprir 60
horas de atividades complementares, ou seja, o estudante poderá realizar cursos, projetos de extensão
(como executores), apresentação de trabalhos científicos, mostras de trabalhos, workshop (onde o
estudante seja o ministrante), participação em eventos e oficinas como ouvintes e/ou como organizadores. A
comprovação desta carga horária será contabilizada por meio dos certificados que o aluno apresentar ao
professor responsável pelas ACC no curso. Essa carga horária está prevista na matriz curricular, sendo
obrigatória para a obtenção de grau de Tecnólogo, conforme o Projeto Pedagógico do Curso – PPC.

 
 

 

Coordenação do Curso:

Professora Daiane Aparecida M. Heinzen

dheinzen@ifsc.edu.br

 
 

No Curso Superior de Tecnologia em Design de Moda do IFSC Campus Jaraguá do Sul - Centro, a
avaliação será processual e diagnóstica, acompanhando o desempenho e desenvolvimento do estudante.
Nesse processo, a constituição das competências e habilidades requeridas será a premissa para uma boa
avaliação, remetendo à formação de profissionais éticos e cientes de seu papel na sociedade.
Os instrumentos de acompanhamento do processo de aprendizagem dentro dessa perspectiva
serão organizados através de projetos, apresentações orais, portfólios, pesquisas teóricas e de campo,
trabalhos em grupo, seminários, defesas de trabalhos, autoavaliações, entre outros. O registro da avaliação, conforme Art. 167 do Regulamento Didático Pedagógico do IFSC, será
feito por valores inteiros de 0 (zero) a 10 (dez). O resultado mínimo para aprovação em um componente
curricular será 6 (seis), sendo atribuído o resultado 0 (zero) ao estudante que comparecer a menos de 75%
(setenta e cinco por cento) da carga horária estabelecida no PPC para o componente curricular. De acordo com o Regulamento Didático Pedagógico do IFSC, o professor deverá viabilizar
estudos de recuperação paralela durante o período letivo, visando garantir o aproveitamento dos estudantes
com dificuldade de aprendizagem. Para quem não obteve conceito de aprovação, a avaliação da
recuperação paralela está vinculada à participação nas atividades de recuperação de conteúdo, podendo
ocorrer, por meio de aulas programadas em horários extras, listas de exercícios, trabalhos práticos ou
outras formas propostas pelo professor, visando ao melhor desenvolvimento do processo de aprendizagem.
Para detectar as dificuldades no processo educativo, são realizadas as Reuniões Avaliativas,
envolvendo estudantes, docentes e equipe pedagógica. Na primeira etapa da reunião, os estudantes
preenchem um formulário contendo questionamentos referentes aos setores do ensino e ao processo de
ensino e aprendizagem em todas as unidades curriculares. Numa segunda etapa, realiza-se um encontro
entre os professores que atuam na turma e os respectivos representantes de turma, visando detectar as
dificuldades encontradas nas unidades curriculares e buscar soluções para contribuir no processo de ensino
e aprendizagem dos estudantes. Na terceira etapa, os profissionais da Coordenadoria Pedagógica retornam
às turmas para apresentar as discussões ocorridas e conversar coletiva e individualmente com os
estudantes, a fim de pontuar os encaminhamentos necessários para melhorar o processo pedagógico como
um todo.

 
 
Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker3-srv1.appdocker3-inst103/12/2020 04:17