Projeto Político Pedagógico

O Engenheiro Mecânico é um profissional de formação generalista, que atua em estudos e em projetos de sistemas mecânicos e térmicos, de estruturas e elementos de máquinas, desde sua concepção, análise e seleção de materiais, até sua fabricação, controle e manutenção, de acordo com as normas técnicas previamente estabelecidas, podendo também participar na coordenação, fiscalização e execução de instalações mecânicas, termodinâmicas e eletromecânicas. Além disso, coordenada e/ou integra grupos de trabalho na solução de problemas de engenharia, englobando aspectos técnicos, econômicos, políticos, sociais, éticos, ambientais e de segurança. Coordena e supervisiona equipes de trabalho, realiza estudos de viabilidade técnico-econômica, executa e fiscaliza obras e serviços técnicos e efetua vistorias, perícias e avaliações, emitindo laudos e pareceres técnicos. Em suas atividades, considera aspectos referentes à ética, à segurança, à segurança e aos impactos ambientais. Para o atendimento de necessidades regionais, de indústrias do setor frigorífico e energético, o egresso do curso de engenharia mecânica será capaz de executar projetos e manutenção de sistemas hidráulicos e pneumáticos, projetos de sistemas de refrigeração e ar-condicionado, e análises e projetos de vasos de pressão

O Engenheiro Mecânico é habilitado para trabalhar em indústrias de base (mecânica, metalúrgica, siderúrgica, mineração, petróleo, plásticos e outros) e em indústrias de produtos ao consumidor (alimentos, eletrodomésticos, brinquedos etc); na produção de veículos; no setor de instalações (geração de energia, refrigeração e climatização etc); em indústrias que produzem máquinas e equipamentos e em empresas prestadoras de serviços; em institutos e centros de pesquisa, órgãos governamentais, escritórios de consultoria e outros. 

O Engenheiro Mecânico, durante sua formação acadêmica, seguindo a Resolução CNE/CES nº11, de 11 de março de 2002, no artigo 4º, deverá adquirir conhecimentos que possibilitem o desenvolvimento de competências e habilidades para: I. Aplicar conhecimentos matemáticos, científicos, tecnológicos e instrumentais à engenharia; II. Projetar e conduzir experimentos e interpretar resultados;
III. Conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos; IV. Planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos e serviços de engenharia; V. Identificar, formular e resolver problemas de engenharia; VI. Desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e técnicas; VII. Supervisionar a operação e a manutenção de sistemas; VIII. Avaliar criticamente a operação e a manutenção de sistemas; IX. Comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica; X. Atuarem em equipes multidisciplinares; XI. Compreender e aplicar a ética e responsabilidades profissionais; XII. Avaliar o impacto das atividades da engenharia no contexto social e ambiental; XIII. Avaliar a viabilidade econômica de projetos de engenharia; XIV. Assumir a postura de permanente busca de atualização profissional.

A proposta pedagógica para o desenvolvimento da metodologia educacional das competências apresentadas nas unidades curriculares deve prever não só a articulação entre as bases tecnológicas, como também o desenvolvimento da interdisciplinaridade entre as unidades curriculares do curso. Assim, a comunicação e a complementaridade entre as unidades curriculares dos semestres deverão ocorrer continuamente. Assim, vincula-se diversos conhecimentos, possibilitando a formulação de um saber crítico e reflexivo, tentando superar a fragmentação de ideias, relacionando as disciplinas e compreendendo melhor a realidade. As formas como acontecerão estas mediações dar-se-ão através de diversas técnicas de ensino, tais como: expositivo dialogada, atividades de laboratório, trabalho individual, trabalho em grupo, debate, estudo de caso, seminário, painel integrado, visita técnica e a campos de trabalho, palestras com gestores da área, leitura de artigos e similares com temas relevantes para formação em Informática e também pelas reuniões pedagógicas regulares de construção, discussão e socialização dos planos das unidades curriculares e das formas de avaliação. Além disso, o aprendizado baseado em metodologias ativas, como forma de promover uma educação mais centrada no aluno, com base no desenvolvimento de competências e habilidades, aprendizagem colaborativa, utilização de tecnologias digitais, permitindo o uso de técnicas educacionais inovadoras (sala de aula invertida, laboratório rotacional, rotação individual, espaço makers entre outros). Os projetos integradores constituem-se numa estratégia de ensino e aprendizagem que objetiva proporcionar a integração dos temas abordados nas fases. O processo de construção do trabalho fornece subsídios para a avaliação das competências relacionadas ao perfil profissional desenvolvido durante o curso. Desta forma, visa-se a construção das competências previstas através da interdisciplinaridade das unidades curriculares daquela fase. Os projetos integradores apoiam as atividades de extensão e devem ser realizados a partir de demandas da comunidade externa. Terão diferentes níveis de complexidade, de acordo com a fase em que forem aplicados.

4. Chefe DEPE: Eliane Maria Zandonai Michielin E-mail: depe.xxe  @ifsc.edu.br Fone: +55 (49) 3441-7939 5. Contato: Samuel Scheleski E-mail: mecanica.eng.xxe@ifsc.edu.br Fone: +55 (49) 3441-7949 

ver ppc

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker3-srv2.appdocker3-inst223/11/2020 16:04