Projeto Político Pedagógico

Realiza a manutenção e programação de sistemas computacionais podendo utilizar banco de dados. Documenta as etapas do processo.

A área de atuação do profissional egresso é extremamente abrangente. O profissional pode atuar tanto no setor privado quanto no público, em setores da indústria, comércio ou de serviços, dando suporte às suas atividades-fim. Pode ainda trabalhar em empresas que prestam serviços de tecnologia da informação para outras empresas, além possibilidade dele empreender na área de tecnologia da informação.

● Ler, articular e interpretar símbolos e códigos em diferentes linguagens e representações, estabelecendo estratégias de solução e integrando os conhecimentos das várias ciências e outros campos do saber.

● Ter iniciativa, criatividade e responsabilidade.

● Utilizar a tecnologia de informática na automatização e controle de processos.

● Desenvolver sistemas seguindo as especificações e paradigmas da lógica de programação e das linguagens de programação.

● Acompanhar os avanços tecnológicos na área de informática, auxiliando nos serviços demandados por parte das organizações.

● Ter autonomia com relação à educação continuada.

● Compreender a linguagem técnica da área.

● Aplicar os princípios da responsabilidade socioambiental na área de Informática

A metodologia de desenvolvimento pedagógico deste curso tem em vista a formação profissional, composta pelo conhecimento de técnicas específicas da área de atuação, pelo desempenho da profissão levando em consideração princípios e valores (ética profissional, relacionamento interpessoal, trabalho em equipe, leitura e interpretação de informações técnicas) . Para tanto serão realizadas atividades contextualizadas e de experiência prática ao longo do processo de formação, com apresentação do conteúdo através de diferentes mídias e atividades práticas frequentes. As atividades práticas que integram o projeto pedagógico tem como intuito contribuir para que a relação entre teoria prática estejam presentes em todo o percurso formativo. São momentos estratégicos do em que o estudante constrói conhecimentos e experiências por meio de atividades que buscam reproduzir situações reais e contextualizadas na vida profissional do programador de softwares. Os recursos pedagógicos utilizados neste curso visam atender as particularidades do ensino a distância. A partir de um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), o conteúdo será disponibilizado em diversas mídias como vídeos, animações, hipertextos, tutoriais, sites e livros digitais. No AVA os alunos terão oportunidade de manterem comunicação síncrona e assíncrona com outros alunos e os tutores, possibilitando o relacionamento interpessoal e trabalho em equipe, mesmo que a distância.

Willian Bolzan dos Santos - willian.bolzan@ifsc.edu.br

Fabricio Bueno Borges - fabricio.bueno@ifsc.edu.br

As avaliações acontecem em cada componente curricular sendo organizadas pelo professor responsável. Serão seguidas as orientações dispostas no Regulamento Didático Pedagógico (RDP), aprovado pela resolução n° 41, de 20 de novembro de 2014. Conforme o art. 96 do RDP, a avaliação da aprendizagem terá como parâmetros os princípios do PPI e o perfil de conclusão do curso definido no PPC. A avaliação dos aspectos qualitativos compreende o diagnóstico, a orientação e a reorientação do processo de ensino e aprendizagem visando à construção dos conhecimentos. Os principais instrumentos, disponibilizados no AVA, que serão utilizados para avaliação de aprendizagem serão: a) Atividades práticas ; b) trabalhos de pesquisa individuais ou coletivos; c) testes e provas; d) planejamento e elaboração de projetos; e) participação em fóruns de discussão. As avaliações serão registradas no diário de classe com feedback, no prazo máximo de 15 (quinze) dias letivos após sua aplicação. Para o IFSC, a organização das avaliações deve considerar os seguintes princípios: a) A avaliação como processo diagnóstico, processual, formativo, somativo, continuado e diversificado. b) A avaliação se dá durante todos os momentos do processo ensino-aprendizagem, valorizando o crescimento do aluno. c) A avaliação dirige-se à análise das habilidades, atitudes e conhecimentos por parte do aluno, previstas no plano de curso. Sua função primordial é: (1) obter evidências sobre o desenvolvimento do conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes (2) analisar a consonância do trabalho pedagógico com as finalidades educativas previstas no Projeto Pedagógico do Curso e (3) estabelecer previamente, por unidade curricular/disciplina, critérios que permitam visualizar os avanços e as dificuldades dos alunos. d) Os critérios servem de referência para o aluno avaliar sua trajetória e para que o professor tenha indicativos que sustentem tomadas de decisões sobre o encaminhamento dos processos de ensino e aprendizagem, do monitoramento pedagógico e da progressão dos alunos. Os registros das avaliações são feitos através de nota. Em consonância com o art. 102 do RDP o resultado da avaliação final será registrado por valores inteiros de 0 (zero) a 10 (dez). O resultado mínimo para aprovação em um componente curricular é 6 (seis). Ao aluno que comparecer a menos de 75% (setenta e cinco por cento) da carga horária estabelecida no PPC para o componente curricular será atribuído o resultado 0(zero). O controle da frequência às aulas será de responsabilidade do professor (ou tutor) de cada componente curricular, sob a supervisão da Coordenadoria de Curso. O registro de cada componente curricular será realizado pelo professor no diário de classe na forma de valores inteiros de 1 (um) a 10 (dez), sendo que o professor tem liberdade de atribuir valores fracionados de 0 a 10 nas avaliações parciais. A decisão do resultado final, pelo professor (ou tutor), dependerá da análise do conjunto de avaliações, suas ponderações e as discussões do conselho de classe final. O conselho de classe, enquanto instância diagnóstica e deliberativa sobre a avaliação do processo ensino-aprendizagem, conforme art.103 do RDP, será organizado pela Coordenadoria de Curso com a Coordenadoria Pedagógica, sendo que será obrigatória a participação dos professores do Curso. Será elaborada uma ata dos temas e deliberações da reunião para registro oficial, anexada à lista de assinatura dos participantes. A decisão do conselho de classe é soberana sobre as decisões educativas individuais, devendo-se sempre buscar o consenso,confirmando sua legitimidade. Os representantes de turma, orientados pela Coordenadoria de Curso em parceria com a Coordenadoria Pedagógica, realizarão uma avaliação com a turma, a fim de identificarem as questões educativas a serem levadas ao conselho de classe, contribuindo para a avaliação de todo o processo ensino-aprendizagem. As discussões e deliberações sobre questões relativas aos desempenhos individuais não deverão contar com a presença dos alunos, garantindo assim a discrição necessária à vida acadêmica discente. Sendo a educação um direito de todos e um dever do Estado, e levando-se em consideração a Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva, de 2007, o IFSC compromete-se com: a garantia de estratégias para permanência e êxito que atendam às especificidades das pessoas com deficiência.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker3-srv1.appdocker3-inst125/11/2020 19:23