Projeto Político Pedagógico

O Tecnólogo em Design de Moda será o profissional capacitado a propor soluções criativas e inovadoras de projetos, utilizando conteúdos teóricos aplicados às técnicas e aos processos de design de produtos de moda para atender a indústria de confecção do vestuário. Além disso, esse profissional poderá interagir com os de outras áreas, atuando em equipes interdisciplinares na elaboração e execução de pesquisas e projetos de moda bem como pesquisas de caráter científico-tecnológico. O tecnólogo estará capacitado em conhecer o setor produtivo da área de moda, com visão sistêmica relacionada ao mercado, materiais, processos produtivos e novas tecnologias, envolvendo questões culturais da sociedade e do contexto regional. A partir desse estudo, conceberá produtos de moda com base no entendimento e na interpretação dos aspectos históricos e prospectivos, tendo consciência das implicações econômicas,
sociais, antropológicas, ambientais, estéticas e éticas da sua atividade. Além disso, esse profissional terá capacidade de desenvolver produções textuais acadêmica de cunho técnico-científico com base na sua área de atuação.

 

Pesquisas de perfil de consumidor, mercado, parâmetros mundiais e locais;

 

Pesquisa de tecidos, cores, aviamentos e estampas;

 

Desenvolvimento e criação de produtos, estampas, etiquetas, embalagens;

 

Criação de novas marcas e de logotipos;

 

Fabricação de roupas e de acessórios;

 

Desenho técnico e Ilustração de Moda;

 

Modelagem;

 

Costura;

 

Ficha técnica;

 

Gestão de negócios de Moda;

 

Gestão de processos produtivos e controle de qualidade na moda;

 

Gestão de eventos de moda;

 

Ateliês de costura.

 

Pesquisas de perfil de consumidor, mercado, parâmetros mundiais e locais;

Pesquisa de tecidos, cores, aviamentos e estampas;

Desenvolvimento e criação de produtos, estampas, etiquetas, embalagens;

Criação de novas marcas e de logotipos;

Fabricação de roupas e de acessórios;

Desenho técnico e Ilustração de Moda;

Modelagem;

Costura;

Ficha técnica;

Gestão de negócios de Moda;

Gestão de processos produtivos e controle de qualidade na moda;

Gestão de eventos de moda;

Ateliês de costura.

Pesquisar tendências de comportamento, formas, cores, textura e acabamentos;

Pesquisar e propor estilos em moda;

Desenvolver produtos de moda, aplicando visão histórica, sociológica, e

prospectiva;

Elaborar portfólios e dossiês de coleção;

Representar graficamente as criações;

Elaborar protótipos e modelos;

Analisar a viabilidade técnica e qualitativa de projetos;

Considerar as questões ambientais pertinentes a essa área de produção;

Desenvolver pesquisas de caráter científico-tecnológico e produções textuais e

acadêmicas.

A metodologia definida para desenvolver as atividades do Curso Superior de Tecnologia em Design de Moda está comprometida com a interdisciplinaridade e a contextualizaçao, com o desenvolvimento do espirito cientifico e com a formaçao de sujeitos autonomos e criticos.
As práticas metodologicas estao fundamentadas na interaçao professor-aluno mediada pelo conhecimento cientifico e pela realidade social. Essa postura implica duas funçoes básicas: a funçao incentivadora e a funçao orientadora. Incentivadora no sentido de que garanta situaçoes que estimulem a participaçao ativa do aluno no ato de aprender, e orientadora em relaçao ao processo de aprendizagem do aluno, orientando-o para que possa construir seu proprio conhecimento.
No processo de interaçao professor-aluno, o diálogo se torna fundamental. A partir de uma questao problematizadora, o professor expoe o que sabe, procurando relacionar sua proposta com os conhecimentos previos e experiencias dos alunos, buscando uma sintese que explique ou resolva a situaçao problema que desencadeou a discussao. Sao apresentadas aos alunos propostas de atividades desafiadoras que acionem seus esquemas cognitivos. As situaçoes problematizadoras instigarao os alunos
a observar, descrever, relatar, dialogar, ler, escrever, comparar, identificar, diferenciar, analisar, sintetizar deduzir, concluir, julgar, avaliar, propor e comparar hipoteses.
Para implementar essa visao, os espaços das aulas expositivas sao ampliados com atividades de pesquisa e extensao. Essas atividades incluem: a) discussao de textos para o conhecimento e construçao de referencial teorico da área; b) dinamica de grupo, debates e outros recursos para estimular o desenvolvimento de uma postura criativa, critica e reflexiva frente aos temas apresentados e à prática profissional; c) elaboraçao de projetos, produtos e serviços voltados à soluçao dos problemas regionais
e nacionais pertinentes à área.
Alem disso, para um Curso Superior de Tecnologia, e de fundamental importancia o uso de tecnicas de ensino cuja dinamica permita estabelecer relaçoes entre os diversos conteudos do curso e sua aplicaçao. Dentro dessa perspectiva, para o Curso Superior de Tecnologia em Design de Moda - CSTDM, sao sugeridas as seguintes técnica de ensino: Aula expositiva e dialogada; Técnica de laboratório; Técnica do
Estudo dirigido; Técnica de trabalho em pequenos grupos; Pesquisa; Dramatização;
Projeto; Debate; Estudo de caso; Seminário; Painel integrado; Visitas técnicas;
Produções textuais acadêmico-científico-tecnológica; Brainstorming

 

Telefone: (48) 33115059

A avaliação da aprendizagem terá como parâmetros os princípios do PPI e o perfil deconclusão do curso definido no PPC. Parágrafo único. A avaliação dos aspectos qualitativos compreende o diagnóstico, a orientação e a reorientação do processo de ensino e aprendizagem visando à construção dos conhecimentos.

O resultado da avaliação final será registrado por valores inteiros de 0 (zero) a 10 (dez).
§ 1º O resultado mínimo para aprovação em um componente curricular é 6 (seis).
§ 2º Ao aluno que comparecer a menos de 75% (setenta e cinco por cento) da carga horária
estabelecida no PPC para o componente curricular será atribuído o resultado 0 (zero).
§ 3º O registro de cada componente curricular será realizado pelo professor no diário de classe na
forma de valores inteiros de 1 (um) a 10 (dez).
§ 4º A decisão do resultado final, pelo professor, dependerá da análise do conjunto de avaliações,
suas ponderações e as discussões do conselho de classe final.
§ 5º A avaliação será realizada, em cada componente curricular, considerando os objetivos ou
competências propostos no plano de ensino.
§6º. O professor tem liberdade de atribuir valores fracionados de 0 a 10 nas avaliações parciais.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker5-srv2.appdocker5-inst201/12/2020 21:31