Projeto Político Pedagógico

Ao término do curso, o Técnico em Eletroeletrônica deverá estar apto para desenvolver atividades de planejamento, avaliação, controle, instalação, montagem e manutenção, sendo capaz de:

  1. Planejar e executar a instalação e manutenção de equipamentos e instalações eletroeletrônicas industriais, observando normas técnicas e de segurança.

  2. Projetar e instalar sistemas de acionamento e controle eletroeletrônicos.

  3. Propor o uso eficiente da energia elétrica.

  4. Elaborar, desenvolver e executar projetos de instalações elétricas em edificações em baixa tensão.

  5. Desenvolver programas para automatização de processos.

O principal campo de atuação do Técnico em Eletroeletrônica está voltado para a área da indústria, podendo também atuar na de serviços e comércio, nas quais suas atividades podem desenvolver-se tanto nas grandes, médias e pequenas empresas. Além disso, o profissional também poderá atuar na área de instalação elétrica residencial.

  • Desenvolver a visão espacial e as capacidades de interpretar e representar por meio do desenho e lay-out os objetos de um projeto mecânico, eletroeletrônico e arquitetônico.

O Curso Técnico em Eletroeletrônica tem sua matriz curricular organizada em módulos com duração de 300 horas/módulo, totalizando 1200 horas e com mais 400 horas de estágio curricular obrigatório com o qual será conferido o diploma de Técnico.

Para que os alunos atinjam as competências estabelecidas como necessárias para a formação profissional os trabalhos seguirão metodologia própria.

Serão ministradas aulas expositivas dialogadas, aulas práticas em laboratórios, trabalhos em equipe, visitas técnicas, estudos de casos e seminários. Outras metodologias semelhantes também serão empregadas para possibilitar a construção e criação do conhecimento, de novos valores e o desenvolvimento de novas competências.

As visitas técnicas serão práticas freqüentes que possibilitarão ao aluno uma visão inicial da estrutura e do funcionamento de uma empresa e estarão presentes em várias unidades curriculares, principalmente nas ultimas fases.

As atividades práticas serão ministradas em laboratórios específicos, para realização de atividades, como por exemplo: montagem e construção de experimentos, simulação, pesquisas técnicas, cujos resultados serão expressos em forma de relatório ou ficha técnica.

Os seminários poderão ser organizados com a participação de convidados, especialistas nos temas que serão apresentados e debatidos pelos alunos e professores.

Além disso, a postura necessária para qualquer profissional é da execução da atividade dentro dos padrões de higiene e segurança exigidos pelo mercado. Assim, em virtude da sua relevância, estas questões serão trabalhadas por cada professor como temas transversais em cada atividade, dentro da sala ou na execução das atividades em laboratórios.

O estágio curricular será obrigatório para o aluno que cursar o Curso Técnico em Eletroeletrônica, conforme prevê o projeto do curso. O estágio poderá ser paralelamente ao 4º módulo ou após a conclusão do mesmo.

Há a possibilidade de saída com certificação parcial (Eletricista Instalador em Baixa Tensão), ao final do terceiro módulo. Para a obtenção do certificado o aluno deverá ter concluído o terceiro módulo.

Neury Boaretto

A atividade de avaliação é uma característica intrínseca do ser humano, do seu conhecimento vital, pois ela orienta, de forma válida, as decisões individuais e coletivas. “Conhecer algo equivale a avaliá-lo, atribuir-lhe um valor, um significado, a explicá-lo, e isto tanto na experiência comum quanto nos mais sistemáticos processos científicos” (Bartolomeis, 1981)

A avaliação no processo de construção do conhecimento na nova educação profissional deve ser um instrumento que possibilite a identificação do desenvolvimento (atitudes, conhecimentos e habilidades) do aluno e que forneça elementos para orientações necessárias, complementações, enriquecimento, no processo. O parâmetro para a avaliação será naturalmente aquilo que se definiu alcançar. É certo que, para isso, é preciso definir as evidências da aprendizagem realizada ou da competência constituída.

A avaliação ocorrerá durante o processo e deverá acompanhar o desenvolvimento do aluno na obtenção das competências requeridas para exercer a sua profissão, expressando sua cidadania. Para tanto deverão ser avaliados os conhecimentos, as habilidades e as atitudes dos alunos no desempenho de suas atividades. A cada conhecimento, habilidade ou atitude avaliada será atribuído um dos conceitos.

Os professores receberão fichas para avaliação, conforme anexo I e II, que lhes permitirão anotar todos os dados referentes a esses aspectos, tendo por base as competências estabelecidas em cada unidade curricular. Essas fichas avaliam os alunos parcialmente nas unidades curriculares teóricas e práticas, envolvidas em cada módulo.

 Nesse sentido, as diretrizes prevêem que o ensino técnico de nível médio, na modalidade concomitante, terá 3 conceitos finais para aprovação e 1 para reprovação. Serão eles:

 

Conceito E – Excelente – Quando é capaz de desempenhar com destaque todas as

competências exigidas pelo perfil profissional de conclusão.

Conceito P – Proficiente – Quando é capaz de desempenhar a contento todas as

competências exigidas pelo perfil profissional de conclusão.

Conceito S – Suficiente – Quando é capaz de desempenhar o mínimo das competências

essenciais exigidas pelo perfil profissional de conclusão.

Conceito I – Insuficiente – Quando não é capaz de desempenhar o mínimo dascompetências essenciais exigidas pelo perfil profissional de conclusão.

 Recuperação paralela

 Os estudos de recuperação serão realizados conforme as orientações presentes na organização didática pedagógica.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker4-srv2.appdocker4-inst210/04/2021 16:30