Projeto Político Pedagógico

Após a conclusão do curso técnico, de acordo com o Catálogo Nacional de Cursos Técnicos (BRASIL, 2016), o técnico em Eletromecânica deverá ser capaz de: • Planeja, projeta, executa, inspeciona e instala máquinas e equipamentos eletromecânicos; • Realiza usinagem e soldagem de peças; • Interpreta esquemas de montagem e desenhos técnicos; • Realiza montagem, manutenção e entrega técnica de máquinas e equipamentos eletromecânicos; • Realiza medições, testes e calibrações de equipamentos eletromecânicos; • Executa procedimentos de controle de qualidade e gestão.

Em conformidade com o Catálogo Nacional de Cursos o egresso poderá atuar em: “Indústrias com linhas de produção automatizadas, aeroespaciais, automobilística, metalomecânica e plástico. Indústrias de transformação e extrativa em geral. Empresas de manutenção e reparos. Empresas que atuam na instalação, manutenção, comercialização e utilização de equipamentos e sistemas eletromecânicos. Grupos de pesquisa que desenvolvam projetos na área de eletromecânica. Laboratórios de controle de qualidade, calibração e manutenção.”


As competências gerais do egresso serão constituídas através dos conteúdos apresentados nas diversas atividades das unidades curriculares, convergindo para uma formação para o exercício pleno da cidadania e da profissão de Técnico em Eletromecânica. • Compreender os processos de formação e transformação territorial, econômica, cultural e política do Brasil; • Analisar criticamente os fenômenos sociais; • Comunicar-se utilizando mecanismos linguísticos e discursivos; • Compreender a sociedade que está inserido, atuando como ser transformador da mesma; • Exercer a sua cidadania de maneira crítica e autônoma; • Atuar no assessoramento de projetos de instalações elétricas e mecânicas de equipamentos industriais, conforme especificações técnicas, normas de segurança e com responsabilidade ambiental; • Atuar no planejamento e execução da manutenção elétrica e mecânica de equipamentos industriais; • Atuar em assistências técnicas de instalações elétricas e mecânicas de equipamentos industriais; O profissional egresso do Curso Técnico em Eletromecânica - PROEJA, formado no Campus Chapecó, deverá, ainda, ser capaz de: • Compreender e aplicar os conhecimentos científico-tecnológicos, para explicar o funcionamento do mundo e dos processos produtivos, planejando, executando e avaliando ações de intervenção na realidade. • Conhecer as formas contemporâneas de linguagem, com vistas ao exercício da cidadania e à preparação básica para o trabalho, incluindo a formação ética e o desenvolvimento da autonomia intelectual e do pensamento crítico. • Compreender a sociedade, sua gênese e transformação e os múltiplos fatores que nela intervêm, como produtos da ação humana e do seu papel como agente social. • Ler, articular e interpretar símbolos e códigos em diferentes linguagens e representações, estabelecendo estratégias de solução e integrando os conhecimentos das várias ciências e outros campos do saber. • Ter iniciativa, criatividade e responsabilidade. • Exercer liderança, sabendo trabalhar e coordenar equipes de trabalho que atuam na instalação, montagem, operação e manutenção de máquinas e equipamentos e posicionar-se, criticamente, frente às inovações tecnológicas. • Aplicar técnicas de medição e ensaios, auxiliando na avaliação das características e propriedades dos materiais, insumos e elementos de máquina, visando à melhoria da qualidade de produtos e serviços da planta industrial eletromecânica. • Realizar o controle de qualidade dos bens e serviços produzidos utilizando critérios de padronização e mensuração. • Executar a instalação de máquinas e equipamentos, especificando materiais, acessórios, dispositivos e instrumentos, que possibilitem a otimização de sistemas convencionais, propondo a incorporação de novas tecnologias. • Aplicar normas técnicas em processos de fabricação, instalação e operação de máquinas e equipamentos e na manutenção Eletromecânica, utilizando catálogos, manuais e tabelas. • Elaborar orçamentos de instalações eletromecânicas e de manutenção de máquinas e equipamentos, considerando a relação custo/benefício.

O Curso Técnico em Eletromecânica – PROEJA, apresenta como proposta metodológica a integração entre a formação geral e a formação profissional conforme documento base do PROEJA e diversos outros autores do campo da educação de jovens e adultos. A materialização da integração curricular ocorre por meio da unidade curricular integradora, denominada Projeto Integrador e, também, por meio de outras estratégias de integração, como por exemplo, oficinas de sistematização e de integração, visitas técnicas integradas, oficinas de acolhimento e atividades não-presenciais. Outro aspecto a ser considerado é a compreensão da especificidade desse público, em sua condição de jovens e adultos, trabalhadores estudantes, repetidamente excluídos da e na escola, com percursos de vulnerabilidade social, empregatícia e educacional, que vivenciam tempos de vida, cultura, identidade e saberes próprios e que demandam uma escola que concilie os períodos de trabalho e a jornada escolar. Os pressupostos políticos e pedagógicos, devido a essa característica fundamentam-se em: o reconhecimento dos saberes dos estudantes e de sua capacidade intelectual; a aprendizagem significativa, que coloque o aluno e suas expectativas como centro do processo educativo; a construção coletiva do conhecimento; a abordagem articulada e interdisciplinar das informações, buscando a percepção crítica das relações e dos fenômenos em seu contexto; o constante diálogo entre professor e aluno, aprimorando o acolhimento e criando uma dinâmica metodológica que motive a permanência dos estudantes; a organização diferenciada de tempos e espaços de aprendizagem, bem como de percursos curriculares, mais flexíveis e adaptados às condições concretas e diversas dos alunos, superando a linearidade esperada como “sucesso” escolar; a compreensão da avaliação como um processo indispensável ao diagnóstico e ao planejamento da aprendizagem coletiva, reduzindo sua função classificatória e reprobatória, que leva à concepção de “fracasso” escolar.

Jacson Rodrigo Dreher
depe.chapeco@ifsc.edu.br
(49)3313-1259

A avaliação será desenvolvida numa perspectiva processual e contínua, que busca a (re)construção do conhecimento coerente com a formação integral dos sujeitos, por meio de um processo interativo, considerando que o aluno é um ser criativo, autônomo, participativo e reflexivo, capaz de transformações significativas na realidade. A avaliação não privilegia a mera polarização entre o “aprovado” e o “reprovado”, mas sim a real possibilidade de mover os alunos na busca de novas aprendizagens. Não se separa a avaliação da aprendizagem. São partes constitutivas de um mesmo processo. Têm como função priorizar a qualidade e o processo de aprendizagem. Neste Projeto do Curso Técnico em Eletromecânica – PROEJA,considera-se a avaliação como um processo contínuo e cumulativo. Assim, são assumidas as funções: diagnóstica, formativa e somativa, de forma integrada ao processo ensino-aprendizagem, as quais devem ser utilizadas como princípios orientadores para a tomada de consciência das dificuldades, conquistas e possibilidades dos educandos. Igualmente, deve funcionar como instrumento colaborador na verificação da aprendizagem, levando em consideração o predomínio dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos. Entende-se que avaliar é reconhecer criticamente a razão da situação em que se encontra o educando e os obstáculos que o impedem de avançar na apreensão de novos conhecimentos. É importante que no momento da avaliação não sejam reproduzidas as exclusões vigentes na sociedade, as quais reforçam os fracassos já vivenciados e corroboram a crença de que não são capazes de aprender. A avaliação acontecerá por unidade curricular. Importante observar que por unidade curricular entende-se o conjunto de conteúdos e saberes científicos, cognitivos e simbólicos, conectados entre si, definidos a partir de competências e objetivos específicos a serem atingidos. Em conformidade com o Regime Didático-Pedagógico (RDP) do Campus, este projeto pedagógico prevê a expressão do resultado da avaliação final registrada por valores inteiros de 0 (zero) a 10 (dez). Sendo o resultado mínimo considerado para a aprovação em um componente curricular a nota 6 (seis). De acordo com as notas apresentadas, o registro final a ser definido em Conselho de Classe, apresenta-se da seguinte forma: Apto, Não-Apto. Os educandos que, em Conselho de Classe, apresentarem notas finais de aprovação e frequência mínima obrigatória (75%), na Unidade Curricular serão considerados Aptos. É possível também a validação da Unidade Curricular, podendo o professor optar por provas de conhecimento teórico, prático ou através de análise de currículo.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appserver3.srv3inst1 24/01/2020 12:19