Projeto Político Pedagógico

O perfil profissional de conclusão baseia-se no que está descrito no Catálogo Nacional de
Cursos Técnicos do MEC e a CBO (Classificação Brasileira de Ocupações). Segundo esses
documentos “O egresso de Mecatrônica está apto a atuar no projeto, execução e instalação de
máquinas e equipamentos automatizados e sistemas robotizados. Realiza manutenção, medições
e testes dessas máquinas, equipamentos e sistemas conforme especificações técnicas. Programa
e opera essas máquinas, observando normas de segurança, organização e disciplina. Age de
acordo com preceitos éticos, senso crítico, pró-atividade e filosofia de trabalho em equipe. Utiliza
conhecimentos sócioeconômico-ambientais, científicos e tecnológicos na tomada de decisões
inerentes à sua função, baseando-se em princípios investigativos. Comunica-se de forma
clara, inclusive em outras línguas.

De acordo com o catálogo nacional de cursos técnicos, o egresso poderá atuar nas áreas
relacionadas abaixo:
Indústria automobilística e metalmecânica. Fabricantes de máquinas, componentes e
equipamentos robotizados. Laboratórios de controle de qualidade. Prestadoras de serviço.

1) Apropriar-se dos conhecimentos científicos historicamente desenvolvidos no campo das
Ciências Naturais e Exatas, para que possam compreender a realidade e transformá-la e, em
articulação com as tecnologias advindas dessas ciências, contribuindo no processo de
desenvolvimento da sociedade;
2) Reconhecer e utilizar adequadamente, na forma oral e escrita, símbolos, códigos
e nomenclatura da linguagem científicas inerentes ao curso; sendo capaz de ler, articular e
interpretar estes símbolos e códigos em diferentes linguagens e representações, como:
sentenças, equações, esquemas, diagramas, tabelas, gráficos e representações geométricas;
3) Compreender os princípios científicos presentes nas tecnologias, identificando
informações e variáveis relevantes para a resolução de situações-problema, de acordo com sua
capacidade técnica;
4) Estruturar o raciocínio lógico e, enquanto instrumental, utilizar o conhecimento
matemático na resolução de problemas práticos em outras áreas do conhecimento e em suas
atividades profissionais;
5) Compreender o corpo humano como um todo integrado e a saúde como um
bem-estar físico, social e psíquico do indivíduo;
6) Construir uma consciência crítica acerca do papel das diferentes linguagens,
possibilitando compreender e explorar a estrutura e funcionamento da língua, sob o ponto de vista
pragmático, comunicativo e discursivo;
7) Compreender a interação entre ciência, sociedade e tecnologia, construindo uma
consciência crítica através da compreensão do mundo e de suas transformações históricas,
geográficas, sociais, culturais, políticas e econômicas, e o estabelecimento de relações com
conhecimentos do cotidiano, contribuindo para o processo de desenvolvimento como indivíduo
atuante na sociedade;
8) Utilizar as bases tecnológicas de gestão e de empreendedorismo para planejar,
supervisionar, controlar e realizar ações de montagem e de manutenção corretiva e preventiva de
sistemas mecatrônicos, podendo ainda programar e operar máquinas e sistemas. automatizados
de manufatura;
9) Atuar em laboratórios, salas de projeto, em oficinas ou em campo, testando o
funcionamento, reparando ou substituindo componentes danificados, empregando conhecimentos
técnicos, ferramentas e dispositivos específicos, de acordo com normas técnicas, ambientais, de
qualidade e segurança e procedimentos industriais;
10) Utilizar recursos computacionais (CAD/CAE/CAM) aplicados à mecatrônica
para atuar no desenvolvimento de projetos e produtos;
11) Utilizar o raciocínio lógico para programação e compreensão dos equipamentos
e dispositivos mecatrônicos;
12) Controlar a qualidade de produtos em processos de usinagem, empregando
técnicas e instrumentos adequados de medição, de acordo com normas e padrões pertinentes
com tolerâncias estabelecidos;
13) Realizar testes, ensaios, inspeções e experimentos referentes ao desempenho de
equipamentos e sistemas automatizados, emitindo relatórios.

Metodologia:
A metodologia adotada no curso técnico integrado será por fases utilizando-se estratégias
pedagógicas para um ensino contextualizado, interdisciplinar e flexível. Entende-se por fase um período
letivo anual.
O desenvolvimento do projeto será efetivado tendo como princípio básico a pesquisa no ensino, o
desenvolvimento e execução de aulas teóricas e práticas, projetos, resolução de situações problemas,
seminários, viagens de estudos e entre outras situações de aprendizagem com possibilidades de extensão
destas atividades.
As metodologias deverão proporcionar análises interpretativas e críticas das práticas sociais explicitando as
diferenças, reconhecendo-as e não as discriminando, assegurando o conhecimento para permanência e
êxito do estudante na Instituição.
A prática profissional compreenderá diferentes situações de vivência, aprendizagem e trabalho, como
experimentos e atividades específicas em ambientes especiais, tais como laboratórios, oficinas, empresas
pedagógicas, ateliês e outros, bem como investigação sobre atividades profissionais, projetos de pesquisa
e/ou intervenção, palestras técnicas, visitas técnicas, simulações, observações e outras.

Chefe DEPE:
Prof. Eng. Geóvio Kroth
ensino.criciuma@ifsc.edu.br
Telefone (48)3462-5023

Avaliação da aprendizagem:
A avaliação da aprendizagem será de acordo com o Regimento Didático Pedagógico do IFSC, como
segue:
Art. 35. A avaliação da aprendizagem tera como parâmetros os princípios do PPI e o perfil de conclusão do
curso definido no PPC.
Paragrafo único. A avaliação dos aspectos qualitativos compreende o diagnostico, a orientação e
a reorientação do processo de ensino e aprendizagem visando a construção dos conhecimentos.
Art. 36. Os instrumentos de avaliação serão diversificados e deverão constar no plano de ensino
do componente curricular, estimulando o aluno a: pesquisa, reflexão, iniciativa, criatividade,
laboralidade e cidadania.
As avaliações podem constar de:
I - observação diária dos alunos pelos professores, em suas diversas atividades;
II - trabalhos de pesquisa individual ou coletiva;
III - testes e provas escritos, com ou sem consulta;
IV - entrevistas e arguições;
V - resoluções de exercícios;
VI - planejamento ou execução de experimentos ou projetos;
VII - relatórios referentes aos trabalhos, experimentos ou visitas técnicas;
VIII - atividades praticas referentes aquela formação;
IX - realização de eventos ou atividades abertas a comunidade;
X - autoavaliação descritiva e avaliação pelos colegas da classe;
XI - demais instrumentos que a prática pedagógica indicar.
Paragrafo único. As avaliações serão registradas no diário de classe, sendo analisadas
conjuntamente com os alunos e devolvidas aos mesmos, no prazo máximo de 15 (quinze) dias
letivos apos sua aplicação.
Art. 37. O aluno tera nova oportunidade de prestar atividades de avaliação não realizadas por
motivo de doença ou por falecimento de familiares, convocação do judiciário e do serviço militar,
desde que encaminhe em ate 2 (dois) dias letivos contados do final do afastamento, um
requerimento a Coordenadoria de Curso, com os documentos comprobatórios do impedimento.
§ 1o O requerimento devera indicar a data e horário das atividades de avaliação não realizadas, o
componente curricular e o nome do seu professor.
§ 2o Para comprovação de ausência por motivo de saúde, somente será aceito o atestado médico
ou odontológico.
A avaliação da aprendizagem baseia-se no que prevê o artigo 34 da resolução do CNE 6/2012:
"visa à sua progressão para o alcance do perfil profissional de conclusão, sendo contínua e cumulativa, com
prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos".
A avaliação é um processo de corresponsabilidades de professores e estudantes. É ela que
orienta os estudantes para a realização de seus trabalhos e suas aprendizagens, ajudando-os a localizar
suas dificuldades e suas potencialidades redirecionando-os em seus percursos. Para o professor a
avaliação faz parte do cotidiano, das tarefas propostas, das observações e das práticas de sala de aula
essencial para dar prosseguimento aos percursos de aprendizagem dos estudantes.
A avaliação será processual e diagnóstica, acompanhando o desempenho e desenvolvimento
do estudante na constituição das competências e habilidades requeridas para o exercício profissional da
cidadania, numa constante prática de ação-reflexão-ação, de todos os elementos envolvidos no processo
ensino aprendizagem.
Os instrumentos de acompanhamento do processo de ensino aprendizagem dentro dessa
perspectiva serão organizados por meio de projetos, provas, apresentação oral, portfólios, pesquisa teórica
e de campo, trabalhos individuais e de grupo, seminários, defesas de trabalhos, autoavaliação, entre outros.
Os registros das avaliações serão feitos de acordo com o Regimento Didático Pedagógico.
Os conselhos de classe serão realizados em dois momentos:
a) Parcial: ao final do primeiro semestre ou início do segundo;
b) Final: realizado no fim do ano letivo, onde será definido a aprovação ou reprovação do
discente.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker4-srv1.appdocker4-inst102/12/2020 03:03