Projeto Político Pedagógico

Compreender os aspectos teóricos da extensão (conceitos, histórico, exemplos de atividades,
indissociabilidade e possibilidades de atuação);
Analisar o contexto socioeconômico em que o câmpus está inserido e identificar as demandas sociais e
potenciais negócios;
Propor formas de aplicação dos conhecimentos adquiridos no curso às demandas e oportunidades locais
identificadas;
Ampliar o senso de cidadania, a valorização do Estado brasileiro e o trabalho em grupo multidisciplinar,
valorizando a diversidade e reconhecendo as individualidades dos sujeitos.

O egresso terá condições de qualificar suas práticas em qualquer área de atuação, com foco na intervenção
no ambiente externo, de modo mais integrado com as ações de ensino e pesquisa aplicada e em conjunto
com a comunidade (empresas, organizações da sociedade civil, ONGs etc.).

Compreender os aspectos teóricos da extensão (conceitos, histórico, exemplos de atividades,
indissociabilidade e possibilidades de atuação);
Analisar o contexto socioeconômico em que o câmpus está inserido e identificar as demandas sociais e
potenciais negócios;
Propor formas de aplicação dos conhecimentos adquiridos no curso às demandas e oportunidades locais
identificadas;
Ampliar o senso de cidadania, a valorização do Estado brasileiro e o trabalho em grupo multidisciplinar,
valorizando a diversidade e reconhecendo as individualidades dos sujeitos.

Este curso foi concebido de modo coletivo, por meio de cocriações realizadas com a participação de
alunos, servidores e comunidade externa. Entre os servidores, participaram membros da diretoria de
extensão do IFSC (reitoria), coordenadores de extensão dos câmpus, professores internos e de instituições
parceiras que possuem experiência em extensão. Foram realizados três encontros utilizando-se técnicas de
cocriação e os dados coletados foram sistematizados para a concepção deste projeto pedagógico. Entendese
que essa metodologia contribuiu para uma concepção alicerçada em múltiplas visões de mundo,
alinhada a demandas organizacionais e externas, bem como valorizou os anseios e necessidades da
comunidade acadêmica em relação à prática da extensão.
A proposta do curso articula teoria e prática em educação para extensão, a fim de proporcionar aos
participantes sinteticamente: 1) o entendimento e sensibilização acerca da extensão; 2) contato e análise
com o ambiente externo e 3) a elaboração de uma proposta inicial de ação extensionista no espaço local.
Considerando a possibilidade de interação e aprendizagem colaborativa utilizando a Web, este
curso será desenvolvido por meio do Ambiente Virtual de Ensino e Aprendizagem (AVEA) do IFSC, o
Moodle. Nesses ambientes, a interação ocorre por meio de dispositivos que permitem a comunicação tanto
de forma síncrona quanto assíncrona, possibilitando a criação de diferentes situações e procedimentos
didáticos para incentivar a dialogicidade e a interação entre os atores envolvidos nesse processo. Serão
explorados diversos objetos de aprendizagem, tais como livros e vídeos didáticos, wikis, fóruns e bases de
dados, sempre visando a diversificar as estratégias pedagógicas para facilitar o processo formativo dos
diversos perfis de alunos. Além desses recursos, as videoconferências e webconferências também serão
utilizadas para comunicação com os participantes, principalmente nos casos que exigem maior interação
entre os envolvidos, como quando se faz necessário explicar detalhadamente um tema/atividade ou
socializar resultados de atividades propostas.

O curso será ofertado para alunos regulares e servidores de todas as áreas, em uma proposta
inovadora, na qual todos serão alunos e poderão construir conhecimentos juntos ao longo das estratégias
pedagógicas propostas. Oportuniza-se, assim, a aproximação/fortalecimento da relação aluno-servidor e
formação de grupos de pesquisa e extensão. O curso também estará disponível para todos os câmpus, o
que abre a possibilidade de validar sua carga horária ou parte dela como atividade de extensão dos cursos
regulares.

Além das atividades desenvolvidas remotamente, está prevista uma atividade formativa que objetiva
a aproximação com a realidade da comunidade externa, por meio da realização de uma visita técnica
focada na inovação social, que ocorrerá com o apoio do coordenador de extensão do câmpus.
Com o objetivo de gerar engajamento dos alunos e interação com a comunidade externa, propõe-se
que as atividades sejam realizadas por meio de desafios, abordagem comum da gamificação na educação.
Por meio desses desafios, instigar-se-á a colaboratividade, a atitude crítico-reflexiva e entregas pontuais
relativas à teoria e à prática propostas nessa formação. Um exemplo de desafio a ser proposto seria a ida
até uma organização ou comunidade, entrevistar cinco pessoas e compartilhar com os cursistas, por meio
audiovisual, um relato dessa experiência, correlacionando a experiência aos conteúdos propostos no curso.

Douglas Paulesky Juliani

Contatos:
Centro de Referência em Formação e Educação a Distância/IFSC
Telefone: (48) 3131 8800
E-mail: douglas.juliani@ifsc.edu.br

A avaliação da aprendizagem terá como parâmetros os princípios do projeto político institucional, o
regimento didático-pedagógico e as competências do egresso do curso. Serão considerados aspectos
qualitativos de diagnóstico, orientação e reorientação do processo de ensino e aprendizagem, visando à
construção de conhecimentos desde a abertura do curso no moodle (fase inicial) até a videoconferência de
encerramento.
Durante o desenvolvimento do curso, a avaliação ocorrerá de forma contínua e processual. O
docente deverá acompanhar e verificar, por meio da participação dos estudantes, o desempenho, as
competências e habilidades adquiridas, seus avanços e/ou dificuldades.
A avaliação dos estudantes será realizada como parte integrante do processo educativo e
acontecerá ao longo do curso, de modo a permitir reflexão-ação-reflexão da aprendizagem e a apropriação
do conhecimento, resgatando suas dimensões diagnóstica, formativa, processual e somativa.
Serão combinados diversos instrumentos avaliativos, os quais terão seus pesos e desempenhos
estabelecidos no Plano de Ensino, a ser apresentado no primeiro dia do curso e disponibilizado no ambiente
virtual. As atividades avaliativas ocorrerão a distância, no ambiente virtual de ensino e aprendizagem
Moodle, priorizando o desenvolvimento de atividades práticas e que estimulem o uso das competências
pessoais do aluno na atuação do seu entorno (arranjo produtivo local).
De acordo com o art. 41 da nova RDP do IFSC, o resultado da avaliação será registrado por valores
inteiros de 0 (zero) a 10 (dez):
§ 1º O resultado mínimo para aprovação em um componente curricular é 6 (seis).
§ 2º Ao aluno que computar menos de 75% (setenta e cinco por cento) da carga
horária estabelecida no PPC para o componente curricular, será atribuído o resultado 0
(zero).
§ 3º O registro parcial de cada componente curricular será realizado pelo professor
no diário de classe na forma de valores inteiros de 0 (zero) a 10 (dez).
§ 4º A decisão do resultado final, pelo professor, dependerá da análise do conjunto
de avaliações, suas ponderações e as discussões do conselho de classe final.
§ 5º A avaliação será realizada, em cada componente curricular, considerando os
objetivos/competências propostos no plano de ensino.
De acordo com a Lei nº 9.394/1996, é obrigatória a frequência de alunos e
professores de 75% (setenta e cinco por cento) da carga horária estabelecida no PPC para
cada componente curricular, salvo nos programas de educação a distância.
O aluno terá nova oportunidade de prestar atividades de avaliação não realizadas por motivo de
doença ou por falecimento de familiares, convocação do judiciário e do serviço militar, desde que encaminhe
a solicitação em até 2 (dois) dias letivos contados do final do afastamento, com os documentos
comprobatórios do impedimento. De acordo com a RDP, o requerimento deverá indicar a data e horário das
atividades de avaliação não realizadas, o componente curricular e o nome do professor.
Todas as atividades serão examinadas ao longo do curso por meio de critérios pré-estabelecidos e
divulgados no ambiente virtual. Assim os alunos saberão previamente como serão avaliados em cada
atividade proposta e poderão ser acompanhados, de forma a identificar eventuais dificuldades. Há, portanto,
a possibilidade de saná-las antes de avançar para a próxima etapa do curso.
Será oportunizada a recuperação dos estudos aos alunos por meio de ações pedagógicas que
ressignifiquem as atividades perdidas e favoreçam a permanência dos cursistas ao longo da formação.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker5-srv1.appdocker5-inst107/07/2022 11:50