Projeto Político Pedagógico

Desempenha atividades de controle e avaliação de processos de organização, higiene e manipulação de alimentos em mesas, depósitos e cozinhas do local de trabalho. Realiza inventários de estoques de bebidas e utensílios de salão e bar. Recepciona clientes. Oferece produtos e serviços. Coordena e supervisiona os serviços de mesa e coquetelaria. Aplica técnicas de harmonização entre alimentos e bebidas
  • Restaurantes
  • Bares
  • Cafeterias
  • Meios de hospedagem
  • Comércio
  • Vinícolas
  • Embarcações
  • Catering
  • Eventos
  • Enoturismo
  • Serviços a particulares
  1. Organizar, operacionalizar e supervisionar os serviços de alimentos e bebidas em apartamentos, cambuza, bar e sala de restaurante;Recepcionar, encaminhar e atender ao cliente no salão e bar do restaurante, bares e similares;
  2.  Realizar o serviço de sala, mesa e copa com domínio da etiqueta; Responsabilizar-se pela carta de bebidas do estabelecimento;
  3.  Aplicar o correto serviço de Sommellerie no serviço, degustação e harmonização de bebidas;
  4.  Fornecer informações complementares sobre as bebidas disponíveis no estabelecimento;
  5.  Responsabilizar-se pela criação, manutenção e inovação da carta de bebidas do estabelecimento, aplicando corretamente as técnicas de elaboração de drinks e coquetéis;
  6.  Planejar, controlar e inventariar estoques e compras de bebidas e utensílios do estabelecimento;
  7. Comercializar os produtos do cardápio na operação de serviços;
  8.  Comunicar-se de maneira adequada no contexto profissional;
  9.  Aplicar os princípios higiênico-sanitários na manipulação, no preparo e no serviço de alimentos e bebidas;
  10. Aplicar princípios éticos e críticos em sociedade e, especificamente, diante das relações do mundo do trabalho;
  11.  Aplicar os princípios da responsabilidade socioeconômica e ambiental.
 
O Curso Técnico em Restaurante e Bar orienta-se pelo Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) do IFSC e pela Organização Didática (OD) do Campus Florianópolis-Continente. O Campus Florianópolis-Continente desenvolverá uma política de formação permanente para os seus educadores. Isso possibilita a qualificação e a integração com o Projeto Pedagógico da Instituição. Serão realizadas reuniões periódicas visando o monitoramento das ocorrências do curso. O currículo elaborado por competências implica em ações pedagógicas que possibilitem ao aluno a construção de seu conhecimento. Além disso, o espaço constituído na escola possibilita interação permanente entre discentes, docentes e demais servidores de modo que gere ações críticas, reflexivas e construtivas. O fazer pedagógico se dá através de atividades em sala de aula com aulas expositivo-dialogadas, estudos dirigidos, apresentações, seminários e desenvolvimento de projetos. Visitas técnicas/culturais pedagógicas, estudos de caso, levantamento de problemas e busca de soluções no entorno da Instituição são atividades que complementam e dinamizam o processo. Priorizando o caráter prático e o saber-fazer evidenciado na área de Restauração e Serviço de Bebidas, as aulas desenvolvem-se sobretudo com o uso simultâneo de aulas teóricas e práticas, ressignificando a teoria e dando subsídios científicos ao que peposto em prática, de modo a proporcionar uma formação integral e integradora aos alunos e um maior número de habilidades e competências aos egressos.

Diretora DEPE:

Profª. Jane Parisenti
(48) 3877-8430
janeparisenti@ifsc.edu.br
 
Contato:
Prof. Jucelio Kulmann de Medeiros
(48) 9905-7590
jucelio.medeiros@ifsc.edu.br
A avaliação como ato diagnóstico e como processo contínuo tem por objetivo a inclusão, subsidiando ações que viabilizem tanto o domínio técnico como o domínio dos demais aspectos relevantes à formação do cidadão. Serve para indicar avanços e dificuldades na ação educativa, devendo subsidiar a reflexão da prática  pedagógica.
Entre os princípios considerados pela Instituição, e em consonância com o Regimento Didático Pedagógico (RDP) do IFSC, a avaliação prima pelo caráter diagnóstico e formativo , devendo ser processual, somativa, continuada e diversificada, consistindo em um conjunto de ações que permitam recolher dados, visando à análise da constituição das competências por parte do aluno, previstas no plano de curso. O processo avaliativo integra o conjunto de  conhecimentos e habilidades, conforme descrito nas matrizes curriculares, e de atitudes gerais, conforme descrito:
  1. Postura ética e crítica em relação aos temas e conteúdos abordados;
  2. Assiduidade e pontualidade nas aulas;
  3. Participação nas aulas e empenho nas atividades propostas;
  4. Iniciativa, disponibilidade, flexibilidade, criatividade e organização;
  5. Trabalhos em grupos, compartilhamento de responsabilidades e respeito às diferenças;
  6. Respeito à comunidade acadêmica e zelo pelo patrimônio escolar. São consideradas funções primordiais da avaliação:
  7. obter evidências sobre o desenvolvimento do conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes, visando a tomada de decisões sobre o encaminhamento dos processos de ensino-aprendizagem e a progressão do aluno para o semestre seguinte;
  8. analisar a consonância do trabalho pedagógico com as finalidades educativas previstas no Projeto Pedagógico do Curso;
  9. estabelecer previamente, por unidade curricular, critérios que permitam visualizar os avanços e as dificuldades dos alunos na constituição das competências.

Os critérios servirão de referência para o aluno avaliar sua trajetória e para que o professor tenha indicativos que sustentem tomadas de decisões sobre o encaminhamento dos processos de ensino e aprendizagem e a progressão dos alunos. Os registros das avaliações são feitos de acordo com o estabelecido no RDP.
O registro, para fins de documentos acadêmicos, será efetivado ao final de cada semestre letivo, apontando a situação do aluno no que se refere à constituição de competências, em diário de classe e no sistema acadêmico, conforme nomenclatura prevista no RDP.
A partir da avaliação efetuada pelo professor, serão realizadas avaliações coletivas em reuniões que terão o caráter de avaliação integral do processo didático-pedagógico em desenvolvimento no Componente Curricular. As avaliações coletivas envolverão os professores e os profissionais do núcleo pedagógico. Esses  encontros serão realizados, pelo menos, em dois momentos institucionalizados como os Conselhos de Classe Intermediário (na metade do semestre), e Conselho de Classe Final (no encerramento do semestre).
As atividades de avaliação acontecerão durante todo o processo de ensino-aprendizagem, valorizando o crescimento do aluno qualitativa e  quantitativamente, com a previsão de recuperação paralela de conteúdos e avaliações ao longo do semestre. A recuperação de estudos deverá compreender a realização de novas atividades pedagógicas no decorrer do período letivo que possam promover a aprendizagem, tendo em vista o  desenvolvimento das competências. Ao final dos estudos de recuperação o aluno será submetido à avaliação, cujo resultado será registrado pelo professor.
Para a aprovação o aluno deverá atingir, no mínimo, 75% de  frequência em cada Unidade Curricular e nota miníma para  aprovação 6,0 (seis)
Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appserver1.srv1inst1 19/02/2020 08:43