Projeto Político Pedagógico

Realiza atividades de recepção, reserva, governança, mensageria e concièrgerie em meios de hospedagem. Supervisiona a manutenção dos equipamentos. Executa serviços de atendimento e suporte aos clientes.

Hotéis, resorts, motéis, SPAs, pousadas, albergues, colônias de férias, flats, condotel, condomínios residenciais e de lazer. Hospitais, clínicas e casas de repouso. Hospedarias, estalagens, acampamentos e acantonamentos. Navios, cruzeiros, plataformas petróleo.

a. Organizar tarefas setoriais respeitando a estrutura organizacional do meio de hospedagem;
b. Sistematizar as informações sobre os atrativos e os serviços da destinação turística para o atendimento
ao hóspede, aplicando os conceitos de turismo e hospitalidade;
c. Executar procedimentos operacionais de reservas, utilizando técnicas específicas, considerando as
políticas estabelecidas pelo empreendimento e controlar a disponibilidade de ocupação das unidades
habitacionais do meio de hospedagem;
d. Executar procedimentos operacionais para venda, montagem, estruturação e controle dos espaços de
eventos dos meios de hospedagem;
e. Realizar os procedimentos operacionais de atendimento ao hóspede nacional ou estrangeiro na chegada,
permanência e saída do meio de hospedagem;
f. Supervisionar e operacionalizar a higienização e arrumação das unidades habitacionais, das áreas sociais
e de serviços;
g. Controlar materiais de suprimentos das unidades habitacionais, de higiene e limpeza e equipamentos do
setor de governança;
h. Organizar a rotina operacional das atividades diárias e a alocação de pessoal nos setores de governança
e recepção nos meios de hospedagem;
i.. Aplicar os princípios da responsabilidade socioambiental no setor de Hospedagem;
j. Aplicar princípios éticos e críticos em sociedade e, especificamente, diante das relações do mundo do
trabalho.
l. Operacionalizar serviços básicos de café da manhã e room service;
m. Realizar os procedimentos relativos a reservas, à recepção, à governança e a eventos nos sistemas informatizados disponíveis pelo empreendimento.

O curso Técnico em Hospedagem tem a duração de um 1 (um) ano , dividido em 2 semestres , com
400h em cada um deles e com o prazo mínimo de integralização da carga-horária total de 800 horas. As
aulas ocorrerão no período noturno, de segunda à sexta-feira. Ressalta-se que poderão ocorrer,
eventualmente, aulas aos sábados.
O currículo elaborado visa à formação integral e profissional do educando, por meio de ações
pedagógicas que possibilitem a construção de seu conhecimento e prezando pela integração entre as
disciplinas da formação profissional. Fundamenta-se em uma concepção de processo ensino-aprendizagem
por competências, cuja ênfase está na capacidade do aluno articular e mobilizar habilidades, conhecimentos
e atitudes para a resolução de problemas profissionais e atuar de forma crítica e transformadora em todas
as esferas de sua vida e da sociedade em que vive. Assim, propõe um currículo que valoriza a prática do
diálogo e de ações que promovam tanto a autonomia, quanto uma postura solidária e ética por parte dos
estudantes. Além disso, busca-se promover uma ação pedagógica de valorização do ser humano, da
natureza e da sociedade como um todo. Dessa forma, os profissionais formados pelo IFSC Câmpus
Garopaba estarão preparados para agir profissionalmente com ética, responsabilidade e respeito.
Nesse processo, o papel do professor será o de mediador, tendo como objetivo propiciar o exercício
contínuo e contextualizado dos processos de mobilização, articulação, reelaboração e aplicação do
conhecimento. As principais metodologias utilizadas para esse fim serão aulas expositivas dialogadas, aulas
práticas, estudos dirigidos, dinâmicas de grupo, visitas técnicas, apresentações, seminários e/ou palestras,
desenvolvimento de projetos. Como uma forma de inserir o aluno no mundo do trabalho e propor uma
vivência mais consistente na área, serão também realizadas aulas práticas de laboratório, já montado e
equipado no próprio câmpus Garopaba, nas quais o aluno terá a possibilidade de visualizar a aplicação dos
conhecimentos teóricos adquiridos em sala de aula.
Viagens e visitas técnicas/culturais pedagógicas, estudos de caso, levantamento de problemas e
busca de soluções no entorno da Instituição são atividades que complementam e dinamizam o processo.
Nos dois módulos do curso, as viagens e visitas técnicas ocorrerão de acordo com o agendamento e a
programação de cada professor e de acordo com o conhecimento trabalhado na unidade curricular. Como
ferramenta de uma formação completa, indica-se que as visitas ocorrerão nos principais equipamentos e
atrativos turísticos da região de Garopaba e Imbituba e, se necessário for, em outras regiões do Estado.
Como forma de valorizar também o saber prático, todas as disciplinas poderão ter em sua grade de
programação palestras técnicas com profissional da área de turismo por semestre. A prática de mercado
proporciona ao aluno uma visão mais ampla da realidade onde deseja se inserir profissionalmente. Tal fato
demonstra a preocupação do Câmpus Garopaba em formar um aluno ético, responsável e com habilidades,
conhecimentos e atitudes de bons profissionais da área do turismo, hospitalidade e lazer.

Chefe DEPE: André Luiz Silva de Moraes, andre.moraes@ifsc.edu.br, 3254-7330.
Coordenador do Curso: Ícaro Coriolano Honório, icaro.coriolano@ifsc.edu.br, 3254-7333

A avaliação da aprendizagem primará pelo caráter diagnóstico, processual e formativo e, de acordo
com o PPI (Projeto Pedagógico Institucional) do IFSC, por ser um processo, pode indicar avanços e
dificuldades na ação educativa. A avaliação, não deve ser um instrumento de classificação, seleção e
exclusão social, mas de construção coletiva dos sujeitos e de uma escola de qualidade.
Partindo dessa concepção, as avaliações da aprendizagem referentes a cada componente
curricular do curso serão organizadas pelo professor responsável considerando os conhecimentos, as
competências e habilidades propostas em cada um deles e seguindo as orientações dispostas no
Regulamento Didático-Pedagógico (RDP) em vigor.
Conforme o art. 96 do RDP, nos cursos técnicos de nível médio a avaliação da aprendizagem terá
como parâmetros os princípios do PPI e o perfil profissional do egresso definido neste Projeto Pedagógico
de Curso, sendo que a avaliação dos aspectos qualitativos compreende o diagnóstico, a orientação e a
reorientação do processo de ensino e aprendizagem visando à construção dos conhecimentos.
Todas as avaliações serão registradas no diário de classe, analisadas com os alunos e devolvidas
aos mesmos, no prazo máximo de 15 (quinze) dias letivos após sua aplicação.
Considerando que os instrumentos de avaliação de aprendizagem devam ser diversificados,
estimular à pesquisa, reflexão, iniciativa, criatividade, laboralidade e cidadania, poderão ser:
a) observação diária do aluno, considerando também suas atitudes;
b) trabalhos de pesquisa individual ou coletiva;
c) testes e provas escritos, com ou sem consulta;
d) resoluções de exercícios;
e) planejamento e elaboração de projetos;
f) relatórios referentes aos trabalhos e visitas técnicas;
g) realização de eventos ou atividades abertas à comunidade;
h) autoavaliação descritiva e avaliação pelos colegas da classe;
i) entrevistas;
j) realização de trabalho práticos;
k) demais instrumentos que a prática pedagógica indicar.
Os art. 97, 98 e 99 do RDP, respectivamente, indicam que o aluno terá direito de prestar atividades
de avaliação não realizadas por motivo de doença ou por falecimento de familiares, convocação do
judiciário e do serviço militar, de recuperar estudos visando a promoção da aprendizagem, bem como
solicitar a revisão de atividade de avaliação, quando discordar da correção realizada pelo professor.
A recuperação de estudos, a que todos os alunos têm direito, compreenderá a realização de novas
atividades pedagógicas no decorrer do período letivo, que possam promover a aprendizagem. Em
atendimento ao RDP (Art. 98), as novas atividades ocorrerão, preferencialmente, no horário regular de aula,
podendo ser criadas estratégias alternativas que atendam necessidades específicas, tais como atividades
sistemáticas em horário de atendimento paralelo e estudos dirigidos. Ao final dos estudos de recuperação, o
aluno será submetido à nova avaliação cujo resultado será registrado pelo professor, prevalecendo o maior
valor entre o obtido na avaliação realizada antes da recuperação e o obtido na avaliação após a
recuperação.
Em consonância com o art. 102 do RDP, o resultado da avaliação final será registrado por valores
inteiros de 0 (zero) a 10 (dez), assim como o registro parcial de cada componente curricular. O resultado 

mínimo para aprovação em um componente curricular é 6 (seis). Ao aluno que comparecer a menos de 75%
(setenta e cinco por cento) da carga horária estabelecida no PPC para o componente curricular será
atribuído o resultado 0 (zero). A decisão do resultado final, pelo professor, dependerá da análise do conjunto
de avaliações, suas ponderações e as discussões do conselho de classe final.
Por semestre, o curso terá dois conselhos de classe que serão realizados conforme o Art.103 do
RDP.
É importante ressaltar também que ao matricular-se no componente curricular, o aluno poderá
apresentar requerimento na Secretaria e solicitar aproveitamento de estudos concluídos com êxito por
componente curricular ou área de conhecimento, conforme artigos 91 a 94 do RDP, e também o
extraordinário aproveitamento nos estudos (EAE), art. 95 do RDP.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker2-srv2.appdocker2-inst219/10/2021 02:37