Projeto Político Pedagógico

O Licenciado em Física é o professor que planeja, organiza e desenvolve atividades e materiais
relativos ao ensino de Física. Sua atribuição central é a docência na Educação Básica, que requer sólidos
conhecimentos sobre os fundamentos da Física, sobre seu desenvolvimento histórico e suas relações com
diversas áreas, bem como estratégias para a transposição do conhecimento da Física para o conhecimento
escolar. Além de trabalhar diretamente na sala de aula, o licenciado elabora e analisa materiais didáticos,
como livros, textos, vídeos, programas computacionais, ambientes virtuais de aprendizagem, entre outros.
Realiza, ainda, pesquisas em ensino de Física, coordena e supervisiona equipes de trabalho. Em sua atuação,
prima pelo desenvolvimento do estudante, incluindo sua formação ética, a construção de sua autonomia
intelectual e de seu pensamento crítico.

O Licenciado em Física trabalha como professor em instituições de ensino que ofertem a Educação
Básica; em editoras e em órgãos públicos e privados que produzam e avaliem programas e materiais didáticos
para o ensino presencial e a distância. Além disso, atua em espaços de educação não formal, como feiras de
divulgação científica e museus; em empresas que demandem formação específica e em instituições que
desenvolvam pesquisas educacionais. Também pode atuar de forma autônoma em empresa própria ou
prestando consultoria.

De acordo com as Diretrizes Nacionais Curriculares para os Cursos de Física (CNE/CES n°
1.304/2001), espera-se que o licenciado em Física tenha uma formação ampla e flexível, desenvolvendo
habilidades e conhecimentos necessários às expectativas atuais, além da capacidade de adequação a
diferentes perspectivas de atuação futura.
Desse modo, almeja-se que, ao final do curso, o licenciado tenha constituídas as seguintes
competências profissionais:
1) Com relação à formação humanística, o egresso deve possuir capacidade de:
• Analisar criticamente os seus próprios conhecimentos, assimilando os novos conhecimentos
científicos e/ou educacionais e refletir sobre o comportamento ético que a sociedade espera de sua atuação
e de suas relações com o contexto ambiental, cultural, socioeconômico e político.
• Refletir os aspectos filosóficos, sociais, culturais, de gênero, étnicos e políticos presentes na
realidade em que está inserido.
• Trabalhar em prol da coletividade, respeitando as diversas formas de expressão e os princípios
democráticos.
• Exercer a profissão respeitando o direito à vida e ao bem-estar dos cidadãos, a partir de uma
formação humanística.
2) Com relação à compreensão da Física, o egresso deve possuir capacidade de:
• Utilizar sua compreensão sobre conceitos, leis e princípios da Física e familiarizar-se com suas
áreas clássicas e modernas necessárias à atuação profissional.
• Descrever e explicar fenômenos naturais, processos e equipamentos tecnológicos em termos de
conceitos, teorias e princípios físicos gerais.
• Acompanhar, compreender e contribuir com os avanços científico-tecnológicos de sua área de
atuação.
• Reconhecer a Física como uma construção humana e compreender os aspectos históricos de sua
produção, além de suas relações com o contexto ambiental, cultural, socioeconômico e político.
• Desenvolver um processo de formação contínua, por meio de estudos extracurriculares individuais
ou em grupo, com espírito investigativo, criatividade e iniciativa na busca de soluções para questões
individuais e coletivas relacionadas ao Ensino de Física.
3) Com relação à busca de informação e à linguagem, o egresso deve possuir capacidade de:
• Ler textos científico-tecnológicos, essencialmente da área da Física e do ensino de Física.
• Interpretar e utilizar as diferentes formas de representação (fórmulas, tabelas, gráficos, símbolos,
expressões, entre outras).
• Produzir e/ou avaliar criticamente materiais didáticos e paradidáticos.
• Comunicar, de forma oral e escrita, projetos e resultados de pesquisa na linguagem científica e
educacional.
• Analisar situações de produção escrita, oral e imagética, visando às práticas de linguagem,
através dos gêneros discursivos escolares e não escolares.
• Compreender o funcionamento sociopragmático do texto: contexto de emergência, produção,
circulação e recepção; manifestações de vozes e pontos de vista.
• Confrontar ideias construindo argumentos conforme a situação de interação verbal.

• Reconhecer a linguagem como via de produção de conhecimento e intervenção na realidade
social.
4) Com relação ao ensino de Física, o egresso deve possuir capacidade de:
• Refletir, de forma crítica, sobre sua prática em sala de aula com vistas a aprimorar o processo de
ensino/aprendizagem.
• Entender e promover o processo de ensino e aprendizagem pautados na perspectiva da
construção do conhecimento.
• Analisar a realidade escolar e pedagógica, pautado nos princípios da pesquisa, a fim de
compreender e buscar soluções para as questões pedagógicas e educacionais.
• Compreender e avaliar, criticamente, aspectos tecnológicos, ambientais, políticos e éticos
relacionados às aplicações das Ciências da Natureza, especialmente da Física.
• Entender, produzir e utilizar a experimentação em Física como recurso didático.
• Compreender as possibilidades do uso de Tecnologias de Informação e Comunicação para a
utilização no Ensino de Física.
• Compreender as teorias que fundamentam o processo de ensino e de aprendizagem, objetivando
a ação pedagógica.
• Organizar o trabalho pedagógico para o preparo do exercício democrático em sala de aula.
• Buscar conhecer e vivenciar diferentes projetos e propostas pedagógicas e curriculares de Física
em âmbito nacional e regional.
• Desenvolver recursos didáticos relativos à atuação docente.
• Avaliar a qualidade e a possibilidade de utilização de diferentes materiais e recursos didáticos
existentes para o ensino de Física.
5) Com relação à profissão, o egresso deve possuir capacidade de:
• Compreender a importância da profissão como possibilidade de desenvolvimento social e coletivo.
• Exercer a sua profissão, com dinamismo e criatividade, na busca de novas alternativas
educacionais, enfrentando os desafios da prática pedagógica em diferentes contextos.
• Analisar criticamente os acontecimentos educacionais brasileiros de modo a contribuir para as
discussões sobre a profissão docente.
• Posicionar-se ativamente diante de fatores determinantes no processo educativo, tais como o
contexto socioeconômico, a política educacional, a gestão escolar e os fatores específicos do processo de
ensino e de aprendizagem de Física.
• Assumir, de forma responsável, a tarefa educativa, cumprindo o papel social de propiciar
momentos de discussões e reflexões para os estudantes, de modo a mobilizar o exercício da cidadania.

Como se trata de um curso voltado à formação de profissionais para o exercício da docência, adotouse a concepção histórico-crítica, pautada no trabalho educativo escolar, elaborada por Saviani.4 Portanto, a
proposta pedagógica do curso deve favorecer:
● A identificação das formas mais desenvolvidas em que se expressa o conhecimento objetivo
produzido historicamente, reconhecendo as condições de sua produção e compreendendo
as suas principais manifestações bem como as tendências atuais de transformação.
● A conversão do conhecimento objetivo em conhecimento escolar de modo a torná-lo
assimilável pelos estudantes no espaço e tempo escolares.
● O provimento dos meios necessários para que os estudantes não apenas assimilem o
conhecimento objetivo enquanto resultado, mas apreendam o processo de sua produção,
bem como as tendências de sua transformação.
Nessa perspectiva, a proposta pedagógica do curso sustenta-se no pressuposto de que a prática
social é o ponto de partida para a construção do conhecimento. Por isso, serão adotados os seguintes
princípios:
● Percursos formativos de ensino, pesquisa e extensão como princípio articulador e integrador
do currículo
● A pesquisa como princípio educativo e eixo de reflexão sobre/com/da realidade social e da
profissão docente.
● A docência como eixo norteador da formação.
● A prática como geradora de conhecimentos e constituição de conhecimentos, pautado na
indissociabilidade entre teoria e prática.
● Ensino problematizado, contextualizado e interdisciplinar, garantindo a articulação entre as
diferentes áreas do conhecimento.
● Estratégias de ensino e aprendizagem centradas na resolução de problemas, projetos,

trabalhos em equipe, entre outros.
● A formação humana, política, científica e pedagógica que fomente, na formação docente,
uma visão crítica, plural e complexa da sociedade e da educação.
● A articulação entre a formação docente e as diferentes modalidades da Educação Básica,
seja por programas oficiais ou programas institucionais internos.
A formação do licenciando, a partir do perfil do egresso previsto anteriormente, deve abranger um
conjunto diversificado de atividades curriculares de maneira a propiciar a compreensão rigorosa dos métodos
envolvidos na produção e comunicação dos conhecimentos das ciências da natureza, particularmente da
física, e o enfrentamento das questões relacionadas à sua disseminação e aos processos de aprendizagem.
Como a docência é o foco do curso, serão realizadas aproximações sistemáticas e contínuas com as
redes públicas voltadas à Educação Básica e à Educação Profissional de nível médio. O estudante terá
oportunidade de conhecer e vivenciar esses espaços em diferentes etapas de sua formação, tanto nas
atividades curriculares, como em atividades de extensão, nas práticas como componente curricular (PCC) e
nos estágios.

Coordenação do Curso:

Catia Regina Barp Machado
whatsapp business: (47) 3276 8721

AVisando a qualidade do curso, serão realizadas avaliações sistemáticas, observando as diretrizes
institucionais, com base nos seguintes indicadores:
● Participação e envolvimento dos professores nas atividades relativas ao curso.
● Planejamento realizado coletivamente nas unidades curriculares convergentes com as áreas
pedagógicas, humanas, linguagens, da física e dos princípios da ciência.
● Planejamento e ações articuladas entre os professores de cada fase.
● Coerência entre as práticas pedagógicas e o PPC.
● Índice de permanência dos alunos no curso.
● Desempenho dos alunos nas atividades pedagógicas.
● Qualidade do material didático-pedagógico e das práticas pedagógicas dos professores.
● Sintonia do currículo com as características e necessidades do contexto em que o curso é
desenvolvido.
● Grau de articulação com as redes públicas de Educação Básica.
● Produção resultante dos estudos e pesquisas dos docentes.
A avaliação poderá ser realizada por meio de:
● Autoavaliação semestral, a ser realizada pelos profissionais que atuam no curso, realizada em
reuniões de avaliação ao final de cada semestre.

● Reunião avaliativa do curso com informações dos estudantes e dos servidores.
● Acompanhamento das avaliações do ENADE e da Comissão própria de avaliação.
● Acompanhamento sistemático pelo Núcleo Docente Estruturante (NDE), a partir dos levantamentos
acima indicados e produção de relatório de avaliação anual, que será encaminhado ao Colegiado do
Curso.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker5-srv1.appdocker5-inst104/03/2024 22:50