Projeto Político Pedagógico

O técnico de nível médio em Mecânica de Manutenção Industrial, formado pelo Centro  Federal  de  Educação  Tecnológica  de  Santa  Catarina,  Unidade  de Ensino  Descentralizada  de  Jaraguá  do  Sul,  deve  possuir  espírito  crítico,  ser capaz de assimilar novos conhecimentos na área tecnológica, ter capacidade de  liderança  e  trabalho  em  grupo,  estando  habilitado  a  desempenhar  as
funções afins que lhe serão atribuídas.

Ver PPC

O perfil de conclusão do técnico compreende as habilidades necessárias para atender ao setor industrial, na área de mecânica de manutenção industrial, de acordo  com  o  que  contempla  a  matriz  curricular  do  curso.  Assim,  a  lista  a seguir estabelece o perfil para o referido profissional:
  Trabalhar  com  manutenção  mecânica  utilizando  as  técnicas  de manutenção corretiva, preventiva e preditiva;
  Analisar e apresentar soluções utilizando dispositivos de manutenção;
  Garantir a qualidade dos produtos e serviços de manutenção, buscando otimização dos processos produtivos;
  Atuar  em  laboratório  na  execução  de  ensaios  técnicos  na  área  de mecânica;
  Especificar e dimensionar materiais e equipamentos pertinentes à área;
  Supervisionar  e  controlar  a  qualidade  da  produção  e  dos  serviços pertinentes à área;
  Prestar assistência a profissional de nível superior da área, incumbindo-se de cálculos, desenhos, instalações, especificações e orçamentos; 

Auxiliar  profissionais  de  nível  superior  na  realização  de  pesquisa cientifica e tecnológica.
  Coordenar  e  desenvolver  equipes  de  trabalho  que  atuam  na manutenção.
  Aplicar normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho
  Aplicar  princípios  de  gestão  de  controle  de  qualidade  no  processo industrial.
  Aplicar  normas  técnicas  e  especificações  de  catálogos,  manuais  e tabelas em máquinas e equipamentos e na manutenção industrial.
  Elaborar planilha de custos de fabricação e de manutenção de máquinas e equipamentos, considerando a relação custo/benefício.
  Aplicar métodos, processos e logística na manutenção.
  Aplicar técnicas de medição e ensaios visando à melhoria da qualidade de produtos e serviços da planta industrial.
  Comunicar-se de forma adequada por escrito e oralmente.
  Atuar de forma responsável nas questões ligadas ao meio ambiente.

De  acordo  com  o  Projeto  Pedagógico  do  CEFET-SC,  a  metodologia  está voltada  para  a  construção  de  competências,  criando  o  hábito  e  a  atitude  de enfrentar a aprendizagem como um problema para o qual deve ser encontrada uma resposta, bem como ensinar a propor problemas para si mesmo e resolvê-los.
Assim,  a  metodologia  do  ensino/aprendizagem  visa  ao  desenvolvimento  de competências,  habilidades  e  atitudes  de  acordo  com  o  perfil  do  técnico proposto.  Para  atingir  o  perfil  desejado,  diversas  práticas  pedagógicas  são propostas,  entre  as  quais:  pesquisa,  práticas  laboratoriais,  visitas  técnicas  a indústrias,  contextualização  dos  conhecimentos,  trabalhos  com  projetos, solução de problemas e aulas expositivas e dialogadas.
Desta  forma,  o  aprendizado  se  constrói  pela  prática  intencionalizada  que  se transfigura em práxis. Como anui Serafim (2002, p. 46) 6  “A teoria, separada da prática,  seria  puramente  contemplativa  e,  como  tal,  ineficaz  sobre  o  real:  a prática,  desprovida  da  significação  teórica,  seria  pura  operação  mecânica, atividade cega”.

Ver PPC

A  avaliação  da  aprendizagem  primará  pelo  caráter  diagnóstico  e  formativo, consistindo  num  conjunto  de  ações  que  permitam  recolher  dados,  visando  à análise da constituição das competências por parte do aluno.   
Os  instrumentos  de  avaliação  serão  variados  e  utilizados  como  meio  de verificação  da  constituição  de  competências  que,  combinados  com  outros, levem o aluno ao hábito de pesquisa, à reflexão, à iniciativa, à criatividade, à laboralidade  e  à  cidadania.  Tais  instrumentos  são:  observação  diária  dos professores,  trabalhos  de  pesquisa  individual  e  coletiva,  testes  escritos,
entrevistas  e  argüições,  execução  de  experimentos  ou  projetos,  relatórios, apresentações e outros instrumentos que a prática pedagógica indicar.
Para acompanhar o desempenho das avaliações será utilizada ficha específica (anexo nº1 e nº 2), como também, será registrado no diário de classe.
A avaliação possui a função de obter evidências sobre o desenvolvimento do conjunto de habilidades, conhecimentos e atitudes necessárias à constituição de competências, visando à tomada de decisões sobre o encaminhamento do processo  ensino-aprendizagem.  Além  disso,  a  avaliação  possui  a  função  de analisar a constituição das competências, visando  a uma tomada da decisão sobre a progressão do aluno para o módulo posterior. O aluno que obtiver domínio das habilidades que constituem as competências será considerado APTO. O aluno que não obtiver domínio das habilidades que constituem  as  competências  será  considerado  NÃO  APTO.  A  freqüência
mínima obrigatória para aprovação deverá ser igual a 75% (setenta e cinco por cento)  sobre  o  total  de  horas  letivas  as  quais  o  aluno  estiver  cursando  por unidade curricular e por módulo.   
Com  a  finalidade  de  garantir  o  desempenho  escolar  por  parte  dos  alunos durante  o  período  letivo,  são  previstos  estudos  de  recuperação  paralela.  O planejamento  da  recuperação  estará  ao  encargo  das  coordenações acadêmicas e seus respectivos professores.
Será  concedida  uma  revisão  de  avaliação  escrita  ao  aluno  que  discordar  do conceito  atribuído  e  ratificado  pelo  professor.  A  revisão  deverá  ser  requerida pelo aluno à coordenação acadêmica no prazo máximo de 2 (dois) dias úteis, após a divulgação dos resultados.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker5-srv1.appdocker5-inst1 05/06/2020 10:05