Projeto Político Pedagógico

O egresso do Curso de Formação Continuada em Gestão de Pessoas é capaz de: - conhecer os conceitos básicos de planejamento, treinamento e desenvolvimento de pessoal.; - compreender as rotinas de recrutamento e seleção; remuneração; cargos, salários e benefícios; demissão; - utilizar conhecimentos e técnicas de gestão para coordenar equipes de trabalho envolvidas nas etapas do processo de produção e operações; - propor alternativas de ações, seguindo o ambiente competitivo.

O profissional egresso do Curso de Formação Continuada em Gestão de Pessoas é um profissional capaz de atuar nos diversos setores da economia, no setor de Gestão de Pessoas ou no Departamento Pessoal. Também pode atuar em áreas de relacionamento com o cliente em empresas industriais e de serviços.

O egresso do Curso de Formação Continuada em Gestão de Pessoas é capaz de: - conhecer os conceitos básicos de planejamento, treinamento e desenvolvimento de pessoal.; - compreender as rotinas de recrutamento e seleção; remuneração; cargos, salários e benefícios; demissão; - utilizar conhecimentos e técnicas de gestão para coordenar equipes de trabalho envolvidas nas etapas do processo de produção e operações; - propor alternativas de ações, seguindo o ambiente competitivo.

A prática pedagógica do Curso Formação Continuada em Gestão de Pessoas orienta-se pelo Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) do IFSC e Regulamento didático-pedagógico (RDP) do Câmpus Gaspar. O fazer pedagógico se dá mediante atividades em sala de aula com aulas expositivo-dialogadas, estudos dirigidos, apresentações, seminários e desenvolvimento de projetos. Visitas técnicas/culturais pedagógicas, práticas laboratoriais, levantamento de problemas e busca de soluções no entorno da Instituição são atividades extraclasse que complementam e dinamizam o processo. Dessa forma, a comunidade externa torna-se o espaço privilegiado em que a escola deve mergulhar para articular os saberes. A metodologia do trabalho deve dar conta, principalmente, da permanência e êxito do aluno, do perfil do egresso, da utilização eficaz dos recursos do projeto e da consolidação de cursos de formação continuada como oferta pública de ensino.

SANDRO MATIAS DA CUNHA - sandro.cunha@ifsc.edu.br

A avaliação do ensino e da aprendizagem consistirá num conjunto de ações desenvolvidas de forma sistemática, processual, integral e que primará pelo caráter diagnóstico e formativo. Os instrumentos de avaliação serão diversificados, estimulando ao(a) estudante à pesquisa, reflexão, iniciativa, criatividade, laborabilidade e cidadania, tais como: observação diária dos alunos pelos professores; trabalhos de pesquisa, individual ou coletiva; testes escritos, com ou sem consulta a material didático; resoluções de exercícios; seminário. Durante o semestre haverá quatro avaliações sendo: a) duas avaliações escritas e individuais; b) uma avaliação em equipe na forma de seminário; c) uma avaliação contínua durante o semestre na forma de atividades em equipe, cases, vídeos, notícias, entre outros. O conceito de participação será avaliado conforme a descrição do componente curricular. Conforme o artigo 41 do RDP, a avaliação será registrada em valores inteiros de 0 (zero) a 10 (dez), sendo que o resultado mínimo para aprovação em um componente curricular é 6 (seis). Ao final do curso, será feito um registro final do desempenho do aluno, da seguinte forma: Apto: quando o aluno apresenta nota igual ou superior a 6; Não apto: quando o aluno apresenta nota inferior a 6. A avaliação prima pelo caráter diagnóstico e formativo, consistindo em um conjunto de ações que permitam recolher dados, visando a análise da constituição das competências por parte do aluno, previstas no plano de curso. Suas funções primordiais são: - obter evidências sobre o desenvolvimento do conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes necessárias à constituição de competências, visando a tomada de decisões sobre o encaminhamento dos processos de ensino e aprendizagem e/ou a progressão do aluno para o semestre seguinte; - analisar a consonância do trabalho pedagógico com as finalidades educativas previstas no Projeto Pedagógico do Curso. - estabelecer previamente, por unidade curricular, critérios que permitam visualizar os avanços e as dificuldades dos alunos na constituição das competências. Os critérios servirão de referência para o aluno avaliar sua trajetória e para que o docente tenha indicativos que sustentem tomadas de decisões sobre o encaminhamento dos processos de ensino e aprendizagem e a progressão dos alunos. A recuperação de estudos deverá compreender a realização de novas atividades pedagógicas no decorrer do período letivo, que possam promover a aprendizagem, tendo em vista o desenvolvimento das competências. Ao final dos estudos de recuperação, o aluno será submetido à avaliação, cujo resultado será registrado pelo professor. A certificação da formação profissional se dará após a conclusão do módulo, com frequência mínima de 75%.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker3-srv1.appdocker3-inst104/12/2020 20:06