Projeto Político Pedagógico

Ver PPC.

Grupos de câmara, orquestras e conjuntos instrumentais de diversas formações.

- Identificar e aplicar; articuladamente, os componentes básicos da linguagem musical.

- Conhecer, analisar e aperfeiçoar a técnica e a expressão instrumental.

- Mobilizar saberes técnicos e expressão instrumental em situação prática.

- Adquirir domínio artístico do instrumento e da gramática musical dos diversos estilos musicais.

- Relacionar, analisar e utilizar os elementos básicos de postura, leitura e memória.

- Pesquisar repertório adaptado ao seu nível e ao público-alvo.

- Captar a intenção estética do compositor.

- Articular os elementos da prática coletiva.

- Aprimorar a execução através de saberes e análise, reflexão e compreensão técnica e estética.

- Estabelecer as relações dos componentes básicos da leitura na execução.

- Conhecer a morfologia musical.

- Estabelecer as relações de sonoridade de acordo com a situação.

- Conhecer o mecanismo de funcionamento e recursos técnicos de seu instrumento.

- Compreender as relações músico/músico, músico/maestro e palco/plateia.

Faz parte da metodologia do Curso Básico de Instrumentos de Orquestra, além das aulas teóricas e práticas de instrumento, a participação na Orquestra e no Coral.

No módulo I o discente participará das aulas de Teoria e Prática Instrumental, Prática Coral e participará também de 6 horas de Prática Artística (126 horas em 40 semanas);

No módulo II ele terá a seqüência da Teoria e Prática Instrumental e iniciará sua participação na Prática de Orquestra e participará de 14 horas de prática artística (134 horas em 40 semanas);

Os conteúdos de música e sobre música serão trabalhados da forma mais integral possível, contemplando três aspectos indissolúveis: teoria, técnica e a prática.

Através das atividades executadas nas aulas, os discentes deverão entrar em contato com:

Materiais: dinâmica, timbre, intensidade, altura, ritmo, andamento, pulso;

Caráter expressivo: alteração do caráter da música mediante alterações na dinâmica e andamento;

Forma: introdução, começo, meio e fim, repetição;

Técnica: notação musical convencional e forma de manuseio dos instrumentos;

Literatura: contextualização das músicas trabalhadas, informações a respeito dos estilos musicais relacionados a cada período da história da música e de seus compositores.  

Prof. Irineu L. Melo, Prof. Ramiro A. da Costa, Adm. Luiz A. da Rocha.

ramiro.costa@ifsc.edu.br/ Tel: 48 9991 5760

irineumelo@ifsc.edu.br/ Tel: 48 9836 1239

Concepção e critérios

A avaliação considera todo o processo de aprendizagem do discente no decorrer do semestre, de forma contínua, incluindo a participação e comprometimento com o trabalho em seus diferentes momentos. A avaliação será processual e diagnóstica, acompanhando o desempenho e desenvolvimento do discente na constituição das competências e habilidades requeridas. A seguir destacam-se alguns critérios:

-Desempenho nas práticas de Orquestra, Coral e Artística;

-Freqüência e participação nas atividades curriculares;

Além disso, os discentes também serão avaliados por meio de atividades teóricas e práticas. Neste aspecto, as tarefas do curso incluem:

-Uma avaliação escrita de teoria musical

-Uma avaliação prática: execução instrumental

-Um trabalho escrito relacionado ao instrumento escolhido

-Uma nota de auto-avaliação

 

Sistemática

A primeira etapa da avaliação consiste no planejamento do curso que define objetivos claros para cada semestre. No curso, estes objetivos e conteúdos devem estar interligados permitindo que cada semestre seja um módulo completo de trabalho.

No início de cada período letivo, o professor deve dar a conhecer ao discente seus objetivos e firmar compromisso com ele para sua realização. Estes objetivos, ou as redefinições que venham a ser necessárias ao longo do processo, serão a base sobre a qual o discente construirá sua auto-avaliação e sobre a qual o professor definirá o conceito a ser dado ao discente.

Estes procedimentos serão analisados na Reunião de Avaliação – reunião de todos os professores do curso – que discute, avalia e compara o andamento do processo e as conquistas e dificuldades de cada discente em cada uma das unidades curriculares.

A Reunião de Avaliação será realizada ao final de cada bimestre sob a orientação do coordenador do curso.

 

Conceituação Final

Conforme o Regulamento Didático-Pedagógico do IFSC, o resultado da avaliação final será registrado por valores inteiros de 0 (zero) a 10 (dez), sendo seis a nota mínima para aprovação e, zero se aplicará à reprovação por falta.

Obs: Não haverá pendência. O discente que reprovar em uma das unidades curriculares, terá que cursar novamente o módulo.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker2-srv2.appdocker2-inst211/04/2021 00:47