Projeto Político Pedagógico

profissionais graduados nas diversas áreas do conhecimento
Com relação aos aspectos demográficos, observa-se que aproximadamente 28% da população da região de estudo concentram-se nos municípios que formam a AMARP. Essa região teve um crescimento aproximado de 7% entre os anos de 2007 e 2013, sendo que aproximadamente 25% da população, tanto da AMARP, quanto da região do estudo, encontra-se na faixa etária de 15 a 29 anos. Considera-se que, do ponto de vista demográfico, existe demanda para cursos de graduação. É importante ressaltar ainda que aproximadamente 25% dessa população encontra-se na faixa etária de 0 a 14 anos, o que garante um fluxo de potenciais alunos de graduação. Além das considerações relatadas, observamos que três quartos da população concentra-se em área urbana, o que facilita as condições de acesso à infraestrutura necessária para cursar uma graduação, como por exemplo, acesso à Internet e transporte público.
Em relação ao IDHM, observa-se relativo desequilíbrio entre os municípios que compõem a região da AMARP. Entretanto, ao se observar os indicadores do início da década de 1990 e final da década de 2000, observa-se que todos os municípios tiveram variação positiva dos seus IDHMs, sendo que os municípios que no início da década de 1990 tiveram os menores IDHMs foram aqueles que apresentaram a maior variação percentual. Embora os índices revelem aspectos positivos em relação ao desenvolvimento de alguns municípios, não se podem negar os desafios inerentes ao processo de desenvolvimento que a região como um todo enfrenta em termos econômicos, sociais, educacionais e ambientais.
Os indicadores relativos aos aspectos econômicos revelaram que cerca de 60% daqueles com idade de 10 ou mais anos estão na condição de População Economicamente Ativa (PEA). Isso representa um número expressivo da parcela da população que está apta a trabalhar e, portanto, indica uma potencial necessidade de formação na graduação.
Em relação à renda per capita, assim como aos IDHMs, verifica-se também um desequilíbrio entre os municípios da região de estudo. O valor do menor rendimento nominal médio per capita é cerca de 30% do valor da maior renda per capita. Quando se analisa as medianas desses valores de rendimento, obtêm-se valores expressivamente menores daqueles obtidos pelas médias, o que caracteriza desigualdade na distribuição de renda dos municípios. Essa situação se reflete também nos indicadores relacionados às rendas dos domicílios cuja faixa de renda é, em sua maioria, concentrada entre 2 e 5 salários mínimos.
Sobre a posse de bens duráveis nos municípios da região verificou-se que os itens com maior presença são geladeira, televisão e rádio, ao passo que os itens com menor presença são motocicleta para uso particular, microcomputador com acesso à Internet e telefone fixo. Isso evidencia uma possível relação entre a renda e o acesso ao consumo de bens duráveis. Além disso, o fato de haver poucos microcomputadores com acesso à Internet nas residências pode evidenciar uma dificuldade no acesso à informação e, por consequência, à educação.
Em relação ao PIB dos municípios da AMARP, observou-se que a paridade das parcelas de indústrias e serviços na participação do PIB, que vinha sendo observada até o ano de 2004, deixa de existir e dá lugar à maior participação dos serviços na parcela total do PIB. A maior participação da parcela dos serviços no PIB sempre foi observada nos municípios da região de estudo. Isso pode ser um indicativo de que a região da AMARP está evoluindo de forma a acompanhar a tendência geral da região de estudo, tendo como maior parcela participante do PIB o setor de serviços. Entretanto, essa situação não se verifica em Caçador, em função das características econômicas do município.
No que concerne ao estoque de empresas e pessoal ocupado nas regiões analisadas há um crescimento do número de pessoas ocupadas, embora exista uma volatilidade em relação aos números de empresas atuantes. Os principais setores de ocupação das pessoas na região de estudo são: indústria, comércio e agricultura.
Os indicadores relacionados aos aspectos educacionais relativos à população com condição de atividade e economicamente ativa demonstram uma homogeneidade na faixa de instrução de todos os níveis educacionais quando se comparam as regiões (Caçador, AMARP, Microrregião de Joaçaba, Região de Estudo). Aproximadamente 50% da população da região de estudo apresenta ensino fundamental completo e médio incompleto ou ensino médio completo e superior incompleto. Os primeiros sinalizam potenciais futuros alunos de graduação e os últimos indicam uma potencial população apta ao estudo da graduação e pós-graduação, no momento atual.
Assim, busca-se, a partir, dos dados analisados, embasar a proposta do projeto pedagógico do Curso de Especialização em Gestão Escolar, visto que o curso tem por objetivo básico contribuir para a formação efetiva dos profissionais atuantes na área de gestão educacional que, durante o processo de formação continuada, terão acesso a elementos teórico-práticos que viabilizarão uma educação básica de qualidade, alicerçada nos princípios da gestão democrática. Cabe destacar que tratativas foram realizadas com a Secretária Municipal de Educação, do município de Caçador, no sentido de oportunizar a oferta de formação continuada e pós-graduada aos dirigentes da Rede Básica de Ensino. Nesse sentido, a presente proposta insere-se num conjunto de políticas que vêm sendo implementadas pelo poder público com o intuito de favorecer melhorias no cotidiano escolar, elevando qualitativamente o padrão da educação básica.
Outrossim, destaca-se que a necessidade de atuação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina, com 20% de suas matrículas, na formação inicial e continuada de professores leva-nos a fomentar cursos de formação continuada para professores e/ou gestores da rede municipal e estadual de Santa Catarina.
Objetivos do curso
Objetivo geral:
1.Aprofundar os fundamentos teórico-práticos e qualificar os profissionais da educação da rede pública e privada no que concerne às questões de gestão de instituições educacionais, almejando, assim, a elevação da qualidade da educação.
Em consequência, espera-se que ao final do curso o egresso seja capaz de:
2.Compreender o meio educacional no qual as escolas estão inseridas, tendo em vista a ética e os princípios democráticos;
3.Compreender a unidade escolar como parte do complexo educacional ligado à rede e sistemas de ensino;
4.Compreender as inter-relações entre o Projeto Político Pedagógico e a gestão escolar;
5.Compreender a educação escolar como direito social básico e como instrumento de emancipação humana no contexto de uma sociedade com justiça social;
6.Analisar o desenvolvimento da Gestão Escolar brasileira em seu momento histórico, face ao contexto de globalização excludente;
7.Compreender a função social da escola brasileira e as suas perspectivas para uma formação fundamentada na competência, na ética, na cidadania e na autonomia;
8.Apropriar-se de elementos que possibilitem um olhar crítico sobre a formação e a construção da identidade do professor visando uma prática pedagógica autônoma e emancipatória;
9.Atuar de forma consciente com vistas ao fortalecimento dos processos de descentralização na educação e na escola, da autonomia da escola e do financiamento público da educação;
10.Atuar na gestão da educação e da escola visando a efetivação do direito à educação básica com qualidade, por meio de práticas caracterizadas por transparência, trabalho coletivo, participação da comunidade escolar nas decisões pautadas na ética, crítica e criatividade;
11. Atuar nos processos de elaboração e implementação do Projeto Político-Pedagógico da escola, num trabalho que assegure a participação efetiva de toda comunidade escolar e a ação coletiva e colegiada;
12.Implementar mecanismos e estratégias que favoreçam a realização da gestão democrática, em especial dos órgãos colegiados, dentre eles o Conselho Escolar, em função do Projeto Político-Pedagógico;
13.Aplicar os fundamentos de liderança, gestão curricular, gestão administrativa e gestão financeira na unidade escolar;
14.Aplicar ferramentas tecnológicas no campo da organização dos processos de trabalho nos sistemas e unidades de ensino, entendendo tais recursos como importantes para realização da gestão democrática da educação;
15. Administrar a avaliação institucional visando à melhoria do desempenho escolar;
16. Analisar o impacto dos recursos tangíveis e intangíveis existentes na escola nos processos de ensino-aprendizagem;
17. Analisar a legislação educacional na Constituição, na Lei de Diretrizes e Bases, no Plano Nacional de Educação, nas Diretrizes Curriculares, na Base Nacional Comum Curricular e nas Resoluções dos Conselhos de Educação.
Câmpus Caçador Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker5-srv2.appdocker5-inst216/08/2022 22:18