Projeto Político Pedagógico

Promover o melhor aproveitamento das matérias-primas regionais;
Promover a elaboração de alimentos típicos da região como queijos, vinhos e salames, utilizando
tecnologia adequada;
Manipular alimentos de forma consciente, prevenindo doenças e minimizando os impactos
ambientais de sua atividade.

Além da perspectiva de trabalho junto à indústria de alimentos, o trabalhador poderá
resgatar objetivos de vida profissional e pessoal podendo atuar como empreendedor individual,
abrindo seu próprio negócio.

- Aplicar técnicas de transformação, processamento e conservação na área de alimentos.
- Operacionalizar o processamento de queijos.
- Operacionalizar o processamento de vinhos.
- Operacionalizar o processamento de salames.
- Aplicar as boas práticas de manipulação, visando a obtenção de alimentos seguros.

– Aulas expositivas dialogadas com os estudantes.
– Exibição de vídeos e discussão de seu conteúdo.
– Aulas práticas para o desenvolvimento de queijos, salames e vinhos nos laboratórios de
processamento de alimentos.

Nome do responsável pelo projeto: Manoela Alano Vieira

A avaliação do curso primará pelo caráter diagnóstico e formativo, consistindo em um
conjunto de ações que permitem recolher dados, visando à análise da constituição das
competências por parte do aluno. Outro fundamento é a continuidade e a interdisciplinaridade,
sendo a avaliação realizada durante todos os momentos do processo de ensino e aprendizagem,
valorizando o crescimento do aluno qualitativa e quantitativamente.
O sistema de avaliação do processo de ensino aprendizagem far-se-á de acordo com as normas
estabelecidas no Regulamento Didático Pedagógico do IFSC.
Serão considerados os seguintes critérios: assiduidade, realização das tarefas,
participação nas aulas (teóricas e práticas), avaliação individual, trabalhos em equipe,
colaboração e cooperação com colegas e professores.
Será obrigatória a frequência às atividades correspondentes a cada componente curricular,
ficando nela reprovado o aluno que não comparecer, no mínimo, a 75% (setenta e cinco por
cento) dessas atividades.
O resultado da avaliação final será registrado por valores inteiros de 0 (zero) a 10 (dez). O
resultado mínimo para aprovação em um componente curricular é 6 (seis).
Ao aluno que comparecer a menos de 75% (setenta e cinco por cento) da carga horária
estabelecida no PPC para o componente curricular será atribuído o resultado 0 (zero).
O registro de cada componente curricular será realizado pelo professor no diário de classe
na forma de valores inteiros de 1 (um) a 10 (dez).
A decisão do resultado final, pelo professor, dependerá da análise do conjunto de
avaliações, suas ponderações e as discussões do conselho de classe final.
A avaliação será realizada, em cada componente curricular, considerando os objetivos ou
competências propostos no plano de ensino.
A recuperação de estudos deverá compreender a realização de novas atividades práticas e
teóricas no decorrer do período do próprio curso, que possam promover a aprendizagem, tendo
em vista o desenvolvimento das competências.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker2-srv2.appdocker2-inst205/12/2020 03:17