Projeto Político Pedagógico

O egresso do curso é o profissional capaz de produzir alimentos seguros, considerando os critérios de Boas Práticas de Manipulação de Alimentos.

Restaurantes, cozinhas industriais, confeitarias, padarias, lanchonetes, comissarias, cantinas, bufês, cozinhas institucionais, pastelarias, delicatéssens, rotisserias, casas de chá, sorveterias, casas de sucos, peixarias, açougues e congêneres.

O egresso do curso é o profissional capaz de produzir alimentos seguros, considerando os critérios de Boas Práticas de Manipulação de Alimentos.

A prática pedagógica do Curso Formação e Continuada “Treinamento para Manipuladores de Alimentos” orienta-se pelo Regulamento didático pedagógico do IFSC.

A elaboração do currículo por competências implica em ações pedagógicas que possibilitem ao aluno a construção de seu conhecimento. Nessa construção de novos saberes, a escola constitui-se em um espaço onde professores e alunos são sujeitos de uma relação crítica e criadora. Assim, a intervenção pedagógica favorece a aprendizagem a partir da diversidade, das expectativas dos alunos e de suas experiências pessoais e profissionais.

As estratégias de ensino adotadas incluem atividades em sala de aula com aulas teóricas (12h) expositivo-dialogadas, estudos dirigidos, exercício de estudo de caso, atividades lúdicas e apresentação de trabalho. Além disso, tem como previsão a realização de uma aula prática.

Stefany Grützmann Arcari

Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico - Ciência e Tecnologia de Alimentos 
Departamento de Ensino, Pesquisa e Extensão 
Câmpus São Miguel do Oeste 
+55 (49) 3631-0465 

De acordo com o exposto na Resolução 041/2014/CONSUP, que dispõe sobre o Regulamento Didático Pedagógico (RDP), os instrumentos de avaliação serão diversificados e deverão constar no plano de ensino do componente curricular, sempre estimulando o aluno à pesquisa, reflexão, iniciativa, criatividade, laboralidade e cidadania. Dentre os instrumentos de avaliação poderão ser utilizados: prova escrita e/ou prática, trabalhos individuais e/ou em grupo e outras estratégias que o professor considerar mais adequado ao público atendido. Entre osprincípios considerados pela Instituição, e em consonância com o Regimento Didático Pedagógico (RDP) do IFSC, a avaliação prima pelo caráter diagnóstico e formativo, devendo ser processual, somativa, continuada e diversificada, consistindo em um conjunto de ações que permitam recolher dados, visando à análise da constituição das competências por parte do aluno, previstas no plano de curso. O processo avaliativo integra o conjunto de conhecimentos e habilidades, conforme descrito nas matrizes curriculares, e de atitudes gerais, conforme descrito: Postura ética e crítica em relação aos temas e conteúdos abordados; Assiduidade e pontualidade nas aulas; Participação nas aulas e empenho nas atividades propostas; Iniciativa, disponibilidade, flexibilidade, criatividade e organização; Trabalhos em grupos, compartilhamento de responsabilidades e respeito às diferenças; Respeito à comunidade acadêmica e zelo pelo patrimônio escolar. São consideradas funções primordiais da avaliação: obter evidências sobre o desenvolvimento do conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes, visando a tomada de decisões sobre o encaminhamento dos processos de ensino-aprendizagem e a progressão do aluno para o semestre seguinte; analisar a consonância do trabalho pedagógico com as finalidades educativas previstas no Projeto Pedagógico do Curso. estabelecer previamente, por unidade curricular, critérios que permitam visualizar os avanços e as dificuldades dos alunos na constituição das competências. Os critérios servirão de referência para o aluno avaliar sua trajetória e para que o professor tenha indicativos que sustentem tomadas de decisões sobre o encaminhamento dos processos de ensino e aprendizagem e a progressão dos alunos. Os registros das avaliações são feitos de acordo com o estabelecido no RDP. O registro, para fins de documentos acadêmicos, será efetivado ao final de cada semestre letivo, apontando a situação do aluno no que se refere à constituição de competências, em diário de classe e no sistema acadêmico, conforme nomenclatura prevista no RDP.  As atividades de avaliação acontecerão durante todo o processo de ensino-aprendizagem, valorizando o crescimento do aluno qualitativa e quantitativamente, com a previsão de recuperação paralela de conteúdos e avaliações ao longo do semestre. Essa avaliação será feita por observação, registros e interações professor-aluno. As atividades escritas que poderão ser solicitadas serão avaliadas segundo critérios tais como: domínio dos conhecimentos teórico-práticos, criticidade, objetividade e clareza conceitual e capacidade de síntese. A apresentação oral que poderá ser solicitada, será avaliada pelo professor de acordo com: domínio dos conhecimentos, objetividade, coerência na apresentação dos conhecimentos, habilidade comunicativa, capacidade de síntese. A recuperação de estudos deverá compreender a realização de novas atividades pedagógicas no decorrer do período letivo, que possam promover a aprendizagem, tendo em vista o desenvolvimento das competências. Ao final dos estudos de recuperação o aluno será submetido à avaliação de acordo com o conteúdo, cujo resultado será registrado pelo professor. A recuperação paralela (nova avaliação) será aplicada ao aluno que não atingir o conceito mínimo na UC ou que tiver faltado por motivo justificado formalmente (motivos de doença, de trabalho ou falecimento na família). Para a aprovação o aluno deverá atingir, no mínimo, 75% de frequência e nota mínima 6,0 (seis). 

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker1-srv1.appdocker1-inst103/12/2020 04:28