Projeto Político Pedagógico

*Ver PPC na íntegra.

O aluno do Curso de Recepção de Eventos, ao concluir seus estudos, deverá estar apto a:
Operacionalizar os diversos serviços prestados na recepção de eventos, com domínio das técnicas de recepção e acompanhamento do evento desenvolvidas durante o curso.
Os egressos deverão apresentar simultaneamente competências técnicas e comportamentais. As competências técnicas que deverão ser apresentadas são:
1. Executar o receptivo dos eventos, conforme as diversas tipologias;
2. Atuar na operacionalização do cerimonial e protocolo, nos diversos tipos de eventos;
3. Portar-se de acordo com as habilidades necessárias (atenção, presteza, respeito) e com base no conjunto de normas do cerimonial e protocolo à Recepção de Eventos, desenvolvendo sua função com a qualidade máxima;
4. Recepcionar e atender participantes de eventos nacionais e internacionais na secretaria, no estande ou em outro espaço de evento;
5. Auxiliar o promotor do evento em atividades relacionadas ao planejamento e execução das diversas tipologias de eventos;
6.Comunicar-se com participantes nacionais e internacionais de acordo com a norma culta, utilizando as técnicas de comunicação verbal e redação com segurança;
7. Atuar individualmente ou em equipe de forma disciplinada, pró-ativa, cortês, responsável e ética.
O Curso FIC Recepção de Eventos orienta-se pelo Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) e pelo Regulamento Didático-Pedagógico do IFSC. O currículo elaborado por competências implica em ações pedagógicas que possibilitem ao aluno a construção de seu conhecimento. Além disso, o espaço constituído na escola possibilita interação permanente entre discentes, docentes e demais servidores de modo que gere ações críticas, reflexivas e construtivas. O fazer pedagógico dá-se através de atividades em sala de aula com aulas expositivo-dialogadas, estudos dirigidos, apresentações, seminários e desenvolvimento de projetos. Visitas técnicas/culturais pedagógicas, estudos de caso, levantamento de problemas e busca de soluções no entorno da Instituição são atividades que complementam e dinamizam o processo.

Nome do responsável pelo projeto: Bruna Dorabiallo Oliveira

Contatos: bruna.dorabiallo@ifsc.edu.br

A avaliação como ato diagnóstico e como processo contínuo tem por objetivo a inclusão, subsidiando ações que viabilizem tanto o domínio técnico como o domínio dos demais aspectos relevantes à formação do cidadão. Serve para indicar avanços e dificuldades na ação educativa, devendo subsidiar a reflexão da prática pedagógica. De acordo com o exposto na Resolução 041/2014/CONSUP, que dispõe sobre o Regulamento Didático Pedagógico (RDP), os instrumentos de avaliação serão diversificados e deverão constar no plano de ensino do componente curricular, sempre estimulando o aluno à pesquisa, reflexão, iniciativa, criatividade, laboralidade e cidadania. Entre os princípios considerados pela Instituição, e em consonância com o Regimento Didático Pedagógico (RDP) do IFSC, a avaliação prima pelo caráter diagnóstico e formativo, devendo ser processual, somativa, continuada e diversificada, consistindo em um conjunto de ações que permitam recolher dados, visando à análise da constituição das competências por parte do aluno, previstas no plano de curso. O processo avaliativo integra o conjunto de conhecimentos e habilidades, conforme descrito nas matrizes curriculares, e de atitudes gerais, conforme descrito:
- Postura ética e crítica em relação aos temas e conteúdos abordados;
- Assiduidade e pontualidade nas aulas;
- Participação nas aulas e empenho nas atividades propostas;
- Iniciativa, disponibilidade, criatividade e organização;
- Trabalhos em grupos, compartilhamento de responsabilidades;
- Respeito às diferenças;
- Respeito à comunidade acadêmica e zelo pelo patrimônio escolar.
São consideradas funções primordiais da avaliação:
- Obter evidências sobre o desenvolvimento do conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes, visando a tomada de decisões sobre o  encaminhamento dos processos de ensino- aprendizagem e a progressão do aluno para o semestre seguinte;
- Analisar a consonância do trabalho pedagógico com as finalidades educativas previstas no
Projeto Pedagógico do Curso.
- Estabelecer previamente, por unidade curricular, critérios que permitam visualizar os avanços e as dificuldades dos alunos na constituição das competências. Os critérios servirão de referência para o estudante avaliar sua trajetória e para que o professor tenha indicativos que sustentem tomadas de decisões sobre o encaminhamento dos processos de ensino e aprendizagem e a progressão discente. Os registros das avaliações são feitos de acordo com o estabelecido no RDP. O registro, para fins de documentos acadêmicos, será efetivado ao final de cada semestre letivo, apontando a situação do aluno no que se refere à constituição de competências, em diário de classe e no sistema acadêmico, conforme nomenclatura prevista no RDP. As atividades de avaliação acontecerão durante todo o processo de ensino-aprendizagem, valorizando o crescimento do aluno qualitativa e quantitativamente, com a previsão de recuperação paralela de conteúdos e avaliações ao longo do semestre. A recuperação de estudos deverá compreender a realização de novas atividades pedagógicas no decorrer do período letivo, que possam promover a aprendizagem, tendo em vista o desenvolvimento das competências. Ao final dos estudos de recuperação o aluno será submetido à avaliação, cujo resultado será registrado pelo professor. Para a aprovação o aluno deverá atingir, no mínimo, 75% de frequência em cada Unidade Curricular e nota mínima para aprovação 6,0.
Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appserver2.srv2inst1 20/01/2020 22:09