Projeto Político Pedagógico

O Especialista Técnico em Eficiência Energética em Edificações estará apto a diagnosticar, monitorar e propor ações de eficiência energética em projetos e edificações. Através destas ações, proporcionar conforto ambiental, eficiência energética, sustentabilidade e uso de energias renováveis no ambiente edificado.

O especialista técnico em Eficiência Energética em Edificações é o profissional que pode atuar como integrante de equipe multidisciplinar de infraestrutura que desenvolve ações de gestão, manutenção, monitoramento e melhorias no desempenho térmico, lumínico e energético de edificações. Pode atuar em diferentes usos de edificações, como edifícios habitacionais, comerciais, de serviço e públicos.

1. Manter e otimizar o desempenho térmico e energético de edificações;

2. Possibilitar o conforto térmico e lumínico dos usuários de edificações, operando corretamente e de forma eficiente os equipamentos consumidores de energia;

3. Otimizar o sistema de energia de edificações no que se refere a sua eficiência, indicando oportunidades de ganhos de eficiência, estimando custos de projeto, calculando possíveis economias em termos financeiros e de consumo energético, assim como apoiar a implementação de ações de melhoria de eficiência energética;

4. Operar corretamente e de forma eficiente equipamentos e processos ligados ao consumo de energia, tais como operação de sistemas de monitoramento energético, sistemas de distribuição de energia, sistemas de climatização, iluminação e outros sistemas prediais;

5. Considerar potenciais de melhoria em eficiência energética que residem na parte da envoltória, tais como caracterizar o desempenho de novos materiais, dos sistemas construtivos perante as normas técnicas e legislações existentes.

A metodologia de ensino do curso pretende facilitar o desenvolvimento das competências profissionais tecnológicas gerais (relacionadas ao perfil do egresso). Nas diversas unidades curriculares a metodologia abrange aulas expositivas e dialogadas, elaboração de trabalhos, seminários, estudos de casos, visitas a empresas e outras atividades visando oferecer experiências pedagógicas e científicas diversificadas aos discentes.

As unidades curriculares do curso foram propostas de forma a desenvolverem de modo articulado as competências profissionais tecnológicas e a compreensão dos impactos sociais, econômicos e ambientais resultantes da produção, gestão e incorporação de novas tecnologias. Os conteúdos necessários ao desenvolvimento dos objetivos profissionais se entrecruzam de forma transversal nas diversas unidades curriculares. A inter-relação das unidades curriculares é discutida entre a coordenação de curso e o corpo docente no início e no decorrer do semestre letivo e retomada, sempre que necessária, em reuniões pedagógicas, participação em projetos de pesquisa, conselho de classe, colegiado do departamento ou atividades extraordinárias.

As unidades curriculares teóricas serão desenvolvidas em salas de aula e em laboratórios quando se tratar de atividades de demonstração e experimentais. Os resultados dessas atividades serão expressos em forma de relatórios ou ficha técnica.

A interdisciplinaridade no curso visa não apenas a integralização dos objetivos profissionais e tecnológicos, mas também a formação do cidadão ativo e crítico em relação à interferência do processo tecnológico/industrial numa sociedade mais sustentável.

Chefe DEPE: Paula Borges Monteiro, Dr. e-mail: paula.monteiro@ifsc.edu.br Telefone: (48) 3211 6007

Nome do(s) responsável(is) pelo PPC e contatos:

Ricardo Luiz Alves, Dr. e-mail: ricardoalves@ifsc.edu.br Telefone: (48) 3211 6201

Profª. Ana Lígia Papst de Abreu, Dra. e-mail: ana.abreu@ifsc.edu.br Telefone: (048) 3211 6060

Prof. Carlos Boabaid Neto, Dr. e-mail: boabaid@ifsc.edu.br Telefone: (48) 3381 2868

Prof. Daniel Tenfen, Dr. e-mail: daniel.tenfen@ifsc.edu.br Telefone: (048) 3211 6070

Tec. Douglas Deni Alves, Msc. e-mail: douglas@ifsc.edu.br Telefone: (048) 3211 6070

Prof. Fabrício Peter Vahl, Dr. e-mail: fabricio.vahl@ifsc.edu.br Telefone: (048) 3211 6060

Prof. Ricardo Luiz Alves, Dr. e-mail: ricardoalves@ifsc.edu.br Telefone: (48) 3211 6201

Prof. Rogério de Souza Versage, Dr. e-mail: rogerio.versage@ifsc.edu.br Telefone: (048) 3211 6060

Prof. Rubipiara Cavalcante Fernandes, Dr. e-mail: piara@ifsc.edu.br Telefone: (048) 3211 6201

Prof. Samuel Luna de Abreu, Dr. e-mail: abreu@ifsc.edu.br Telefone: (48) 3381 2868

A avaliação da aprendizagem é efetuada conforme RDP do IFSC e tem por objetivo diagnosticar e incluir o educando, pelos mais variados meios. Deverá ocorrer durante todo o processo, acompanhando a obtenção dos conhecimentos requeridos e o desenvolvimento de atitudes para o exercício da profissão.

O processo de avaliação do ensino-aprendizagem é realizado por meio de diferentes ferramentas de acompanhamento de apropriação do aprendizado, previstas do item Metodologias de Abordagem das Componentes Curriculares (item 18). As atividades EaD podem ter atividades avaliativas através de participação nos Fóruns, resposta aos questionários, envio de trabalhos individuais e em grupo, produção de vídeos, entre outras atividades. As avaliações das atividades desenvolvidas no ambiente virtual também podem ser realizadas presencialmente. As metodologias, de avaliação aplicada e critério de correção adotado, de cada unidade curricular são abertas, atendendo às especificidades da unidade e à vivência de cada docente, devendo estar definidas no plano de ensino de cada unidade curricular.

Ao final da unidade curricular, o educando é considerado APROVADO, caso obtenha nota superior ou igual a seis e frequência igual ou superior a 75%, ou REPROVADO, caso obtenha nota inferior a seis ou frequência inferior a 75%, respeitando-se os critérios dispostos no RDP do IFSC.

Durante o processo de avaliação, o educando que se sentir prejudicado com a nota recebida em uma determinada avaliação poderá solicitar a revisão de atividade de avaliação, conforme RDP do IFSC. No decorrer do processo de aprendizagem, os educandos que demonstrarem dificuldades na obtenção dos conhecimentos terão direito à recuperação, conforme RDP do IFSC.

O conselho de classe é uma instância para o diagnóstico sobre a avaliação do processo de ensinoaprendizagem e deve ser realizado conforme RDP do IFSC. A avaliação do processo é efetuada conjuntamente entre representantes da classe discente, docentes das unidades curriculares e coordenadoria pedagógica, para a apuração das dificuldades institucionais e didático-pedagógicas que recaem sobre discentes, docentes e técnicos administrativos e para proposições de melhorias do processo. O Coordenador do Curso é um dos responsáveis pela organização e realização dos Conselhos de Classe junto com a Coordenadoria Pedagógica. Será feito um Conselho de Classe ao final do Curso.

As atividades de registro das avaliações, os prazos e o controle da frequência serão realizados conforme RDP do IFSC.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker4-srv2.appdocker4-inst224/09/2022 16:52