Projeto Político Pedagógico

O estudante egresso do curso Formação Continuada em Orçamento de Obra Civil na modalidade presencial deve demonstrar avanços na aquisição de seus conhecimentos relacionados a orçamento, dando continuidade a conhecimentos já adquiridos.

Do ponto de vista da qualificação profissional, deve estar qualificado para atuar nas atividades da área da construção civil. Desempenhar com autonomia as suas atribuições com possibilidades de (re) inserção no mundo trabalho aplicando conhecimentos relacionados aos curtos de uma obra.

Executar serviços da construção civil, apoiar a coordenação de equipes; aplicar novas tecnologias,
especificar materiais, detalhar serviços executivos da construção civil.
➢ Autônomo;
➢ Construtoras;
➢ Canteiros de obras;
➢ Empresas de manutenção.

Ao concluir a sua qualificação profissional, o egresso do curso Formação Continuada em Orçamento de Obra
Civil deverá demonstrar um perfil que lhe possibilite:

➢ Ter capacidade de comunicação sabendo trabalhar em equipe, ter iniciativa, criatividade e responsabilidade.
➢ Demostrar raciocínio lógico espacial;
➢ Ser capaz de analisar e tomar decisão com base no orçamento;
➢ Identificar mão de obra, materiais e equipamentos necessários à execução de serviços;
➢ Conhecer as legislações e especificações normativas relativas aos serviços da construção civil;
➢ Aplicar os conhecimentos no planejamento, execução e fiscalização de serviços.

Abaixo possíveis princípios pedagógicos a ser adotado no decorrer do curso:
• Envolver os alunos na avaliação de seu processo educativo visando uma tomada de consciência sobre o
que sabem e o que precisam e/ou desejam aprender;
• Propor, negociar, planejar e desenvolver projetos envolvendo os alunos e a equipe docente, visando não
apenas simular o ambiente profissional, mas também desenvolver habilidades para trabalho em equipe,
onde os resultados dependem do comprometimento e dedicação de todos e os erros são transformados em
oportunidades ricas de aprendizagem;
• Contextualizar os conhecimentos, valorizando as experiências dos alunos e seus conhecimentos prévios,
sem perder de vista a (re)construção dos saberes;
• Problematizar o conhecimento, sem esquecer de considerar os diferentes ritmos de aprendizagens e a
subjetividade do aluno, incentivando-o a pesquisar em diferentes fontes;
• Respeitar a cultura específica dos discentes, referente a seu pertencimento social, étnico racial, de gênero,
etário, religioso e de origem (urbano ou rural);
• Adotar diferentes estratégias didáticas metodológicas (seminários, debates, atividades em grupo, atividades
individuais, projetos de trabalho, grupos de estudos, estudos dirigidos, atividades práticas e outras)
como atividades avaliativas;
• Adotar atitude interdisciplinar e transdisciplinar nas práticas educativas, isto é, assumir que qualquer
aprendizado, assim como qualquer atividade, envolve a mobilização de competências e habilidades referidas
a mais de uma disciplina, exigindo, assim, trabalho integrado dos professores, uma vez que cada um é
responsável pela formação integral do aluno;
• Utilizar recursos tecnológicos adequados ao público envolvido para subsidiar as atividades pedagógicas;
• Adotar técnicas flexíveis de planejamento, prevendo mudanças e rearranjos futuros, em função da melhoria
no processo de aprendizagem.
O docente devera privilegiar metodologias de ensino que reconheçam o professor como mediador do processo
de ensino, estando atentos ao comportamento; concentração; atenção; participação e expressões faciais
dos alunos, uma vez que estes são excelentes parâmetros do processo educacional.

Nome do responsável pelo projeto:
Etianne Alves
Contatos:
(49) 3325-4149
www.ifsc.edu.br

Conforme - REGULAMENTO DIDÁTICO-PEDAGÓGICO – RDP – 11/2014
Art. 11. § 1º Cada aluno deverá avaliar cada componente curricular, bem como aspectos gerais de seu
curso naquela etapa, ao final do período letivo, cujo resultado deverá orientar o planejamento do período
seguinte
Art. 41. O resultado da avaliação final será registrado por valores inteiros de 0 (zero) a 10 (dez).
§ 1º O resultado mínimo para aprovação em um componente curricular é 6 (seis).
§ 2º Ao aluno que comparecer a menos de 75% (setenta e cinco por cento) da carga horária estabelecida
no PPC para o componente curricular será atribuído o resultado 0 (zero).
§ 3º O registro de cada componente curricular será realizado pelo professor no diário de classe na forma de
valores inteiros de 1 (um) a 10 (dez).

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker2-srv2.appdocker2-inst211/04/2021 02:06