Projeto Político Pedagógico

O Técnico em Têxtil será habilitado para:

  • Supervisionar os processos produtivos na cadeia têxtil, da fiação ao beneficiamento.
  • Planejar e controlar as operações nos processos nas áreas de fiação, tecelagem e beneficiamento têxtil.
  • Desenvolver padronagens de malharia ou tecido plano.
  • Desenvolver produtos e processos de tinturaria, estamparia e acabamento final.
  • Realizar testes de controle de qualidade, químicos, físicos e colorimétricos.
  • Analisar laudos técnicos.
  • Controlar estoques de produtos acabados.

Locais e ambientes de trabalho:

  • Tecelagens e Malharias
  • Empresas de Beneficiamento Têxtil
  • Tinturarias, Estamparias e Lavanderias Industriais
  • Laboratórios Têxteis
  • Indústrias Químicas Relacionadas ao Setor Têxtil
  • Fornecedores de Matéria-Prima, de Máquinas e Equipamentos do Setor Têxtil
  • Assessoria e Consultoria Técnica a Empresas do Setor

Para atuação como Técnico em Têxtil, são fundamentais:

Conhecimentos e saberes relacionados aos processos de planejamento e operação das atribuições da área, de modo a assegurar a saúde e a segurança dos trabalhadores e dos futuros usuários e operadores de empresas em processos de transformação têxtil.
Conhecimentos e saberes relacionados à sustentabilidade do processo produtivo, às normas e relatórios técnicos, à legislação da área, às novas tecnologias relacionadas à indústria 4.0, à liderança de equipes, à solução de problemas técnicos e à gestão de conflitos.

Metodologia de desenvolvimento pedagógico do curso:

A metodologia do curso deve levar em conta o perfil de formação profissional esperado, as expectativas e as condições socioeconômicas dos alunos ingressantes.
A metodologia deve aproveitar ao máximo o tempo em sala de aula para promover a aprendizagem. Não obstante, dever-se-á oportunizar e incentivar o uso de materiais de apoio tais como videoaulas, animações didáticas em computador, apostilas e listas de exercícios, para que os alunos possam reforçar os estudos fora do ambiente escolar.
Os procedimentos metodológicos serão diversificados, e adaptados a cada componente curricular, compreendendo: aulas expositivas e dialogadas, trabalhos em grupo, resolução de exercícios, análise e solução de situações-problema, desenvolvimento de projetos, experimentos e atividades específicas em ambientes especiais, como laboratórios, oficinas, empresas pedagógicas, ateliês e outros, investigações sobre atividades profissionais, projetos de pesquisa e/ou intervenção no ambiente de trabalho ou social, visitas técnicas, simulações, observações, entre outros, buscando relacionar a teoria aos problemas, situações e desafios verificados na rotina típica de um técnico em têxtil.

Restante do item relativo a "Metodologia de desenvolvimento pedagógico do curso" verificar no PPC.

Chefe DEPE:
Fabiana Santos Fernandes / ensino.aru@ifsc.edu.br / (48) 3311 5059 - Ramal DEPE

Contatos:
Diretor EPE: Fabiana Santos Fernandes. E-mail: ensino.aru@ifsc.edu.br

Coordenador: Suelen Rizzi. E-mail: suelen.rizzi@ifsc.edu.br

Nome do Coordenador/proponente do curso: Suelen Rizzi

Avaliação da aprendizagem:

A avaliação no Curso Técnico Integrado em Têxtil será desenvolvida numa perspectiva processual, contínua e cumulativa, assumindo a função diagnóstica e formativa.
Considerando que o educando é um ser criativo, autônomo, participativo, reflexivo e capaz de transformações significativas na realidade, o processo avaliativo deve propiciar a busca da (re)construção do conhecimento de forma coerente e interativa com a formação integral dos sujeitos. Sendo assim, a avaliação não pode separar se da aprendizagem: ambas são partes constitutivas de um mesmo processo.
A avaliação não deve privilegiar a mera polarização entre o “aprovado” e o “reprovado”, desta forma, reproduzindo as exclusões vigentes na sociedade que reforçam os fracassos já vivenciados pelos educandos e corroboram a crença de que não são capazes de aprender. Ela deve proporcionar-lhes a real possibilidade de mover-se em direção a novas aprendizagens. Para tanto, a avaliação deverá ser assumida como um instrumento de compreensão do estágio de aprendizagem em que se encontra o aluno, tendo em vista tomar decisões suficientes e satisfatórias para que possa avançar no seu processo de aprendizagem (LUCKESI, 2000).
Como a proposta deste projeto é integrar os saberes das diferentes áreas do conhecimento através dos projetos integradores, oportunidade que os educandos têm de sintetizar e aplicar os conceitos trabalhados em sala de aula, a avaliação servirá como importante instrumento orientador para os educadores, principalmente, quanto a metodologias e a estratégias adotadas no desenvolvimento do processo de ensino e de aprendizagem.

Restante do item relativo a "Avaliação da aprendizagem" verificar no PPC.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker3-srv1.appdocker3-inst113/07/2024 15:58