Projeto Político Pedagógico

De acordo com o Catálogo Nacional de Cursos Técnicos, o egresso do Curso Técnico em Desenvolvimento de Sistemas será habilitado para:

 Desenvolver sistemas computacionais utilizando ambiente de desenvolvimento;

 Dimensionar requisitos e funcionalidades do sistema;

 Realizar testes funcionais de programas de computador e aplicativos;

 Manter registros para análise e refinamento de resultados;

 Executar manutenção de programas de computador e suporte técnico;

 Realizar modelagem de aplicações computacionais;

 Codificar aplicações e rotinas utilizando linguagens de programação específicas;

 Executar alterações e manutenções em aplicações e rotinas de acordo com as definições estabelecidas;

 Prestar apoio técnico na elaboração da documentação de sistemas;

 Realizar prospecções, testes e avaliações de ferramentas e produtos de desenvolvimento de sistemas.

Empresas de desenvolvimento de sistemas. Departamento de desenvolvimento de sistemas em organizações governamentais e não governamentais. Empresas de consultoria em sistemas. Empresas de soluções em análise de dados. Profissional autônomo.

As competências gerais esperadas do egresso do Curso Técnico em Desenvolvimento de Sistemas são:

 Utilizar a tecnologia de informática na solução de problemas relacionados com tomadas de decisão, automatização de atividades e controle de processos automatizados;

 Auxiliar no suporte da Tecnologia da Informação e no desenvolvimento de sistemas;

 Auxiliar na seleção de tecnologias, projetando produtos ou melhorando suas características e funcionalidade;  Incorporar conceitos e técnicas da qualidade em todo o sistema informático, tanto nos seus aspectos tecnológicos quanto organizacionais;

 Acompanhar os avanços tecnológicos na área de informática, auxiliando nos serviços demandados por parte das organizações;

 Ter compromisso com a ética profissional;

 Possuir iniciativa empreendedora;

 Ter disposição para autoaprendizado e educação continuada;

 Possuir domínio na comunicação oral e escrita;

 Conhecer e utilizar técnicas computacionais;  Conhecer a legislação pertinente;  Ser capaz de trabalhar em equipes multidisciplinares.

As aulas ocorrerão de forma articulada entre teoria e prática em salas de aula informatizadas buscando-se, quando possível, maximizar as atividades práticas. Contando com laboratórios temáticos, o estudante contará com o professor para definir, de maneira autônoma e o mais libertária possível, sua rota para a conquista de habilidades significativas para sua vida e de sua comunidade. Através da apresentação de situações problemas o aluno deverá ser estimulado a aplicar suas competências e habilidades que constituirão o estímulo para o aprendizado. Assistido pelos professores responsáveis pelas unidades curriculares, o processo se desenvolve a partir dos conceitos de interdisciplinaridade e autonomia, visando a construção de um clima colaborativo, democrático, baseado em preceitos éticos e voltado para a produção de conhecimento tecnológico e humanista comprometido com o bem-estar da sociedade, incluindo aspectos ambientais que beneficiem ações de preservação e sustentabilidade. O curso, planejado para três semestres, terá como objeto final a construção de um produto (projeto de software) desenvolvido nas unidades de Projeto Integrador I e II. Trata-se de um projeto que será desenvolvido pelos alunos, individualmente ou em grupo, aplicando os conhecimentos e execução das atividades das unidades curriculares, promovendo a interdisciplinaridade, a articulação entre teoria e prática, motivação, contextualização e obtenção das competências necessárias para o profissional desta área. O conteúdo das unidades curriculares propiciará ao aluno a capacidade de analisar, projetar e implementar um projeto de software, gerando ao final do curso um “produto”. Durante o curso, o andamento do projeto integrador acontecerá através de reuniões pedagógicas específicas para avaliar a articulação das unidades curriculares e o desempenho dos alunos em relação ao desenvolvimento do projeto integrador. Além do curso estar integrado e encaminhado para construção de um projeto integrador, o curso prevê, também, durante todo o processo formativo, a construção de um protótipo de software pelo aluno, podendo ser em equipe, denominado Sistema Norteador, que será desenvolvido de forma transversal e integralizada com as unidades curriculares. O tema do Sistema Norteador estará previamente definido, terá início a partir das primeiras unidades curriculares do curso e permitirá colaborar no desenvolvimento das competências necessárias, agregando maior conhecimento técnico e fortalecendo as habilidades para o Projeto Integrador. A prática pedagógica procurará integrar o ensino, a pesquisa e a extensão, além do estímulo à capacidade empreendedora dos estudantes, promovendo um ambiente para o desenvolvimento de ideias e iniciativas com base nas políticas definidas pela instituição.

Diretora de Ensino

Paula Borges Monteiro / dir.ensino.fln@ifsc.edu.br / (48) 3211 6007

 

Grupo de trabalho

Andrino Fernandes / andrino@ifsc.edu.br / (48) 3211 6022

Hamilcar Boing / hamilcar@ifsc.edu.br

Herval Daminelli / herval@ifsc.edu.br

Juliano Lucas Gonçalves / juliano.goncalves@ifsc.edu.br

Marcos André Pisching / marcos.pisching@ifsc.edu.br

A avaliação será processual e diagnóstica, acompanhando o desempenho e desenvolvimento do aluno na constituição das competências e habilidades requeridas para o exercício profissional com cidadania, numa constante prática de ação-reflexão-ação, de todos os elementos envolvidos no processo ensino-aprendizagem. Os instrumentos de acompanhamento do processo de aprendizagem dentro desta perspectiva serão organizados através de provas, trabalhos individuais ou em grupo, estudos de caso, portfólios, pesquisa teórica e de campo, seminários, defesas de trabalhos, projetos, entre outros. Considerando a integração das tecnologias que promovem maior relação e participação do discente no processo pedagógico, as avaliações, da mesma forma, poderão ser realizadas do modo online e/ou presencial. Nas situações de períodos em EAD, a realização das avaliações será através dos processos oferecidos pelo ambiente virtual utilizado (tarefas/postagem de arquivos, fóruns, glossário, wiki, mapas conceituais, portfólio, simuladores, produção de vídeo, questionários entre outros) e/ou por recurso virtual alternativo. Os critérios para correção dos processos avaliativos estarão fundamentados: nas ações de ordem atitudinal que correspondem às dimensões saber ser e saber conviver; nas ações de ordem cognitiva que correspondem às dimensões do saber conhecer – saber teórico/conceitual – para lidar com temas relacionados à profissão, pessoal, de estudo e de pesquisa; e nas ações de ordem técnica que correspondem às dimensões do saber fazer.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker4-srv2.appdocker4-inst230/05/2024 13:55