Projeto Político Pedagógico

O município de Caçador é um referencial da Guerra do Contestado. Nasceu após a Guerra, impulsionada pela construção da estrada-de-ferro que liga São Paulo ao Rio Grande do Sul pela chegada dos imigrantes italianos. Mais tarde também vieram japoneses, árabes, alemães e poloneses. Hoje é a maior cidade do meio-oeste catarinense e um importante pólo cultural, econômico e político. Desenvolveu sua economia com base na extração e industrialização da madeira, bem como no reflorestamento. A população de Caçador apresentou, no ano de 2010, crescimento de 11,75% desde o Censo Demográfico realizado em 2000. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), em 2010 a população da cidade alcançou 70.762 habitantes, o equivalente a 1,13% da população do Estado. O comparativo dos dados dos Censos Demográficos do IBGE demonstrou que Caçador apresentou, entre 2000 e 2010, uma taxa média de crescimento populacional da ordem de 1,17% ao ano. A estrutura etária de uma população, habitualmente, é dividida em três faixas: os jovens, que compreendem do nascimento até 19 anos; os adultos, dos 20 anos até 59 anos; e os idosos, dos 60 anos em diante. Segundo esta organização, no município, em 2010, os jovens representavam 34,5% da população, os adultos 56,0% e os idosos 9,5%. 

Áreas de atuação do egresso: O profissional desenvolvedor de sites atua na criação, gerenciamento e manutenção de web sites e portais na Internet, podendo trabalhar em empresas de marketing digital, software houses, ou empresas em geral que mantenham sua própria divulgação na Internet, além da possibilidade de empreender

Competências gerais: •Reconhecer-se como profissional capaz de atuar no mercado de trabalho da tecnologia da informação. •Configurar a estrutura necessária para hospedar sites e sistemas Web. •Desenvolver páginas Web utilizando HTML e CSS. •Utilizar framework de desenvolvimento de sites. 

A proposta de formar um Curso de Formação Inicial de Desenvolvedor de Sites está pautada numa formação que prima pela interdisciplinaridade, contextualização e reconhecimento de teorias e interpretação a partir de experiências vivenciadas na prática. A execução do curso acontecerá por meio de aulas teóricas expositivas e dialogadas com a utilização de equipamentos multimídia e aulas práticas que permitam a demonstração dos conhecimentos teóricos adquiridos. Sempre se buscará a comunicação entre aluno e professor, e a relação contínua entre teoria e prática, colocando em evidência as experiências práticas dos alunos. As aulas também poderão ser complementadas com exercícios e atividades em grupo para a fixação das competências.

Samuel da Silva Feitosa

Colaboradores: Egon Sewald Junior e João Augusto da Silva Bueno

Contatos: Telefone: (49) 3561-5700 E-mail:
samuel.feitosa@ifsc.edu.br, egon.junior@ifsc.edu.br, joao.augusto@ifsc.edu.br

De acordo com a Organização Didática, a avaliação prima pelo caráter diagnóstico e formativo, consistindo em um conjunto de ações que permitam recolher informações, visando à análise da constituição das competências por parte do aluno, previstas no plano de curso. Sendo assim, para fins de avaliação, além da análise criteriosa do desenvolvimento satisfatório da competência e das habilidades trabalhadas ao longo do curso por meio de atividades avaliativas, os alunos serão igualmente avaliados na apresentação das atitudes descritas anteriormente. Os alunos serão avaliados ao longo do processo educativo, com foco no alcance das competências preestabelecidas e por meio de diferentes instrumentos avaliativos. Para garantir a diversidade à avaliação, ao aluno será assegurado o direito de ser avaliado pelo menos 02 (duas) vezes ao longo do curso através de instrumentos de avaliação variados. Ao concluir o curso, cada aluno receberá uma avaliação numérica, entre 0,0 (zero) e 10,0 (dez), que consiste nas médias de todas as avaliações desenvolvidas no decorrer do curso. O nota final atribuída ao aluno determina a sua aprovação, sendo considerado aprovado todo aluno que atingir nota 6,0 ou superior. Ressalta-se que somente haverá atribuição de notas e, consequentemente, possibilidade de certificação, se o aluno apresentar, ao término do curso, frequência presencial igual ou superior a 75% (setenta e cinco por cento). Para fins de reavaliação, caso o aluno não obtenha a média suficiente para sua aprovação, lhe será assegurado, ao longo do curso, pelo menos 1 (um) instrumento re-avaliativo relacionado ao tema no qual o mesmo ficou pendente. 

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker2-srv1.appdocker2-inst103/08/2021 14:32