Projeto Político Pedagógico

VER PPC

O egresso do curso é o profissional capaz de atuar na produção de mudas e sementes de hortaliças no meio rural e urbano.

Executar com base nas técnicas da produção de mudas e sementes de hortaliças, o manejo dos substratos e das formas de semeio, a produção de sementes e mudas, o transplante correto. Produção de mudas e sementes com base na legislação vigente e em consonância com as normas certificadoras quando a produção for orgânica. Utilizar manejo agroecológico integrado de pragas, doenças e plantas espontâneas.

A   Proposta Pedagógica do Curso FIC em Produção de Mudas e Sementes de Hortaliças tem por objetivo a construção de uma aprendizagem associada às realidades locais, situando o estudante nas questões ambientais, sociais e econômicas vividas pela população rural da região. Ela visa a inter-relação do ensino com a pesquisa e a extensão na unidade  curricular  oferecida. É uma formação que prepara o estudante para atuar com autonomia no manejo e redesenho de Agroecossistemas em direção ao desenvolvimento sustentável, capacitando profissionais com formação  ecológica, agronômica, gerencial e humana.
O desenvolvimento pedagógico do curso foi estruturado na premissa da interdisciplinaridade, o que fica evidenciado nas relações que são estabelecidas entre  os diversos conhecimentos na unidades  curriculares. Por   exemplo, por meio das atividades desenvolvidas na área experimental, os alunos demonstrarão e aplicarão suas habilidades, ou seja, vivenciarão situações do cotidiano, agregando o conhecimento da unidade curricular envolvida. Acrescenta-se a isso as questões relativas à ética e à
responsabilidade social que são relevantes no desenvolvimento de projetos na agricultura.
De  uma  forma  genérica,  a  metodologia  adotada   inclui  atividades como:
a)  Ensino teórico: Aulas expositivas dialogadas, nas quais as bases tecnológicas podem ser abordadas em nível básico, avançado ou aprofundado, consoante à natureza do tema   ou localização   curricular.  Elas poderão  utilizar  equipamento  de   apoio audiovisual   e  poderão
ocorrer  a  partir  da  discussão  em grupo.  É  possível  incluir trabalhos complementares.
b)  Ensino prático: desenvolvimento de atividades que aproximem o aluno da realidade agrícola nacional e regional  e  das  dimensões  olericultura,  propiciando  oportunidades para que os   estudantes   apliquem   métodos   e   técnicas   construídas   durante   o   curso   e   desenvolvam
capacidade  de  reflexão crítica sobre  a  realidade  em  que  estão inseridos.

Fernando Domingo Zinger - fernando.zinger@ifsc.edu.br

Neste curso, as avaliações acontecerão através de:  
O processo de avaliação da aprendizagem é parte integrante do processo de ensino. A avaliação do processo ensino e aprendizagem será realizada de forma   contínua na unidade curricular. Ao estudante será assegurado o direito de ser avaliado por meio de diversos instrumentos como: participação, frequência, iniciativa, exercícios, atividades práticas, relatório de atividades entre outros  que o professor julgar necessário, para uma melhor tomada de decisão.
Os critérios de avaliação preestabelecidos serão compartilhados entre as partes envolvidas no curso, sendo claramente expostos aos estudantes mediante apresentação do plano de ensino no primeiro dia de aula. Isso garante transparência e honestidade à prática avaliativa.

Estes critérios permitirão a percepção dos avanços e das dificuldades dos estudantes na construção  dos conhecimentos, além de servirem de referência para o estudante avaliar sua
trajetória ao longo da unidade curricular.
O conceito final da unidade curricular se dará da seguinte maneira:  
Conceito Aprovado  – Quando se destacar em termos de  conhecimentos, habilidades e atitudes e a média final será igual ou maior que 60% (6,0);
Conceito Reprovado – Quando não atender  ao  mínimo em  termos  de conhecimentos, habilidades e  atitudes,  o  que  significa que a média final será menor que 60% (6,0).  
A recuperação de estudos, a que todos os alunos têm direito, compreenderá a realização de novas   atividades   pedagógicas   no   decorrer   do   período   letivo,   que   possam   promover   a
aprendizagem. As novas atividades ocorrerão,  preferencialmente, no horário regular de aula,
podendo ser criadas estratégias alternativas que atendam necessidades específicas, tais como
atividades sistemáticas em horário de atendimento paralelo e estudos dirigidos. Ao final dos
estudos de recuperação o aluno será submetido à nova avaliação, cujo resultado será registrado
pelo professor, prevalecendo o maior valor   entre   o   obtido   na   avaliação   realizada   antes
da recuperação e o obtido na avaliação após a recuperação.
O estudante será considerado APTO no curso se obtiver nota maior ou igual a 6,0 e frequência superior a 75% na unidade curricular.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker3-srv2.appdocker3-inst205/08/2020 19:29