Projeto Político Pedagógico

O egresso do curso proposto deverá ser um profissional técnico capaz de: (1) coordenar a montagem de ambientes para divulgação da moda; (2) estabelecer relação direta entre produto e consumidor por intermédio de catálogos, desfiles, vídeos, fotografias e meios de comunicação em geral; (3) pesquisar tendências de moda, de mercado e de lançamentos para construção de estilos e composição visual; (4) elaborar a composição de looks para apresentação pública de estilo, produção publicitária, vitrines, exposições, desfiles

Empresas de confecção e varejo de moda. Agências de publicidade, jornais, revistas, TV e internet. Produtoras de eventos. Escritórios de criação. Profissional autônomo. Empresas de atacado de moda.

Questionar e compreender processos naturais e tecnológicos, a linguagem própria da ciência, sua evolução e implicações sociais do conhecimento científico e tecnológico. Compreender as linguagens corporais, orais, sonoras, escritas e visuais, seus códigos e tecnologias, como processo de comunicação e construção do conhecimento para o pleno exercício da cidadania. Compreender a sociedade e a natureza, em seus aspectos físicos e sociais, de maneira crítica, favorecendo uma atuação consciente do indivíduo na sociedade. Compreender e utilizar estratégias, conceitos e procedimentos matemáticos para interpretar e agir sobre situações em diversos contextos, sejam atividades cotidianas, sejam fatos das Ciências da Natureza e Humanas, ou ainda questões econômicas ou tecnológicas, divulgados por diferentes meios, de modo a consolidar uma formação científica geral Aplicar conhecimentos históricos e filosóficos e princípios da pesquisa de moda, comportamento e estilo, buscando o desenvolvimento da capacidade necessária para atuar no mercado de moda. Utilizar as ferramentas de comunicação nas diversas mídias, analisando e produzindo notícias e imagens, à área de moda, utilizando todos os tipos de veículos de comunicação. Elaborar a composição de looks e ambientes direcionados para produção publicitária, exposições, eventos de moda de acordo com o contexto mercadológico. Valorizar a pluralidade cultural, a identidade, a cidadania e a ética através da abordagem interdisciplinar e exploração de temas transversais.

A metodologia do curso deve levar em conta o perfil de formação profissional esperado, as expectativas e as condições socioeconômicas dos alunos ingressantes. A metodologia deve aproveitar ao máximo o tempo em sala de aula para promover a aprendizagem. Não obstante, dever-se-á oportunizar e incentivar o uso de materiais de apoio tais como videoaulas, animações didáticas em computador, apostilas e listas de exercícios, para que os alunos possam reforçar os estudos fora do ambiente escolar. Os procedimentos metodológicos serão diversificados, e adaptados a cada componente curricular, compreendendo: aulas expositivas e dialogadas, trabalhos em grupo, resolução de exercícios, análise e solução de situações-problema, desenvolvimento de projetos, experimentos e atividades específicas em ambientes especiais, como laboratórios, oficinas, empresas pedagógicas, ateliês e outros, investigações sobre atividades profissionais, projetos de pesquisa e/ou intervenção no ambiente de trabalho ou social, visitas técnicas, simulações, observações, entre outros, buscando relacionar a teoria aos problemas, situações e desafios verificados na rotina típica de um técnico em Produção de Moda. Poderão ser realizadas saídas a campo, para oportunizar aos alunos conhecimentos práticos da área de Produção de Moda em empresas e instalações na região. Os alunos também serão motivados a participar de eventos técnicos relacionados à área de Produção de Moda. Para a prática profissional exercitada no âmbito das unidades curriculares, serão sempre observadas as Normas Regulamentadoras (NR), além de normas técnicas específicas de segurança. A Unidade Curricular Projeto Integrador é voltada para a metodologia de trabalho por projetos, que converge para a escolha de temas integrando todas as unidades curriculares. Através dessa visão holística do conhecimento, a aprendizagem, contextualizada e interdisciplinar, torna-se significativa.relacionar o conhecimento prévio ao novo, constrói-se coletivamente, a partir da experiência do sujeito. Os temas integradores são os seguintes: 1º ano – Ética, Cidadania e Cultura; 2º ano – Sustentabilidade, Tecnologia e Comunidade; 3º ano – Solidariedade, Trabalho e Desenvolvimento regional. Para colocar em prática os trabalhos relativos aos temas integradores, em cada ano os alunos devem desenvolver um trabalho de pesquisa dividido em etapas: planejamento, execução e socialização dos resultados. No planejamento, professores e alunos decidirão os conteúdos a serem pesquisados, a metodologia utilizada e o cronograma de execução das atividades. Na fase de execução, as atividades planejadas serão postas em práticas pelos alunos sob orientação dos professores, conforme cronograma estabelecido. Por fim, acontecerá a socialização dos trabalhos desenvolvidos, os quais poderão ser apresentados por meio de teatro, confecção de banners, produção de vídeo, seminários, oficinas, exposições, entre outros. Caberá aos docentes a avaliação dos trabalhos apresentados.

Chefe DEPE: Adriano Antunes Rodrigues

Contato: ensino.aru@ifsc.edu.br / (48) 3311 5084

Nome do Coordenador/proponente do curso: Dionatan Carlos de Souza

A avaliação no Curso Técnico Integrado em Produção de Moda será desenvolvida numa perspectiva processual, contínua e cumulativa, assumindo a função diagnóstica e formativa. Considerando que o educando é um ser criativo, autônomo, participativo, reflexivo e capaz de transformações significativas na realidade, o processo avaliativo deve propiciar a busca da (re)construção do conhecimento de forma coerente e interativa com a formação integral dos sujeitos. Sendo assim, a avaliação não pode separar-se da aprendizagem: ambas são partes constitutivas de um mesmo processo.Os resultados do processo de ensino-aprendizagem serão avaliados coletivamente pelos docentes em 3 conselhos de classe durante o ano letivo. Os conselhos de classe servirão como mais um instrumento colaborador na verificação da aprendizagem, levando em consideração o predomínio dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos, conforme as diretrizes da LDB Lei nº 9.394/96. Ao avaliar os educandos devem ser contemplados os seguintes aspectos: Adoção de procedimentos de avaliação processual e contínua; Prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos; Inclusão de atividades contextualizadas; Manutenção de diálogo permanente com o aluno; Consenso dos critérios de avaliação a serem adotados e cumprimento do estabelecido; Disponibilização de apoio pedagógico para aqueles educandos que têm dificuldades de aprendizagem; Adoção de estratégias cognitivas e metacognitivas como aspectos a serem considerados nas avaliações; Adoção de procedimentos didático-pedagógicos visando à melhoria contínua da aprendizagem; Discussão dos resultados obtidos pelos estudantes nas atividades desenvolvidas; Observação das características dos alunos, seus conhecimentos prévios integrando-os aos saberes sistematizados do curso, consolidando o perfil do cidadão trabalhador, com vistas à (re) construção do saber escolar. Os instrumentos de avaliação devem ser variados. Entre outros que a prática pedagógica indicar, a título de exemplo, podem ser utilizados os seguintes: observação diária dos professores, trabalhos de pesquisa individual e coletiva, testes escritos, entrevistas e arguições, execução de experimentos ou projetos, relatórios, apresentações. A recuperação de estudos deverá compreender a realização de novas atividades pedagógicas que possam promover o desenvolvimento das habilidades. As novas atividades ocorrerão no decorrer do processo de ensino e de aprendizagem, preferencialmente, no horário regular de aula, podendo ser criadas estratégias alternativas que atendam a necessidades específicas, tais como atividades sistemáticas em horário de atendimento paralelo, estudos dirigidos e projetos específicos. Ao final dos estudos de recuperação, os conceitos anteriormente atribuídos aos educandos deverão ser revistos pelo professor tendo em vista o predomínio dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos. O registro da avaliação observará as normas do Regimento Didático Pedagógico (RDP- 2014) lançando mão da ferramenta institucional vigente para o registro dessas avaliações.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker3-srv2.appdocker3-inst220/10/2021 08:18