Projeto Político Pedagógico

O Tecnólogo em Eletrônica Industrial, formado pelo IFSC, é um profissional com graduação em nível superior, legalmente habilitado para a pesquisa e desenvolvimento de Sistemas Eletrônicos que integrem de forma inovadora tecnologias emergentes e potenciais do setor eletrônico, bem como para atuar na comercialização, operação e manutenção de tais sistemas.


O Tecnólogo em Eletrônica Industrial será capaz de desempenhar as seguintes funções:

  • Desenvolvimento: Aplicar de forma criativa metodologias que permitam conceber, implementar, testar e depurar sistemas digitais baseados em tecnologia eletrônica;
  • Aplicação: Conceber, interpretar e aplicar rotinas de procedimentos capazes de colocar e manter sistemas digitais baseados em tecnologia eletrônica em condições adequadas de funcionamento.
  • Empreendimento: Atuar na interface com o usuário captando e interpretando suas necessidades, percebendo oportunidades de mercado e demonstrando a efetividade de seus produtos

O foco do Curso Superior de Tecnologia em Eletrônica Industrial, centrado na aplicação de processadores digitais, além de garantir oportunidades de inserção no mundo do trabalho para seus egressos, apresenta um perfil complementar aos demais cursos superiores do setor eletrônico oferecidos na região. Estes têm suas propostas focadas em Sistemas Eletrônicos para as áreas de atuação de: automação industrial, telecomunicações e comunicação de dados, respectivamente.

A proposta se propõe a evitar sobreposição de ofertas acadêmicas, de recursos públicos e esforços, criando um cenário de complementaridade de atuação e de possibilidades de empreendimentos na região.
O Tecnólogo em Eletrônica Industrial é um profissional que apresenta a condição de tratamento e gestão das Tecnologias Eletrônicas Digitais disponíveis no mercado, podendo atuar nas organizações que trabalham com redes corporativas, também denominadas de “mundo IP”. Tal possibilidade apresenta vantagens como flexibilidade e facilidade no gerenciamento e manutenção, visto que se mobiliza uma rede única para suportar os tráfegos de dados, de voz e de imagem.

Um outro nicho de mercado que o Tecnólogo em Eletrônica Industrial poderá atuar é o mercado de TV Digital, que no Brasil está avaliado em US$ 50 milhões, sendo que a indústria deve investir cerca de US$ 100 milhões na migração do padrão analógico para o digital, num período de dez anos. Só na parte de produção e de transmissão deve ser movimentado cerca de US$ 1,2 bilhão. O Ministério das Comunicações também faz questão de que o país que desenvolveu a tecnologia a ser implantada aqui tenha interesse em investir na transferência de expertise e na construção de fábricas no Brasil.

O Tecnólogo em Eletrônica Industrial, também, poderá atuar em empresas que trabalham com Portais de Compras, que atualmente não se atém apenas ao papel do e-procurement. O consórcio Unisys/Vesta, vencedor da concorrência e responsável pela montagem do portal junto ao Serpro, investirá R$ 27 milhões nos próximos cinco anos. A Vesta implantará sua plataforma de e-commerce, soluções de market-place, logística e gerenciamento de catálogos. A Unisys entra com a infraestrutura. O Serpro responde pelo hosting, infra-estrutura de rede e datacenter, segurança, certificação digital e gateway de pagamentos.

Através do desenvolvimento do currículo do Curso Superior de Tecnologia em Eletrônica Industrial, os alunos, de uma forma geral, poderão desenvolver o seguinte conjunto de competências, tais como:

  • Investigação Tecnológica;
  • Análise e Especificação de Sistemas Eletrônicos; 
  • Implementação de Circuitos e Sistemas Eletrônicos Digitais; 
  • Documentação Tecnológica.
  • Comercialização de Componentes, Equipamentos e Sistemas Eletrônicos; 
  • Instalação e Integração de Sistemas Eletrônicos; 
  • Operacionalização de Circuitos e Sistemas Eletrônicos Integrados; 
  • Manutenção de Equipamentos e Sistemas Eletrônicos.
  • Planejamento para as ações das Funções Desenvolvimento e Aplicação;
  • Gestão das ações das Funções Desenvolvimento e Aplicação.

A metodologia de ensino compreende critérios metodológicos que abrangem aulas expositivas e práticas, estudos de casos, elaboração de trabalhos, seminários, projetos integradores, atividades de extensão, visita a empresas e outras atividades acadêmico-científico-tecnológica, visando a oferta de experiências diversificadas aos discentes.

Responsável: Prof. Reginaldo Steinbach
E-mail: eletronica.cst.fln@ifsc.edu.br
Telefone: (48)3221-6066
Titulação: Mestre
Formação Acadêmica: Tecnólogo em Sistemas Eletrônicos

Regime de trabalho: 40h DE

O discente do Curso Superior de Tecnologia em Eletrônica Industrial é avaliado semestralmente em cada unidade curricular, porém, o processo é diário e contínuo, para sanar possíveis lacunas na aprendizagem e garantir o crescimento do aluno e o seu aprimoramento em termos de conhecimento, com as competências
necessárias para atuar como tecnólogo em Sistemas Eletrônicos, de forma a atender a concepção do curso em oferecer formação de qualidade
não apenas na sua dimensão conceitual, mas propiciando o saber ser (atitudes, posturas e valores) e o saber fazer (conhecimentos e habilidades).

Ao se apresentarem necessidades de superar dificuldades observadas durante o processo de ensino-aprendizagem, a recuperação dos competências desenvolvidas é realizada de forma concomitante ou intensiva por meio de orientações de estudo e de atividades complementares realizadas pelos docentes.

Todos os instrumentos e critérios de avaliação constam nos Planos de Ensino e devem ser explicitados aos discentes no início de cada período letivo.

A regulamentação dos processos de avaliação encontra-se no Regulamento Didático-Pedagógico do IFSC.

É recomendado, pela coordenação, que os professores façam avaliações contínuas, por unidade curricular, em cada semestre, podendo fazer uso de outros, que julgar apropriados, tais como: exercícios escritos, exposições orais, seminários, trabalhos baseados em pesquisas individuais e em grupos.

A avaliação do processo de ensino-aprendizagem é feita por unidade curricular durante o período letivo, expressando-se o resultado em valores inteiros de 0 a 10

A revisão de avaliações será requerida pelo aluno ao Departamento Acadêmico no prazo máximo de até 2 (dois) dias úteis, após a divulgação dos resultados da avaliação, dando entrada no Secretaria do Departamento Acadêmico.

A frequência mínima obrigatória para aprovação deverá ser igual a 75% (setenta e cinco por cento) sobre o total de horas letivas as quais o aluno estiver cursando por unidade curricular no período letivo correspondente.

Atendida, em qualquer caso, a freqüência mínima de 75% (setenta e cinco) às aulas e demais atividades escolares programadas, o aluno é considerado Apto se obtiver conceito maior ou igual a 6.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appserver2.srv2inst1 06/12/2019 16:25