Projeto Político Pedagógico

O egresso desse curso deverá ser capaz de:
- Refletir sobre o processo avaliativo dentro do processo de ensino e aprendizagem;
- Avaliar e formular instrumentos de avaliação compostos por questões e/ou propostas que
contemplem os conhecimentos e habilidades especialmente compreendendo a taxionomia
dos objetivos educacionais;
- Compreender as relações e especificidades do processo avaliativo, tanto em ambientes
virtuais quanto no presencial, selecionando e construindo os instrumentos que sejam mais
efetivos para cada situação e ambiente avaliativo.

Na educação básica e superior nas modalidades presencial e a distância, bem como na
educação de Jovens e Adultos, Educação do campo, educação profissional.

– Socializar experiências marcantes de avaliação, surgidas das reflexões e discussões feitas em
pequenos grupos;
– Enfatizar o papel mediador do professor no processo de ensinar e aprender, bem como no
processo de avaliação;
– Incentivar as parcerias aluno-aluno e professor-aluno como elemento de ampliação do universo
social educacional do aluno, facilitando a aprendizagem dos conceitos;
– Promover do trabalho em grupo como um excelente procedimento de ensino e de avaliação
desde que bem mediado pelos pares (professores e alunos);
– Dominar estratégias referentes ao que avaliar, como avaliar e quando avaliar;
– Diferenciar e utilizar nas avaliações questões que contemplem conhecimentos e habilidades
considerando a Taxionomia dos objetivos educacionais;
– Formular suas avaliações e articulá-las com o processo de ensino e aprendizagem,
considerando a relação conteúdos, objetivos e avaliação.
– Refletir sobre a avaliação do ensino (autoavaliação e avaliação discente) e realizá-la como
parte do processo avaliativo;
– Refletir e propor alternativas de avaliação da aprendizagem em salas virtuais.

Para a construção de um processo didático-pedagógico dialógico os módulos serão
tratados utilizando-se da metodologia dos três momentos pedagógicos, utilizando-se para isso das
contribuições de Paulo Freire em Pedagogia do oprimido (1987) e Delizoicov (1991, 2008) e
Delizoicov, Angotti e Pernambuco (2002).
Problematização inicial: caracteriza-se por apresentar situações reais que os alunos
conhecem e vivenciam. É nesse momento que os estudantes são desafiados a expor os seus
entendimentos sobre determinadas situações significativas que são manifestações de
contradições locais e que fazem parte de suas vivências).
Teorização: Estudo sistemático dos conhecimentos envolvidos no tema e na
problematização inicial. Momento em que são estudados os conhecimentos científicos
necessários para a melhor compreensão dos temas e das situações significativas.
Aplicação do conhecimento: destina-se a empregar o conhecimento do qual o estudante
vem se apropriando para analisar e interpretar as situações propostas na problematização inicial e
outras que possam ser explicadas e compreendidas pelo mesmo corpo de conhecimentos. Nessa
etapa, o papel do professor consiste em desenvolver diversas atividades para capacitar os alunos
a utilizarem os conhecimentos científicos explorados na organização do conhecimento, com a
perspectiva de formá-los para articular constantemente a conceituação científica com situações
que fazem parte de sua vivência.
Quando ofertado em EaD:
Este curso de Formação Continuada em Avaliação do Ensino e Aprendizagem será
realizado via internet, utilizando a plataforma Moodle disponível no Instituto Federal de Santa
Catarina – Proen/Cerfeaf, tanto para apresentação do conteúdo quanto para a mediação e
interação na realização das atividades de estudos e avaliativas. Serão realizadas
videoconferências e interações no ambiente virtual.
Cada tópico apresenta um livro didático preparado especialmente para este curso, links de
acesso às leituras e materiais complementares, uma ou mais atividades visando à articulação
entre teoria e prática, e fórum de apoio para troca de ideias, esclarecimento de dúvidas ou registro
de atividades dirigidas, chat, estudo de caso visando relacionar o conteúdo científico com a prática
profissional.
Este curso possui acompanhamento e mediação dos professores responsáveis. O contato
com os professores deve ser feito por meio das ferramentas disponíveis na plataforma do curso,
especialmente durante a realização das atividades síncronas.
Os recursos utilizados serão:
Ambiente Virtual de Ensino e Aprendizagem – AVEA: Por meio do qual o aluno terá acesso a todo
material preparado para cada unidade curricular, participa dos fóruns de discussão, troca
mensagens (entre professor/aluno e tutor/aluno); e realiza as atividades de estudo e avaliativa
além do acesso às informações e orientações disponibilizadas pelos professores que realização o
acompanhamento e mediação durante o curso.
– Fórum de Apresentação: permite que os participantes conheçam melhor uns aos outros e
compartilhem suas expectativas em relação ao curso.
– Fórum de Notícias: é um espaço destinado à divulgação de avisos e outras informações
importantes por seu tutor.

– Fórum de Discussão: espaço destinado ao aprofundamento do conteúdo por meio de debates
com os colegas e tutor a respeito de um assunto específico.

Portaria nº 2739/2015
Gislene Catolino Miotto Raymundo
Maria dos Anjos Lopes Viella
Maria Luisa Hilleshein de Souza
Contatos:
Maria dos Anjos Lopes Viella
E-mail: maria.viella@ifsc.edu.br
Telefone: (48) 3131-8821
Gislene Catolino Miotto Raymundo
E-mail: gislene.miotto @ifs c.edu.br
Telefone: (48) 3131-8818
Maria Luisa Hilleshein de Souza

E-mail: marialuisa@ifsc.edu.br
Telefone:(48)3131-8812

Durante o desenvolvimento do curso a avaliação ocorrerá de forma contínua e processual.
O docente deverá acompanhar e verificar, por meio da participação dos estudantes, o
desempenho, as competências e habilidades adquiridas; seus avanços e/ou dificuldades.
A avaliação dos estudantes será realizada como parte integrante do processo educativo e
acontecerá ao longo do curso de modo a permitir reflexão-ação-reflexão da aprendizagem e a
apropriação do conhecimento, resgatando suas dimensões diagnóstica, formativa, processual e
somativa. Desta forma, a avaliação dos aspectos qualitativos compreende o diagnóstico, a
orientação e a reorientação do processo de ensino e aprendizagem, visando à construção dos
conhecimentos.
Os instrumentos de avaliação serão diversificados e deverão constar no plano de ensino
de cada unidade curricular, estimulando o estudante à: pesquisa, extensão, reflexão, iniciativa,
criatividade, laboralidade e cidadania.
De acordo com o Art. 41, da nova RDP do IFSC, o resultado da avaliação será registrado
por valores inteiros de 0 (zero) a 10 (dez).
§ 1º O resultado mínimo para aprovação em um componente curricular é 6 (seis).
§ 2º Ao aluno que computar menos de 75% (setenta e cinco por cento) da carga horária
estabelecida no PPC para o componente curricular, será atribuído o resultado 0 (zero).
§ 3º O registro parcial de cada componente curricular será realizado pelo professor no diário de
classe na forma de valores inteiros de 0 (zero) a 10 (dez).
§ 4º A decisão do resultado final, pelo professor, dependerá da análise do conjunto de avaliações,
suas ponderações e as discussões do conselho de classe final.
§ 5º A avaliação será realizada, em cada componente curricular, considerando os
objetivos/competências propostos no plano de ensino.
De acordo com a Lei nº 9394/1996, é obrigatória a frequência de alunos e professores, de
75% (setenta e cinco por cento) da carga horária estabelecida no PPC para cada componente
curricular, salvo nos programas de educação a distância.
Ainda de acordo com a RDP Art. 42. O conselho de classe é uma instância deliberativa
sobre a avaliação do processo de aprendizagem e sua realização é obrigatória ao final de curso
FIC, somente para aqueles com carga horária superior a 160 horas e com três ou mais
componentes curriculares, aos demais será facultativo.
O aluno terá nova oportunidade de prestar atividades de avaliação não realizadas por
motivo de doença ou por falecimento de familiares, convocação do judiciário e do serviço militar,
desde que encaminhe em até 2 (dois) dias letivos contados do final do afastamento, um
requerimento à Coordenadoria de Curso, com os documentos comprobatórios do impedimento.
De acordo com a RDP, o requerimento deverá indicar a data e horário das atividades de avaliação
não realizadas, o componente curricular e o nome do professor.

A recuperação de estudos, a que todos os alunos têm direito, compreenderá a realização
de novas atividades pedagógicas no decorrer do período letivo, que possam promover a
aprendizagem, essas devem ocorrer, preferencialmente, no horário regular de aula. Ao final dos
estudos de recuperação o aluno será submetido à nova avaliação, cujo resultado será registrado
pelo professor, prevalecendo o maior valor entre o obtido na avaliação realizada antes da
recuperação e o obtido na avaliação após a recuperação.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appserver3.srv3inst1 24/02/2020 21:43