• Nossos serviços presenciais estão suspensos em atendimento às orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e Governos Federal e Estadual. Acompanhe as informações atualizadas no portal do IFSC (ifsc.edu.br) e nas redes sociais (Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn e YouTube). Estamos separados, mas juntos. #IFSCemcasa
Projeto Político Pedagógico

O aluno egresso do Curso Técnico em Modelagem do Vestuário de Nível Médio Concomitante ao Ensino Médio é o profissional com competências e habilidades para desenvolver modelagens aplicando técnicas bidimensionais e tridimensionais na etapa de confecção de produtos do vestuário. É um profissional com conhecimento para elaborar diagramas com base nas tabelas de medidas e transformar bases de modelagem em modelos específicos, a partir do desenho técnico do produto. É o profissional capaz de preparar a modelagem para o setor de corte, com as devidas indicações para montagem da peça-piloto e para a produção em série. O aluno egresso também estará habilitado para avaliar a vestibilidade e a viabilidade técnica do produto.

O egresso poderá atuar em indústrias de confecção em setores de desenvolvimento de produto, principalmente na construção de modelagens do vestuário manual ou digitalmente.

O técnico em Modelagem do Vestuário deverá constituir, em sua formação, competências para:

• Construir moldes aplicando técnicas bidimensionais e tridimensionais. Disciplinas relacionadas: Modelagem I, Modelagem II, Modelagem III, Modelagem Tridimensional.

• Utilizar softwares específicos para o desenvolvimento de desenhos técnicos, construção de bases, modelos e encaixes. Disciplinas relacionadas: Informática, Modelagem em CAD I, Modelagem em CAD II e Desenho Técnico.

• Preparar a modelagem para o setor de corte, com as devidas indicações para montagem da peça-piloto e para a produção em série. Disciplinas relacionadas: Matemática, Técnicas de montagem I, Técnicas de montagem II, Técnicas de montagem III, Planejamento de risco e corte.

• Avaliar a vestibilidade e a viabilidade técnica de produção do produto do vestuário. Disciplinas relacionadas: Antropometria, Materiais e processos têxteis I, Materiais e processos têxteis II. Coordenar equipes de trabalho envolvidas nas etapas de modelagem de produtos do vestuário. Disciplinas relacionadas: Português, Projeto Integrador.

A prática pedagógica desenvolvida no IFSC privilegia a formação do cidadão crítico e consciente do seu papel na sociedade. Nessa prática, o aluno coloca-se como sujeito ativo no processo de aprendizagem, na interação com o conhecimento e com os demais sujeitos que compõem o processo educativo. Nesta perspectiva, as atividades curriculares proporcionam a análise interpretativa e crítica das competências profissionais estabelecidas no perfil do egresso, bem como das práticas sociais relacionadas ao contexto da formação do Técnico em Modelagem do Vestuário. O fazer pedagógico do curso está pautado na interação entre professor e aluno, buscando o desenvolvimento das competências profissionais, apropriando-se de métodos ativos que desafiam e motivam os alunos à construção dessas competências, à reflexão, à iniciativa, ao espírito empreendedor, à criatividade, à formação continuada, ao compromisso ético e social, à pesquisa, ao trabalho em equipe. Essa opção está ancorada nos seguintes princípios norteadores:

• formação humana integral;

• formação profissional voltada ao social;

• aprendizagem significativa;

• valor dos saberes dos alunos nas atividades educativas;

• diversidade de atividades formativas;

• trabalho coletivo;

• pesquisa como princípio educativo;

• integração entre os saberes.

A concretização da práxis educativa fundamentada nos princípios elencados acima dá-se por meio da utilização de metodologias diversificadas, considerando as competências profissionais a serem construídas ao longo da integralização do currículo nas unidades curriculares e buscando atualizações permanentes, agregando novas tecnologias nas estratégias de ensino. De acordo com as especificidades das competências e as temáticas a serem desenvolvidas, pode-se aplicar várias metodologias, destacandose dentre elas: trabalhos individuais, trabalhos em pequenos e grandes grupos, solução de problemas, pesquisa aplicada, estudo de caso, exposição oral, debates, visitas técnicas e culturais, jogos, simulações, palestras, seminários, projetos integradores, etc.

Glaucia Marian Tenfen, glaucia.tenfen@ifsc.edu.br, (047) 3318-3709.
Carolina Anderson Carioni Amorim, carolina.carioni@ifsc.edu.br, (047) 3318-3772

A avaliação se dará durante todos os momentos do processo ensino e aprendizagem, valorizando o desenvolvimento do aluno qualitativa e quantitativamente. Em cada unidade curricular o professor responsável aplicará avaliações pertinentes aos conteúdos teóricos e práticos vistos ao longo do curso. As avaliações serão organizadas baseadas nos seguintes princípios: a avaliação será diagnóstica, processual, formativa e diversificada.

De acordo com Libâneo (2001), a avaliação auxilia os professores a identificarem as dificuldades que os educandos apresentam. Desta forma, relacionando educadores, conhecimento e sujeito do conhecimento, construindo autonomia e responsabilidade.

Para além dos conhecimentos e habilidades definidos em cada Unidade Curricular serão considerados como critérios de avaliação as atitudes gerais: trabalhar em equipe; respeitar a comunidade escolar; cumprir as tarefas solicitadas, respeitando os prazos; contribuir para as aulas com interesse e empenho; zelar pelo patrimônio escolar e demonstrar iniciativa nas aulas.

As formas ou tipos de avaliação podem abranger avaliação escrita e/ou oral individual/grupo, apresentação de trabalhos (escrito e oral); avaliações práticas em laboratórios, relatórios, entre outros.

De acordo com o Regulamento Didático Pedagógico do IFSC, a avaliação prima pelo caráter diagnóstico e formativo, consistindo em um conjunto de ações que permitam recolher dados, visando à análise da constituição das competências por parte do aluno, previstas no projeto de curso. Suas funções primordiais são:

a) obter evidências sobre o desenvolvimento do conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes necessárias à constituição de competências, visando à tomada de decisões sobre o encaminhamento dos processos de ensino e aprendizagem e/ou a progressão do aluno para o semestre seguinte;
b) analisar a consonância do trabalho pedagógico com as finalidades educativas previstas no Projeto Pedagógico do Curso;
c) estabelecer previamente, por unidade curricular, critérios que permitam visualizar os avanços e as dificuldades dos alunos na constituição das competências.

Os critérios servirão de referência para o aluno avaliar sua trajetória e para que o professor tenha indicativos que sustentem tomadas de decisões sobre o encaminhamento dos processos de ensino e aprendizagem e a progressão dos alunos.
A avaliação dos aspectos qualitativos da aprendizagem do aluno deverá compreender, o diagnóstico, a orientação e a reorientação do processo de aprendizagem visando à construção dos conhecimentos. Para isso, os instrumentos de avaliação deverão ser diversificados e deverão constar no plano de ensino do componente curricular, estimulando o aluno à: pesquisa, reflexão, iniciativa, criatividade, laboralidade e cidadania.

O registro da avaliação, conforme Artigos 100 e 102 do regulamento Didático Pedagógico do IFSC será feito por valores inteiros de 0 (zero) a 10 (dez). O resultado mínimo para aprovação em um componente curricular será 6 (seis), sendo atribuído o resultado 0 (zero) ao aluno que comparecer a menos de 75% (setenta e cinco por cento) da carga horária estabelecida no PPC para o componente curricular.

Quanto ao registro parcial de cada componente curricular, este será realizado pelo professor no diário de classe na forma de valores inteiros de 0 (zero) a 10 (dez). A decisão do resultado final, pelo professor, dependerá da análise do conjunto de avaliações, suas ponderações e as discussões do conselho de classe final, considerando os objetivos/competências propostos no plano de ensino.

A partir da avaliação efetuada pelo professor, serão realizadas avaliações coletivas em reuniões que terão o caráter de avaliação integral do processo didático-pedagógico em desenvolvimento na unidade curricular. As avaliações coletivas envolverão os professores e os profissionais do núcleo pedagógico. Esses encontros serão realizados, pelo menos, em dois momentos: durante o transcorrer do semestre e ao final de cada semestre.

De acordo com o Regulamento Didático Pedagógico do IFSC, o professor deverá viabilizar estudos de recuperação paralela durante o período letivo, visando garantir o aproveitamento dos alunos com dificuldade de aprendizagem. Para o aluno que não obteve conceito de aprovação, a avaliação da recuperação paralela está vinculada à participação nas atividades de recuperação de conteúdo, podendo ocorrer, por meio de aulas programadas em horários extras, listas de exercícios, trabalhos práticos ou outras formas propostas pelo professor, visando ao melhor desenvolvimento do processo de aprendizagem.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appserver3.srv3inst1 31/03/2020 20:25