Projeto Político Pedagógico

O Técnico em Agricultura é o profissional com conhecimentos da área de produção e beneficiamento de produtos agrícolas, capaz de gerenciar os recursos tecnológicos existentes na propriedade agrícola, e assim atender as demandas na área de agricultura enquanto profissional qualificado.

O Técnico em Agricultura está apto para atuar em propriedades rurais; empresas de consultoria que atuam em atividades do agronegócio; instituições de assistência técnica, extensão rural e pesquisa; agroindústrias; cooperativas; prefeituras e outras instituições públicas onde poderão trabalhar no planejamento, execução e avaliação de processos produtivos de vegetais.

O profissional, egresso do Curso Técnico em Agricultura, terá uma sólida base de conhecimentos tecnológicos e de adaptação a novas situações, que o consolida como profissional empreendedor e transformador do setor agrícola, com as seguintes Competências Profissionais:

1) Básicas:

  • Prestar assistência técnica em órgãos públicos, cooperativas, empresas agropecuárias e/ou congêneres, e outros;

  • Conhecer os parâmetros técnicos e legais e toda e qualquer atividade agrícola;

  • Conceber e desenvolver técnicas agrícolas;

  • Planejar, gerir, controlar e executar atividades técnico-científicas na área agrícola.

 

2) Específicas:

  • Analisar as vocações produtivas regionais;

  • Planejar e executar as ações referentes aos tratos das culturas;

  • Planejar, organizar e monitorar a exploração e manejo do solo de acordo com suas características;

  • Planejar as alternativas de otimização dos fatores climáticos e seus efeitos no crescimento e desenvolvimento das plantas;

  • Planejar a propagação em cultivos abertos ou protegidos, em viveiros e em casa de vegetação;

  • Selecionar e aplicar métodos de erradicação e controle de pragas, doenças e plantas daninhas, responsabilizando-se pela emissão de receituários.

  • Planejar a colheita e pós-colheita.

  • Elaborar projetos e relatórios agrícolas;

  • Elaborar planos de desenvolvimento agrícola e incorporação de novas tecnologias;

  • Organizar e monitorar a obtenção e o preparo da produção vegetal desde a aquisição, conservação e armazenamento da matéria-prima e dos produtos agrícolas;

  • Gerenciar processos produtivos;

  • Planejar, orientar e monitorar o uso de sistemas de irrigação e drenagem;

  • Planejar, orientar e monitorar o uso adequado de máquinas, implementos e ferramentas agrícolas

  • Elaborar projetos topográficos;

  • Orientar o uso adequado de máquinas e equipamentos agrícolas;

  • Compreender a estrutura administrativa necessária a empreendimentos agrícolas;

A elaboração do currículo do Curso Técnico em Agricultura implica em ações pedagógicas que possibilitem ao aluno a construção do seu conhecimento. Nessa construção de novos saberes, a escola constitui-se em um espaço onde professores e alunos são sujeitos de uma relação crítica e criadora. Assim, a intervenção pedagógica favorece a aprendizagem a partir da diversidade.

Os procedimentos didático-metodológicos propostos são:

aulas expositivas e dialogadas, exposição de vídeos, seminários, etc., em sala de aula;

aulas práticas de laboratório;

viagens técnicas, de estudos;

trabalhos de pesquisa;

montagem de experimentos ou procedimentos experimentais;

elaboração de conclusões de experimentos e/ou assuntos trabalhados de forma teórica;

desenvolvimento de projetos;

interpretação de textos técnicos e científicos relacionados aos conteúdos trabalhados.

 

O desenvolvimento do espírito científico do educando se dará por meio do planejamento, execução e avaliação de trabalhos de pesquisa. Nestas atividades os discentes desenvolverão a habilidade de, em conjunto com o docente da área, identificar problemas, propor formas de resolução por meio de ensaios, testes, etc., bem como a avaliação e divulgação dos resultados. A interdisciplinaridade ocorrerá em cada unidade curricular, na qual o docente exigirá do aluno conhecimentos básicos vistos em outros níveis de ensino, bem como de temas abordados no curso Técnico em Agricultura. Essa inter-relação das disciplinas se dará, na maioria das vezes, problematizando situações práticas, do cotidiano dos alunos, para que com isso o discente perceba a importância de todas as unidades curriculares associadas, e não de forma isolada.

Wilson Castello Branco Neto, wilson.castello@ifsc.edu.br, (49) 3236-3117

A avaliação prima pelo caráter diagnóstico e formativo, consistindo em um conjunto de ações que permitem recolher dados, visando à análise da constituição das competências por parte do aluno, previstas no plano de curso. Suas funções primordiais são:

- obter evidências sobre o desenvolvimento do conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes necessárias à constituição de competências, visando a tomada de decisões sobre o encaminhamento dos processos de ensino e aprendizagem e/ou a progressão do aluno para o semestre seguinte;

 - analisar a consonância do trabalho pedagógico com as finalidades educativas previstas no Projeto Pedagógico do Curso;

- estabelecer previamente, por unidade curricular, critérios que permitam visualizar os avanços e as dificuldades dos alunos na constituição das competências. Os critérios servirão de referência para o aluno avaliar sua trajetória e para que o professor tenha indicativos que sustentem tomadas de decisões.

O rendimento dos alunos será feito de maneira diversificada, definido por meio de provas escritas e ou orais, trabalhos de grupo ou individual, seminários, listas de exercícios, estudo dirigido, aulas práticas e outros, atendendo as peculiaridades dos discentes, oportunizando uma avaliação pertinente aos objetivos do curso.

Os critérios de avaliação deverão ser apresentados aos discentes. Cada professor registrará o resultado da avaliação no diário de classe, de forma que se permita visualizar o processo ensino-aprendizagem vivenciado pelo educando, divulgando o resultado das avaliações parciais em até 15 (quinze) dias úteis, desde que esse período não ultrapasse os prazos previstos no Calendário Acadêmico. Ao longo do período letivo, o professor deverá transmitir informações que permitam ao aluno visualizar as suas limitações e dificuldades, bem como os avanços na constituição das competências.  Conforme o Art. 102 do Regulamento Didático Pedagógico do IFSC (Resolução Nº 41, de 20 de novembro de 2014), o resultado da avaliação será registrado por valores inteiros de 0 (zero) a 10 (dez) e o resultado mínimo para aprovação em um componente curricular é 6 (seis) e frequência mínima de 75% de horas letivas previstas no plano de curso de cada unidade curricular, para aquele período letivo.

Haverá recuperação paralela de conteúdos e avaliações. A recuperação de estudos deverá compreender a realização de novas atividades pedagógicas no decorrer do período letivo, que possam promover a aprendizagem, tendo em vista o desenvolvimento das competências.

Os instrumentos avaliativos, levarão em consideração os aspectos compreensivos das diferentes disciplinas, de comunicação, do conhecimento adquirido, da produtividade, das atitudes, assiduidade e a aplicabilidade da teoria associado aos aspectos práticos.

É de responsabilidade do docente responsável pela disciplina, estabelecer os instrumentos e mecanismo necessários ao bom andamento da unidade curricular, de maneira a atender às especificidades da disciplina.

Aos alunos com dificuldades de rendimento serão proporcionados estudos de recuperação de conteúdos, durante os semestres letivos. O professor deverá fazer constar em seus planos de ensino a forma pela qual desenvolverá a recuperação de conteúdos com os alunos que não atingirem os objetivos propostos. Fica a critério do professor, estabelecer os instrumentos que serão utilizados na realização da recuperação paralela dos conteúdos abordados. Poderão ser na forma de exercícios, seminários, trabalhos, autoavaliação, entre outros. A recuperação paralela dos conteúdos será realizada durante o desenvolvimento do processo ensino-aprendizagem. Serão realizadas avaliações coletivas que terão o caráter de avaliação integral do processo didático-pedagógico em desenvolvimento na unidade curricular.

Serão realizadas reuniões entre os docentes, coordenação e Núcleo Pedagógico durante o desenvolvimento dos semestres, conforme previsto no Regulamento Didático Pedagógico do IFSC.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker1-srv2.appdocker1-inst201/12/2020 17:53