Projeto Político Pedagógico

 O profissional formado deverá ser capaz de: Implantar sistemas de produção
agropecuária e agroextrativista e técnicas de sistemas orgânicos de produção. Realizar
procedimentos de conservação do solo e da água. Organizar ações integradas de
agricultura familiar. Desenvolver ações de conservação e armazenamento de matéria-prima,
de processamento e industrialização de produtos agroecológicos. Operar máquinas e
equipamentos agrícolas inerentes ao sistema de produção agroecológico. Atuar na
certificação agroecológica (Catálogo Nacional de Cursos Técnicos – CNCT, instituído pela
Portaria MEC nº 870, de 16 de julho de 2008).

 Propriedades rurais. Empresas comerciais agropecuárias. Estabelecimentos
agroindustriais. Empresas de assistência técnica, extensão rural e pesquisa. Parques e
reservas naturais. Cooperativas e associações rurais. Empresas de certificação
agroecológica. Empresas de certificação orgânica (Catálogo Nacional de Cursos Técnicos
– CNCT, instituído pela Portaria MEC nº 870, de 16 de julho de 2008).

 

 O profissional concluinte do Curso Técnico de Nível Médio Integrado em
Agroecologia na modalidade EJA oferecido pelo IFSC deve apresentar um perfil de egresso
que o habilite a desempenhar atividades voltadas para agroecologia.
Esse profissional deverá demonstrar as capacidades de:
- Conhecer e utilizar as formas contemporâneas de linguagem, com vistas ao exercício da
cidadania e à preparação para o trabalho, incluindo a formação ética e o desenvolvimento
da autonomia intelectual e do pensamento crítico;
- Compreender a sociedade, sua gênese e transformação e os múltiplos fatores que nela
intervêm como produtos da ação humana e do seu papel como agente social;
- Ler, articular e interpretar símbolos e códigos em diferentes linguagens e representações,
estabelecendo estratégias de solução e articulando os conhecimentos das várias ciências
e outros campos do saber;
- Refletir sobre os fundamentos científico-tecnológicos dos processos produtivos, relacionando teoria e prática nas diversas áreas do saber;
- Compreender o processo de evolução da agricultura, os diversos modelos e avaliar as
características socioeconômicas de cada modelo;
- Conhecer as bases científicas e tecnológicas da Agroecologia;
- Analisar sistemas de produção, considerando os aspectos de sustentabilidade econômica,
social, cultural e ambiental;
- Analisar as características dos ecossistemas relacionando-os à atividade agropecuária;  
- Assessorar estudos de implantação e desenvolvimento de projetos de produção segundo
os princípios da agroecologia;
- Aplicar métodos e técnicas de conservação e recuperação do solo;
- Orientar quanto ao manejo agroecológico do solo, considerando suas características
físicas, químicas e biológicas;
- Planejar a utilização dos recursos naturais renováveis e não-renováveis;
- Planejar e orientar a implantação de sistemas e métodos de controle de insetos, doenças
e plantas espontâneas, utilizando princípios agroecológicos;
- Realizar, com competência técnica e ética, o manejo agroecológico das culturas regionais,
olerículas regionais, fruticultura e criação de animais;
- Estimular a participação e o compromisso coletivo no desenvolvimento de projetos
agrícolas, utilizando práticas de cooperação e organização entre agricultores;
- Orientar processos de conservação, processamento, armazenamento de matéria-prima e
industrialização de produtos orgânicos;
- Conhecer e aplicar normas de sustentabilidade ambiental, respeitando o meio ambiente e
entendendo a sociedade como uma construção humana dotada de tempo, espaço e história;
- Ter atitude ética no trabalho e no convívio social, compreender os processos de
socialização humana em âmbito coletivo e perceber-se como agente social que intervém
na realidade;
- Ter iniciativa, criatividade, autonomia, responsabilidade, saber trabalhar em equipe,
exercer liderança e ter capacidade empreendedora;
- Posicionar-se crítica e eticamente frente às inovações tecnológicas, avaliando seu impacto
no desenvolvimento e na construção da sociedade.

   
O planejamento das Áreas terá formato de Componentes Curriculares que
articularão os saberes científicos na resolução de problemas e na produção de novos
conhecimentos
Os sujeitos da educação de jovens, adultos e idosos (EJA) são diversos em relação
à idade, gênero, origem, trabalho e cultura, mas guardam certa identidade de classe social
(BEISIEGEL, 1997), que nos permite identificá-los como pessoas com trajetórias escolares
interrompidas em busca de melhores condições de acesso aos bens econômicos, sociais
e culturais.  
Sejam trabalhadores remunerados ou não, formais ou informais, esses sujeitos que
retornam à escola por diferentes motivos, geralmente, necessitam conciliar o horário de
estudos com outras prioridades da vida familiar, comunitária e da esfera do trabalho.  
Desse modo, a proposta metodológica do Curso parte da imprescindibilidade de
reconhecer e acolher a diversidade dos sujeitos, os saberes construídos por eles em
variados âmbitos da vida, inclusive seus conhecimentos profissionais, as necessidades e
expectativas individuais e coletivas dos estudantes em relação ao Curso, as atividades
sociais e culturais extraescolares que implicam aprendizagens significativas para sua
atuação profissional, cidadã e solidária.  
O curso será pautado considerando a aprendizagem desenvolvida no ambiente
escolar e no mundo do trabalho (em outras esferas da sociedade), organizado em:  
- Mínimo de 60% da carga horária no Tempo-Escola, em aulas de segunda à quinta-
feira, contemplando as diferentes áreas do conhecimento.  
- Máximo de 40% da carga horária no Tempo Social, em atividades orientadas no
ambiente do trabalho e outros espaços de aprendizagem, o que possibilita realizar a
formação em dois anos e meio.  
A proposta metodológica do Curso baseia-se, portanto, numa organização curricular
interdisciplinar, articulada aos conhecimentos da esfera do trabalho e integrada à vida dos
educandos, tendo em vista o favorecimento de sua autonomia e de seu desenvolvimento
intelectual.  
Desta forma, as unidades curriculares serão oferecidas por etapas; o Trabalhador
Estudante cursará de duas a três unidades curriculares por vez. Quando as cargas horárias
dessas unidades curriculares forem cumpridas, é que o estudante cursará outras unidades
curriculares, sucessivamente. A seleção e organização destas unidades serão
determinadas no coletivo docente e utilizará como critério prioritário, a possibilidade de
interdisciplinaridade e articulação entre os saberes.  
A matrícula dos estudantes do Proeja não estará condicionada ao disposto no
parágrafo segundo do artigo 67 do RDP que trata do impedimento de matrícula no semestre
seguinte ao estudante que for reprovado em mais de dois componentes curriculares.
Outro aspecto indispensável de destacar é que a organização dos tempos na
modalidade EJA é sempre do projeto de curso, cumprindo definições legais, mas cabendo
ao sujeito aluno a possibilidade de permanecer no curso por tempo diverso do previsto,
segundo seu ritmo e saberes prévios, desde que tenha alcançado os objetivos previstos
para a série/fase/etapa/ciclo de organização do currículo. (BRASIL, 2007, p.52). Neste
sentido, destaca-se a inexistência de pré-requisitos entre as disciplinas do curso.

 

 
5. Chefe DEPE: Andreia Hoepers; E-mail: andreia.hoepers@ifsc.edu.br; Telefone: (47) 3627-4500
ramal 208

6. Contato:
 Magali Regina; magali.regina@ifsc.edu.br; (47) 9 9274 3316
 Jefferson Schick; jefferson.schick@ifsc.edu.br; Telefone: (47) 9 9996 8080
Alice Felisbino Golin; alice.golin@ifsc.edu.br; (47) 3627 4500
Cícero Santiago de Oliveira; cicero.santiago@ifsc.edu.br; (47) 3627 4500
Crizane Hackbarth; crizane.hackbarth@ifsc.edu.br; (47) 3627 4500
Eliziane Luiza Benedetti; eliziane.benedetti@ifsc.edu.br; (47) 3627 4500
Lauro William Petrentchuk; lauro.william@ifsc.edu.br; (47) 3627 4500
Luis Carlos Vieira; luis.vieira@ifsc.edu.br; (47) 3627 4500
 João Paulo Pereira Paes; joao.paes@ifsc.edu.br; (47) 3627 4500

 Conforme Regulamento Didático Pedagógico do IFSC,2014, o Art. 102 define que
o resultado da avaliação será registrado em valores inteiros de 0 (zero) a 10 (dez);
§ 1º O resultado mínimo para aprovação em um componente curricular é 6 (seis).
§ 2º Ao aluno que comparecer a menos de 75% (setenta e cinco por cento) da carga
horária estabelecida no PPC para o componente curricular será atribuído o valor 0 (zero).
§ 3º O registro parcial de cada componente curricular será realizado pelo professor
no diário de classe na forma de valores inteiros de 0 (zero) a 10 (dez).
§ 4º A decisão do resultado final, pelo professor, dependerá da análise do conjunto
de avaliações, suas ponderações e as discussões do conselho de classe final.
§ 5º A avaliação será realizada, em cada componente curricular, considerando os
objetivos ou competências propostas no plano de ensino.
O professor poderá utilizar atividades complementares de apoio que contribuam para
a conclusão das atividades avaliativas.
Para aprovação na unidade curricular o aluno deve:
– Ter frequência mínima de 75% (setenta e cinco por cento);
– Obter, no mínimo, a nota 6,0  (seis),
Os critérios de aproveitamento de conhecimentos e experiencias anteriores far-se-
ão de acordo com as normas estabelecidas no Regulamento Didático Pedagógico (RDP)
do IFSC.  
Para a validação das disciplinas, o artigo 158 da RDP explicita as regras para
requisição e aprovação da mesma.

 

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appserver2.srv2inst1 20/01/2020 07:47