Projeto Político Pedagógico

O egresso do curso é o profissional capacitado para atuar como Contador de Histórias, em espaços escolares e não-escolares, e também como produtor de cultura e lazer. Assim, constituem-se como competências do egresso:
– aprimorar os recursos corporais, vocais e cênicos na contação de histórias; e
– aprender a construir recursos cênicos para a contação de histórias.

O egresso poderá atuar em espaços escolares e comunitários; em hospitais, espaços culturais e de
lazer; bibliotecas ou em eventos específicos.

Ver Projeto Pedagógico do Curso;

A prática pedagógica do Curso de Formação Continuada Contador de Histórias orienta-se pelo Projeto Pedagógico Institucional (PPI) do IFSC e pelo Regulamento Didático-pedagógico do IFSC.
A elaboração do currículo por competências implica em ações pedagógicas que possibilitem ao aluno a construção de seu conhecimento. Nessa construção de novos saberes, a escola constitui-se em um espaço onde professores e alunos são sujeitos de uma relação crítica e criadora. Assim, a intervenção pedagógica favorece a aprendizagem a partir da diversidade, não a partir das características e dificuldades do aluno.
As estratégias de ensino adotadas incluem atividades teórico-práticas de planejamento e construção de recursos cênicos e de exercícios de contação de histórias. As atividades teóricas poderão ser desenvolvidas no grande grupo, no entanto, a parte prática do curso exige atenção individualizada. Esse processo de preparação de recursos cênicos exige disponibilidade, simultaneamente, de: grande quantidade de material de expediente - como tesouras, colas, papéis etc. -; espaço para produção e preparo dos recursos e para seu armazenamento durante as aulas; espaço de sala de aula para dinâmicas e para a livre circulação dos discentes e docente no acompanhamento das atividades desenvolvidas.
Na primeira parte do curso o aluno será convidado a fazer breves reflexões teóricas sobre a contação de histórias, na qual serão discutidas a importância de se contar e ouvir histórias, além da importância de escolha de uma boa história, com a qual o contador tem afinidade e familiaridade. A seguir os alunos serão apresentados a alguns recursos cênicos de fácil desenvolvimento e baixo custo que poderão ser utilizados no dia a dia da prática profissional. Em um terceiro momento, cada aluno será convidado a pensar em um público e selecionar uma história, a qual treinará utilizando-se de recursos de voz, postura corporal, e para a qual produzirá material cênico a sua escolha. Ao final do curso os alunos serão convidados a fazerem uma contação de histórias no câmpus Gaspar aberta ao público em que utilizarão tudo aquilo que foi discutido e desenvolvido ao longo das aulas.
Devido a essas características do curso, cuja carga horária é majoritariamente prática, é fundamental trabalhar com um grupo de alunos reduzido, caso contrário pode-se prejudicar o processo de ensino-aprendizagem. Ao se trabalhar com um grupo reduzido, é possível que o docente consiga acompanhar e dar suporte de maneira mais efetiva aos envolvidos, podendo, inclusive, afetar positivamente a permanência dos inscritos, já que as horas investidas no curso renderão produtos e práticas que poderão ser utilizadas no dia a dia profissional.

Ver Projeto Pedagógico do Curso;

Neste curso, as avaliações acontecerão através de avaliação diagnóstica, processual, formativa, continuada e diversificada. Serão considerados critérios como: assiduidade, realização das tarefas, participação nas aulas, avaliação individual, trabalhos em grupo, colaboração e cooperação com colegas e professores. O acompanhamento e avaliação do desenvolvimento de tarefas e da interação em pequenos grupos exigirá atenção individualizada do docente, tornando pouco viável o trabalho com um grupo de discentes muito grande. Trabalhar com um grupo com mais de 30 alunos poderá influenciar negativamente na qualidade do curso e no processo de ensino-aprendizagem.
Serão realizadas avaliações durante todos os momentos do processo de ensino e aprendizagem, valorizando o crescimento do aluno qualitativa e quantitativamente. De acordo com o Regulamento Didático-Pedagógico do IFSC, a avaliação dos aspectos qualitativos compreende o diagnóstico, a orientação e a reorientação do processo de ensino e aprendizagem visando à construção dos conhecimentos necessários à promoção das competências gerais listadas neste projeto pedagógico de curso e à composição do perfil do egresso.
Os critérios servirão de referência para o aluno avaliar sua trajetória e para que o professor tenha indicativos que sustentem tomadas de decisões. O resultado da avaliação final será registrado por valores inteiros de 0 (zero) a 10 (dez), o resultado mínimo para aprovação em um componente curricular é 6 (seis). Ao aluno que comparecer a menos de 75% (setenta e cinco por cento) da carga horária estabelecida no PPC para o componente curricular será atribuído o resultado 0 (zero).

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appserver1.srv1inst1 21/01/2020 15:53